UFC

Cinco motivos que fazem do UFC 223 um evento imperdível pra quem gosta de MMA

Foto: Divulgação/UFC

Pode ser exagero, mas ficar duas semanas sem um evento do UFC é muito em certos momentos do ano. A notícia boa é que no próximo sábado teremos logo o UFC 223, que acontece em Brooklyn, Nova York (EUA), com duas disputas de cinturão. Mais do que isso, são vários motivos que fazem do show um prato cheio pro fã de lutas.

Ferguson Vs Nurmagomedov

A luta principal do show é um duelo de respeito. Dois tops legítimos da categoria dos leves colidem em confronto que deve promover o novo campeão absoluto da divisão. Sem Conor McGregor, afastado do octógono desde a conquista o titulo da categoria, em novembro de 2016, o UFC deve promover o vencedor de Ferguson Vs Khabib a dono do cinturão absoluto. Atualmente, Tony é o campeão interino, e Nurmagomedov o contender número um. Mais intrigante do que o valor da vitória, o combate tem tudo para ser eletrizante. Ferguson está embalado por dez vitórias consecutivas na categoria, enquanto Nurmagomedov está invicto após 25 lutas. Tony é bom de jiu-jitsu e fera na trocação, enquanto Nurmagomedov tem um jogo de wrestling eficiente e soberano. O russo nunca passou apuros no octógono. É dificílimo prever o que irá acontecer na disputa.

Conor McGregor

A expectativa é enorme para que o UFC 223 represente algo em relação ao futuro de Conor. O astro irlandês tem se mantido em silêncio em meio a falácia de Floyd Mayweather, que garante estar interessado em lutar MMA ainda em 2018. É possível que ele apareça no octógono para encarar e promover um possível confronto com o vencedor de Ferguson Vs Nurmagomedov. Faz muito sentido. Há tempos o UFC não promove este tipo de ação no Cage pos-luta e faz muito sentido voltar com isso agora e com McGregor como astro. Se nada acontecer, ao menos será interessante ver quem fica com o posto deixado por Conor.

Joanna Vs Rose

A revanche imediata era de certa forma esperada. Jedrzejczyk foi a segunda campeã da categoria e teve um domínio de dois anos, onde emplacou cinco defesas de título bem sucedidas. Logo, era de se esperar que após o nocaute arrasador de Namajunas no primeiro round em novembro passado – embora a mesma chance não tenha sido dada a outros lutadores – a organização desse a revanche imediata a agora ex-campeã. O curioso é que Rose teve muitos méritos na vitoria. Sob uma pressão psicológica enorme, ela se saiu bem, deixou o lado emocional fora do octógono e conquistou o titulo. Sera que Joanna vai aparecer com um estilo menos provocador? Será que Rose vai adotar a mesma estratégia de partir para cima e sufocar a rival no início, assim como no primeiro encontro?

Anthony Pettis

Apesar de viver em péssima fase, Anthony Pettis garante que ainda.pode voltar a ser o melhor do mundo. O ex-campeão dos leves volta ao octógono contra Michael Chiesa pela divisão dos leves. O americano é sempre uma atração especial e atrai a atenção do público quando pisa no octógono.

Brasil no octógono

Renato Moicano é o único brasileiro escalado para o evento. O lutador encara Calvin Kattar em busca da 12ª vitória em 13 lutas na carreira. Moicano é top 15 da categoria dos penas e a única derrota de sua carreira foi para Brian Ortega, que vai disputar o cinturão da divisão contra Max Holloway em breve. Vale a torcida pelo brasileiro!

Comentários

Voltar