Ganhador.com

Fórmula 1

Mercedes não é mais a favorita? Hamilton precisa reagir rápido! Confira a prévia do GP do Canadá de F1

Foto: Mark Thompson/Getty Images

Quem acompanhou a Fórmula 1 nos últimos três anos cansou de ver os carros da Mercedes na liderança. Entretanto, as coisas em 2017 mudaram de figura. O que era um domínio total passou a ser uma briga ‘cabeça a cabeça’ com a Ferrari nas primeiras corridas do ano – isso até o GP de Mônaco há duas semanas. O que se viu nas ruas de Monte Carlo foi um passeio dos carros italianos do começo ao fim! Fato que levantou a pergunta: a Mercedes não é mais a equipe a ser batida? A resposta pode vir já no GP do Canadá – que acontece no próximo domingo (11), às 15h, nas ruas de Montreal.

Um bom desempenho dos britânicos na América do Norte é mais do que crucial para colocar panos quentes em uma equipe que segue de cabeça inchada após o fraco desempenho em Mônaco. Tanto que o austríaco Toto Wolff, diretor da Mercedes, declarou que hoje sua equipe não é mais a favorita. “Dói, mas não somos os favoritos neste ano para o título. Neste momento, é a Ferrari. Eles têm um pacote muito sólido e precisamos nos levantar para mostrar mais uma vez que somos a equipe a ser batida.”, ressaltou.

Wolff tem toda razão em dar o merecido crédito a escuderia italiana – a Ferrari trabalhou muito bem na última intertemporada e foi capaz de montar um carro extremamente veloz após as várias mudanças feitas pela nova organização em relação aos veículos. Se a intenção dos novos chefões da Fórmula 1 ao alterar tanto os carros era de nivelar as forças e acabar com a hegemonia da Mercedes nos últimos três anos foi um belo de um acerto. Será uma briga boa até o fim do campeonato! Agora, quem deve levar em Montreal? Confira:

 

Hamilton aposta em ‘segunda casa’ para voltar a vencer

Embora esta seja apenas a sétima corrida do calendário, não é exagero dizer que o GP do Canadá será decisivo para Lewis Hamilton. O sofrido sétimo lugar em Mônaco fez com que a distância para o líder Sebastian Vettel subisse para alarmantes 25 pontos – a maior em 2017. Se o britânico conseguir resolver o problema da aderência de pneus, o famoso ‘grip’, que o castigou tanto em Monte Carlo, ele tem tudo para dar a volta por cima em um circuito que pode ser considerado sua segunda casa.

Chega a ser assustador como o desempenho do “Inglês Voador” sobe no GP do Canadá – pouquíssimos pilotos da história conhecem tão bem as curvas do Circuito Gilles Villeneuve como ele. Hamilton é o segundo maior vencedor de todos os tempos com cinco vitórias e cinco poles – apenas atrás de um ‘tal’ de Michael Schumacher com sete triunfos. Foi justamente no Canadá, há dez anos, que o britânico conquistou sua primeira vitória na categoria. Se a Mercedes trabalhar duro e corrigir o problema da aderência ele é sério candidato a levantar o sexto caneco por lá.

 

“Hoje não! Hoje não! Hoje sim…”

Quem não se lembra da épica narração de Cléber Machado no GP da Áustria em 2002? Para quem não viveu essa época, Rubens Barrichello fez a pole position e liderou a corrida da primeira até a última curva – isso até a Ferrari dar a ordem para o brasileiro deixar o companheiro de equipe, Schumacher, ultrapassar e vencer a prova. O GP entrou para a história como um dos mais polêmicos de todos os tempos, e as críticas foram extremamente negativas. Acredite se quiser: os italianos voltaram a manipular o resultado de uma corrida no GP de Mônaco! Pelo menos dessa vez a mudança veio de uma forma mais discreta…

Apesar de nada oficial, ficou mais do que claro que a escuderia chamou Kimi Raikkonen, que liderava a prova, para um pit-stop muito antes do normal previsto – o que deu a chance a Sebastian Vettel, com pista livre e pneus ultramacios ainda em bom estado, ganhar a posição nos boxes e vencer a corrida. Apesar de ‘maquiada’, a manobra deixou evidente que o alemão é claramente o piloto número 1 da Ferrari. O clima após a corrida não estava nada amistoso nos boxes – resta saber qual será a reação do finlandês em solo canadense.

 

Uma festa canadense, com certeza

O GP do Canadá certamente será muito especial para o país! Além de 2017 marcar a 50ª edição do evento, é também o ano em que a cidade de Montreal faz 375 anos e o Canadá completa seu 150º aniversário! Para contribuir com a festa, o país terá depois de muitos anos de ausência um representante dentro da pista: Lance Stroll.

O garoto de 18 anos, companheiro de Felipe Massa na Williams, está em seu ano de estreia na Fórmula 1 e fará a primeira corrida de sua vida no ‘quintal de casa’. Será a primeira vez desde Jacques Villeneuve, campeão em 1997, que o país terá um representante no evento. Vale ficar de olho! Como esperar uma vitória está totalmente longe da realidade, vale ficar na torcida para o jovem buscar os primeiros pontos no campeonato. Voa, ‘muleque’!

 

Classificação do campeonato após seis corridas:

  1. Sebastian Vettel / Ferrari – 129 pontos
  2. Lewis Hamilton / Mercedes – 104 pontos
  3. Valtteri Bottas / Mercedes – 75 pontos
  4. Kimi Raikkonen / Ferrari – 69 pontos
  5. Daniel Ricciardo / Red Bull Racing – 52 pontos
  6. Max Verstappen / Red Bull Racing – 45 pontos
  7. Sergio Pérez / Force India – 34 pontos
  8. Carlos Sainz / STR Racing – 25 pontos
  9. Felipe Massa / Williams – 20 pontos

 

Comentários

Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar