Ganhador.com

Força Chape

Chapecoense reconstrói seu time com atletas habituados ao clima familiar

Foto: AP Photo/Andre Penner

Novo time da Chape estreia em amistoso contra o Palmeiras nesse sábado

A tragédia abalou o mundo inteiro, mas agora é hora de secar as lágrimas e reconstruir. Enquanto os demais clubes brasileiros buscam reforços para suas equipes, os dirigentes remanescentes da Chapecoense receberam a difícil missão de reestruturar completamente o time, após o acidente de avião que aconteceu na viagem de ida até Medellín, na Colômbia, onde disputariam a final da Copa Sul-Americana contra o Atlético Nacional.

Em 2017, a Chapecoense disputará a Copa Libertadores da América, que reúne os melhores times da América do Sul. Preparar-se para ela é uma árdua missão. Além disso, também compete nos seguintes torneios: Campeonato Catarinense, Campeonato Brasileiro, Copa do Brasil, Primeira Liga, Recopa e Copa Sul-Americana. Precisará de um time titular realmente forte, e um excelente apoio dos reservas, que é para aguentar o tranco das mais de 70 partidas. E está montando esse novo elenco com agilidade impressionante!

 

Quem são e de onde vêm os novos atletas da Chapecoense

Do time que alcançou a final da Copa Sul-Americana em 2016, restam apenas cinco jogadores. Os zafueiros Neto e Alan Ruschel foram resgatados dos destroços do avião. No momento fazem fisioterapia e esperam poder voltar aos gramados ainda este ano. A garra deles serve como inspiração para o resto do time. Moisés, Martinuccio e Neném não estavam escalados para o jogo contra o Atlético Nacional, por isso permaneceram a salvo no Brasil e agora se unem na reconstrução.

Ao receber a notícia da tragédia, diversos clubes brasileiros se prontificaram a contribuir com a reestruturação, por meio do empréstimo de jogadores. E vários deles cumpriram a promessa, deixando à disposição atletas de alto nível, sem custos. Em alguns casos, o time que empresta vai inclusive arcar com parte do salário dos jogadores. São quinze: Douglas Grolli e Fabrício Bruno (Cruzeiro), Elias (Juventude), Dodô (Atlético-MG), Reinaldo (São Paulo), Luiz Otávio e Osman (Luverdense), Moisés Gaúcho (Grêmio), Túlio de Melo (Sport), Luiz Antônio (Flamengo), Wellington Paulista (Fluminense), Arthur (Londrina), Nathan, João Pedro e Amaral (Palmeiras).

A diretoria está sendo bastante cautelosa ao aceitar auxílio. Em primeiro lugar, porque sabe que precisa de atletas realmente bons, e não das sobras dos outros times. Em segundo, porque preza não apenas pelo bom rendimento, como também pela afinidade dos atletas com a Família Chape. Pela lista, podemos ver a preferência por jogadores que já possuem alguma ligação com Santa Catarina. Douglas Grolli foi formado na base da Chape. Túlio de Melo escolheu o Verdão do Oeste em seu retorno ao Brasil em 2015. Nathan jogava pelo Criciúma. Dodô, pelo Figueirense. Estão prontos para jogarem futebol de alto nível e para serem abraçados pelo time familiar.

Apesar de aceitar ajuda, a diretoria da Chape sabe que não pode contar apenas com empréstimos. Precisará se esforçar para voltar a andar com as próprias pernas. Por isso, já fechou a contratação de mais nove jogadores. Dois brasileiros que atuavam fora do país: Arthur Moraes (Osmanlispor-Turquia) e Andrei Girotto (Kyoto Sanga-Japão), o uruguaiano Emilio Zeballos (Defensor-Uruguai), além de Niltinho (Criciúma), Lucas Marques (Internacional), Nadson (Paraná), Rossi (Goiás), Diego Renan (Vitória) e Gabriel Busanello (União Frederiquense). Mais uma vez, vemos a forte presença de jogadores com raízes sulistas.

Foi de propósito que deixei para falar dos garotos da base por último. Na realidade, eles foram os primeiros a serem cotados para vestir a camisa dos guerreiros que se foram. Podem não ter a experiência ou a reputação dos demais reforços do time, mas possuem algo que é tão importante quanto: o sentimento de estar em casa e de fazer parte de uma família, o que deve ser transmitido aos demais. Ninguém joga futebol sozinho. É um esporte de equipe. Um clube não é um estádio de futebol, não são as camisetas, não é o brasão, e sim as pessoas que fazem parte dele. E estes onze rapazes são a Chapecoense: Luiz Felipe, Guarapuava, Hiago, Scalon, Gabriel, Andrei, Lucas Mineiro, Bryan, Lourency, Pedro Perotti e Wesley Natã.

O time está formado. Agora, com garra e união, e contando a liderança do técnico Vágner Mancini, eles irão honrar o legado daqueles que tanto orgulharam a Família Chapecoense.

 

Amistoso Chapecoense x Palmeiras

Nesse sábado, a Arena Condá estará mais verde do que nunca.

O Palmeiras foi o último time a ser enfrentado pela Chapecoense antes da tragédia — ocasião em que o Palestra se sagrou Campeão Brasileiro de 2016 —, e será também o adversário de estreia da nova formação da equipe catarinense. Fecha-se um ciclo.

O amistoso acontece no dia 21 de janeiro de 2017, às 16h30, na Arena Condá, e será transmitido por canais de televisão de nove países. A renda será toda revertida para o clube catarinense e para as famílias das vítimas. De acordo com a organização do evento, todos os setores do estádio permitirão torcidas mistas. Você pode comprar o seu ingresso aqui.

Que o verde de Chapecó signifique esperança, e que sirva para acalentar os corações pesarosos.

 

Comentários

1 Comentário

1 Comentário

  1. Pingback: Chapecoense x Atlético Nacional fazem a final da Recopa Sul-Americana na Arena Condá | Ganhador.com

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar