NBA

Russell Westbrook, agora, só na próxima temporada. Valeu, MVP!

Foto: Christian Petersen/Getty Images

Rockets confirmam prognósticos e eliminam o Thunder por 4-1 em Houston

Deu certa melancolia ver a classificação do Houston Rockets e a consequente eliminação do Oklahoma City Thunder na noite desta terça (25). O placar de 105×99 pró-Rockets em Houston já era esperado. A classificação por 4×1 de James Harden e companhia, de certa forma, também. Talvez o resultado mais lógico fosse um 4×2, mas aí apareceu um certo Nenê para acelerar o processo. Acelerar o processo e decretar: agora, para ver Russell Westbrook em quadra, só em outubro. Só na próxima temporada da NBA.

O que “Russ” fez com a bola laranja já está mais do que gravado na memória dos fanáticos. Está também nos livros de história. Falam que ele foi muito fominha, que o time jogava em função dele. Mas jogaria em função de quem? De Victor Oladipo?! Por favor!

O Oklahoma neste ano não foi um time propriamente dito – e isso torna o feito de Westbrook ainda mais especial. Ele vestiu a capa de super-homem, colocou a bola debaixo do braço e saiu colecionando triplo-duplos como quem juntava figurinhas. Foram simplesmente 43 triplos-duplos em 75 jogos neste épico 2016/2017. Quase 60% das partidas do OKC contaram com dois dígitos seus de pontos, rebotes e assistências. Não foi à toa que ele superou um dos recordes mais antigos da NBA – o de 1961, de Oscar Robertson e seus 41 “triple-doubles” daquele ano.

Nesta terça-feira, não foi diferente para Westbrook. Foi impossível acompanhar a partida contra o Houston e não se impressionar com seu esforço: Russ terminou o jogo com impressionantes 47 pontos, 11 rebotes e 9 assistências. Dos 99 pontos de Oklahoma, 47 saíram das suas mãos. Quase metade. Impressionante é pouco.

Apesar de impressionante e de atuar em uma liga onde os humanos não parecem humanos, Westbrook precisa descansar. E foi exatamente isso – o seu descanso – que decretou a quarta derrota do Thunder.

O Oklahoma vencia por cinco pontos no começo do último quarto: 77×72. Westbrook foi para o banco, e por apenas três minutos. Foi aí que o Houston aplicou o famoso “golpe de misericórdia”. Virou o jogo, abriu distância e só controlou. O placar do período final, aquele que começou sem Russ em quadra, escancara o que foi a série: 33×22 – 105×99 no fim de jogo.

Aos fãs do incrível camisa 0 do OKC, agora resta esperar junho e a confirmação de seu MVP da Temporada Regular. A chance de ele não receber esta designação é mínima. Se outro jogador faturar esta, seria mesmo para protestar e parar Wall Street.

Pelos lados dos Rockets, Nenê mais uma vez atuou bem e mostrou que pode seguir como uma importante arma na sequência dos playoffs. O pivô brasileiro de 34 anos foi responsável por 14 pontos e 7 rebotes nos 25 minutos que esteve em quadra nesta terça.

O desempenho de Nenê no jogo 4 acordou com o titular e astro dos Rockets, Clint Capela, que foi muito bem em rebotes (9) na partida 5, mas não tanto nos pontos (apenas 8). James Harden foi James Harden: 34 pontos, 8 rebotes e 4 assistências.

O Houston agora já se prepara para as semifinais do Oeste. Muito provavelmente contra o San Antonio Spurs, que mais uma vez deu conta – e fácil – do recado de vencer, em casa, o Memphis Grizzlies nesta terça por 116×103.

Os Spurs têm agora 3-2 na série, e a vantagem foi conquistada com um pesado jogo coletivo – provando que o San Antonio não é só Kawhi Leonard, que desta vez fez “só” 28 pontos. Foi o cestinha do time e da partida, é verdade, mas viu LaMarcus Aldridge liderar em rebotes (9).

 

Em 24 segundos…

…Jazz 3-2 Clippers. A vantagem foi conquistada com muito aperto na noite desta terça: o 96×92 segue indicando que teremos sete jogos.

…Blake Griffin faz muita falta ao Los Angeles, e isso ficou bem claro na derrota desta terça justamente em LA. O Jazz agora terá seu primeiro “match point” justamente em Utah, na sexta.

…A quarta-feira será decisiva, com duas séries que carregam muitas incertezas e um 2-2 difícil de imaginar a sequência.

Em Washington, os Wizards tentam impor o fator quadra. John Wall e companhia até aqui conseguiram sem muitos sustos. Foi 114×107 e 109×101 nos dois jogos realizados em casa contra os Hawks.

…Está com cheiro de 3-2 Wizards, mas também de jogo 7, assim como Jazz x Clippers.

…E em Boston, a continuação do dramático Celtics x Bulls, outro 2-2 que está com cara de 3×2 para o mandante (o Boston), mas com a ressalva de que tudo pode mudar mediante o bom desempenho do trio Wade-Butler-Lopez. Imperdível!

 

Confira os dois jogos da NBA nesta noite:

  • 19h00 – Washington Wizards x Atlanta Hawks (2-2)
  • 21h30 – Boston Celtics x Chicago Bulls (2-2)

 

Comentários

Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.