Ganhador.com

Boxe

Boxe: em duelo de invictos, Thurman e Garcia põem em jogo títulos da AMB e CMB

Foto: Harry How/Getty Images

Luta entre os campeões é tida como um dos maiores combates entre meio-médios dos últimos tempos nos Estados Unidos.

Para os fãs de boxe, o confronto ansiosamente esperado entre os norte-americanos Keith Thurman e Danny Garcia, no próximo sábado (4), no Barclays Center, no Brooklyn (NY), é visto como uma batalha rara e épica de campeões invictos da categoria meio-médio. Afinal, os dois pugilistas colocarão em jogo a unificação dos cinturões da Associação Mundial de Boxe (AMB) e do Conselho Mundial de Boxe (CMB).

O cartel de ambos mostra trajetórias invejáveis. De um lado, Thurman, com vitórias nas 27 lutas disputadas em sua carreira profissional, sendo 22 por nocaute. No outro canto do ringue, estará Garcia, que venceu todos os 33 combates que participou, quando nocauteou seus adversários em 19 ocasiões. O duelo é encarado como um dos mais imprevisíveis dos últimos tempos, dado o enorme equilíbrio.

Para se ter uma ideia, a luta entre os dois pugilistas americanos (vistos como dois dos melhores do mundo na atualidade), é apenas o terceiro encontro entre meio-médios invictos, na história do boxe, em um evento de unificação de títulos. O primeiro aconteceu há 31 anos, entre Donald Curry, que bateu Milton McCrory por nocaute, no round 3 – unificando os cinturões da AMB e da Federação Internacional de Boxe (FIB). Em 1999, Felix Trinidad venceu o lendário Oscar De La Hoya por decisão dos juízes, que valeu a junção dos títulos do Conselho Mundial de Boxe (CMB) e da FIB.

 

RAIO-X da luta: THURMAN Vs. GARCIA

Thurman vem de uma grande vitória no ano passado, também no Barclays Center, contra Shawn Porter. No entanto, foram poucos os desafiantes de peso nos últimos tempos. Mas a confiança dele é grande, apesar de saber do grande desafio que tem pela frente.

“Eu sei que Danny (Garcia) está confiante de entrar nesta luta. Ele está tentando me desafiar e me machucar. Podem esperar um combate de classe mundial. Somos ambos grandes campeões com habilidades impressionantes. Eu me vejo como o lutador mais inteligente. Tenho um “0” (invencibilidade) e não estou disposto a perdê-lo. Se ele acha que pode me bater, que me vença”, afirmou Keith Thurman.

Já Danny Garcia foi mais ponderado nas considerações, mas sem deixar de mostrar entusiasmo na vitória.

“No final do dia, eu me preparo para estar 100% pronto para qualquer coisa. Sou um verdadeiro campeão porque sou capaz de me adaptar a tudo o que ele (Thurman) pode trazer. O campo de treinamento tem sido crucial. Estamos trabalhando duro e nos forçando até o limite. Fizemos tudo o que temos que fazer até agora”, disse Garcia.

Thurman traz algumas vantagens nesta luta. Por exemplo, o fato de ele ter triunfado em 82% dos duelos por nocaute, enquanto o aproveitamento de seu desafiante é de 57%. No que diz respeito à percepção do público e da mídia, Danny Garcia é uma espécie de vilão no mundo do boxe. Já Keith Thurman é muito bem avaliado. Trata-se de um fator importante, pelo menos em termos de como as pessoas pensarão sobre o lado em que vão estar. E, provavelmente, Thurman contará com mais pessoas torcendo por ele.

Em um encontro de unificação entre dois lutadores inabaláveis, ambos ainda duelando como se tivessem algo a provar, sem falar na ambição de serem reconhecidos como os melhores do mundo, podemos sempre esperar o ápice. Thurman será o adversário mais duro de Garcia desde Matthysse, e Danny terá seu maior desafio dos últimos tempos.

Keith está com moral em alta, depois da decisão emocionante por unanimidade sobre Porter. Já Garcia teve uma ascensão constante na categoria, quando venceu grandes lutas, como o já mencionado triunfo sobre Lucas Matthysse, em 2013, que provou que ele era o melhor meio-médio júnior do mundo – na época. Há pouco mais de um ano, também conquistou a coroa do CMB por decisão unânime sobre Robert Guerrero.

Danny Garcia tem desfrutado de seu status e sucesso como um campeão mundial. Às vezes, o holofote suaviza um lutador. Contra Thurman (um ano mais novo), ele terá que provar que ainda tem a fome que o ajudou a alcançar suas muitas realizações. Portanto, além do confronto de sábado ser um desafio de alto nível entre dois excelentes boxeadores, a luta também irá mostrar se o rico e bem-sucedido Garcia ainda tem o desejo e a capacidade de lutar no nível que fez dele um grande campeão. Com quase 29 anos, ele estará diante, pela primeira vez, de uma verdadeira encruzilhada.

Depois de tudo o que foi dito, é complicado determinar um favorito. Mas as cotações para o combate podem ajudar a indicar um caminho.

Odds: Keith Thurman (1.44), Danny Garcia (2.75).

 

Comentários

Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar