UFC

Conor McGregor ou Floyd Mayweather? Saiba quem venceu ‘1º round’ em turnê mundial

FOTO: Divulgação/Showtime

A turnê mundial da superluta mais improvável dos últimos tempos chegou ao fim. Depois de passarem por quatro cidades em três países diferentes, Floyd Mayweather e Conor McGregor podem agora focar na fase final de suas preparações para o combate no boxe, que acontece no dia 26 de agosto, em Las Vegas (EUA). O trabalho promocional está 80% feito. Provocações, encaradas e polêmicas agitaram a semana e turbinaram o interesse público no duelo. Mas a pergunta que fica é: quem saiu na frente após a turnê ?

Antes de mais nada, é bom lembrar que encaradas, coletivas de imprensa e a postura dos rivais antes de uma luta oferecem uma prévia do que esperar dos lutadores dentro do ringue muitas vezes. E neste caso McGregor parece ter “pontuado” mais que seu rival. Foi um “duelo” equilibrado, tratando-se de dois astros do trash-talk, mas deve se levar em consideração que Conor experimentou tais situações pela primeira vez, e ainda assim se colocou à altura da lenda do boxe, algo difícil de se acreditar dentro do ringue.

Foram quatro dias de turnê mundial, com provocações, polêmicas e encaradas. Além de um exagero de ofensas, a ostentação ao dinheiro também deu o tom da rivalidade, e as previsões para a luta deram um toque de curiosidade. Todos esses aspectos foram muito bem exercidos por Floyd e Conor , craques do famoso “trash-talk”. Mas vamos a pontuação “round a round”:

Los Angeles (EUA) – Floyd Mayweather

No primeiro dia de turnê, McGregor não sabia nem que teria de fazer um discurso. O irlandês se saiu bem no improviso, como sempre, e gastou mais tempo expressando sua alegria por estar ali do que provocando o rival. Mas Mayweather surpreendeu mostrando um lado provocador muito pouco conhecido e “saiu por cima”, já que Conor teve o microfone cortado durante o discurso do americano e pouco pôde fazer. Na encarada, a impressão que ficou é que McGregor sentiu ali que estava em um mundo (o do boxe) diferente e fora de seu domínio.

Toronto (CAN) – Conor McGregor

Bastou um dia para que o irlandês mostrasse mais uma vez seu poder e inteligência para se ajustar a situações difíceis. Com o apoio quase que total dos milhares de fãs da Budweiser Arena, Conor “massacrou” Floyd com sacadas inteligentes, respostas rápidas e com uma atitude que mostra sua expressividade. Não satisfeito em garantir que teria um microfone funcionando a todo tempo, o campeão do UFC confrontou os dirigentes da Showtime, que gerencia o show e disse que “sempre que tentarem pegá-lo de guarda baixa ele sairá por cima. Dito e feito. Isso sem contar no poder de influência desempenhado pelo irlandês, que puxou um coro ensurdecedor de “F…-se os Mayweathers” junto aos fãs, fazendo o rival se sentir em território hostil.

Nova York (EUA) – Floyd Mayweather

No dia mais bizarro da turnê, os lutadores passaram dos limites. Um excessivo número de ofensas, falta de criatividade , um princípio de confusão e declarações racistas marcaram o show. McGregor pecou ao se defender do assunto racismo com uma piada baixa. Floyd fez uma chuva de dinheiro no irlandês e convocou seus seguranças para confrontarem Conor, que foi defendido por sua equipe em uma confusão ridícula de se ver. Nesse dia, o americano contou com um apoio mais respeitável, mas ainda assim menor que o recebido por Conor. Ele se saiu melhor no geral.

Londres (ING) – Conor McGregor

Novamente com um apoio quase que total do público presente para assistir a coletiva, Conor dominou o show. Com boas sacadas, o irlandês foi ousado ao sacudir a cabeça do rival, ser destemido na hora da encarada e rebater de forma rápida as provocações de Floyd. Acompanhado de Dana White todos os dias, McGregor teve melhores argumentos contra Mayweather e finalizou a turnê por cima.

Somando todos os encontros, Conor McGregor saiu na frente. Eu diria que o duelo ficou empatado, mas é bom lembrar que o irlandês adentra um novo mundo, onde a promoção responsável pelo show se mostra a favor de Mayweather em diversos momentos. Ele não “enfrenta” apenas Floyd, mas também dirigentes que chegaram a cortar seu microfone no primeiro dia. E McGregor mostrou diante de tantas situações adversas estar preparado para ser o mesmo astro destemido que brilha no UFC. E diante de um desafio tão grande que é pisar no ringue contra um dos maiores boxeadores de todos os tempos, ter coragem e não sucumbir a uma pressão incalculável é um ponto para lá de positivo a favor de Conor McGregor.

Comentários

Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar