Mineiro

Cruzeiro é o favorito no Mineiro e Atlético-MG precisa saber lidar com isso

Foto: Vinnicius Silva / Cruzeiro

Galo vem alguns degraus abaixo da Raposa no momento

Assim como no ano passado, Atlético-MG e Cruzeiro voltam a se encontrar em uma final de estadual. Os dois maiores vencedores de Minas Gerais se enfrentam em condições bem opostas. A Raposa está em alta desde o título da Copa do Brasil, enquanto o Galo não vive um bom momento desde exatamente a conquista do Mineiro de 2017.

 

Cruzeiro é o favorito

Os jogadores podem desconversar, alegar que todo clássico é equilibrado, mas a realidade é que o Cruzeiro é favorito. Se o Atlético-MG tentar jogar de igual para igual não terá a menor chance, pois a Raposa vem muito forte.

O técnico Mano Menezes demorou, mas ao longo de 2017 conseguiu encaixar uma equipe forte e mesmo com o entra e sai de peças segue extremamente competitivo. Neste ano, foram 15 jogos, com 12 vitórias, dois empates e somente uma derrota.

Um dos principais destaques deste sucesso é o meia Thiago Neves, que vem arrebentando nos últimos jogos. Contra o Tupi neste domingo fez dois gols e ainda anotou outra pintura, mas que foi anulada erradamente pela arbitragem. Com quatro no campeonato, é um dos que briga pela artilharia, que hoje conta com Aylon na primeira colocação, com seis gols.

Assim como Thiago Neves, Rafinha também assume a responsabilidade de pôr a bola na rede. O meia tem crescido de produção e graças ao seu faro goleador já balançou as redes cinco vezes. A dupla faz com que o clube nem sinta a falta de Fred, que lesionado está fora da partida.

Para completar a lista dos que são fundamentais para a Raposa vencer aparece Fábio. O goleiro de 37 anos é o menos vazado entre os atletas da mesma posição dos 20 times grandes. Em 11 jogos disputados em 2018, ele sofreu apenas um gol. Sua presença é tão importante que o jogador ficou de fora de quatro partidas no ano, dando lugar a Rafael e no total destas partidas a raposa foi vazada seis vezes.

Com grandes nomes na frente e atrás, bom desempenho em casa e fora não seria surpresa ver o Cruzeiro arrancando uma vitória já na primeira partida, no Independência. No entanto, no mínimo um empate é esperado, levando em consideração que o segundo jogo ocorre no Mineirão.

 

Sorte e Inteligência

Se o Atlético-MG entrar em campo com a consciência de que no momento conta com um time inferior até pode conseguir surpreender. O clube passou a vencer com o comando de Thiago Larghi, mas ainda assim não passa confiança. Contra o América-MG, por exemplo, a defesa chegou a permitir dois gols do adversário, que só foram anulados devido ao erro da arbitragem no primeiro e pelo erro do atacante que completou para o gol vazio estando impedido.

Ainda assim, o confronto contra o próprio Coelho pode ser usado como aprendizado. Afinal, foi justamente quando o Galo baixou a bola e passou a esperar o adversário, que achou um contra-ataque e fez 1 a 0. Para superar o Cruzeiro terá que usar esta mesma estratégia. Principalmente porque embora ainda cometa falhas, a defesa tem dado conta na maioria dos jogos com este esquema tático de Larghi. Das últimas cinco apresentações, somente contra o Figueirense foi vazada.

Já o ataque precisaria de um desempenho melhor de Ricardo Oliveira, que segue perdendo muitos gols. Sem o brilho do seu goleador, o time acaba ficando muito dependente das chegadas dos meias, como Otero, Cazares e Elias. O trio é extremamente habilidoso, porém, é a marca da irregularidade do Galo.

 

Histórico recente do confronto

Nos últimos dez jogos, o Cruzeiro levou a melhor em cinco oportunidades contra três do Atlético-MG e dois empates. Neste ano, a Raposa venceu no próprio Independência por 1 a 0. No entanto, quando o assunto é decisão, é o Galo que começa a sorrir. O Clube foi campeão no ano passado após empatar em 0 a 0 e ganhar por 2 a 1.

 

Campanhas

O Cruzeiro chegou na final de forma impecável. O clube terminou na primeira posição da primeira fase, com nove vitórias e dois empates. Na sequência, despachou Patrocinense e Tupi sem sustos no mata-mata.

Já o Atlético-MG até sofreu um pouco durante a primeira fase, mas conseguiu melhorar na reta final e acabou na terceira colocação. A superação mesmo veio nos playoffs, quando conseguiu ganhar de URT e América-MG.

 

Jogo de ida da final do Campeonato Mineiro 2018

Domingo, 1 de abril

  • 16:00 – Atlético-MG x Cruzeiro. Palpite: 1 a 1

 

Comentários

2 Comentários
Voltar