Ganhador.com

Fórmula 1

Rosberg vence o GP da Itália de F-1 e paga 4 vezes o valor apostado

Não deu para o inglês Lewis Hamilton. Líder da temporada e favorito disparado para ganhar o GP da Itália de Fórmula 1, o inglês pagava R$ 1,25 a cada R$ 1,00 apostado em seu triunfo. Mas quem saiu de Monza com a vitória foi o seu companheiro de Mercedes, o alemão Nico Rosberg.

Largando em segundo, Rosberg assumiu a ponta logo na primeira curva e rumou tranquilo para a vitória. Seu triunfo fez a festa dos investidores. O alemão devolveu R$ 4,00 a cada R$ 1,00 apostado, segundo as estatísticas do Oddsshark.com/br.

Hamilton, o segundo colocado, e o alemão Sebastian Vettel, da Ferrari, o terceiro, subiram ao pódio que em Monza é sempre muito especial por contar com a invasão de pista da fanática torcida da Ferrari na Itália.

Os cinco primeiros lugares foram completados também pelo finlandês Kimi Raikkonen (quarto) e o australiano Daniel Ricciardo (quinto).

Hamilton foi derrubado por uma péssima largada. O inglês despencou de primeiro para sexto antes na primeira curva, mas escalou as posições até chegar à segunda posição. Não teve chance de vitória porque o companheiro Rosberg já estava muito à frente. O ritmo forte de Lewis durante a prova não surpreendeu, tanto que sua pole-position no sábado pagou apenas R$ 1,57 a cada R$ 1,00 apostado.

O fator Ferrari

A Mercedes está tão à frente das demais equipes nesta temporada que uma interessante possibilidade aos apostadores é prever quem será o “primeiro colocado” imediatamente depois das Flechas de Prata.

Nesta opção, a escolha em Monza por Sebastian Vettel rendeu R$ 1,66 a cada R$ 1,00 apostado, segundo os dados do Oddsshark.com/br. Prova de como tal possibilidade merece atenção dos investidores nas sete provas daqui por diante, a lista de favoritos antes do GP da Itália foi exatamente a verificada na classificação final da corrida. Depois de Vettel vieram, nesta opção de apostas (sem a Mercedes), Kimi Raikkonen (R$ 3,00), Daniel Ricciardo (R$ 8,00), Valtteri Bottas (R$ 8,00) e Max Verstappen (R$ 17,00), respectivamente terceiro, quarto, quinto e sexto colocados em Monza.

A leitura que se faz de tal resultado é que a ordem de forças da Fórmula 1 está tão consolidada que qualquer imprevisto pode fazer uma aposta vantajosa ser concretizada. A prova de Monza não registrou nenhuma delas, é verdade, mas a próxima corrida, daqui a duas semanas, na pista de rua de Cingapura, rende sempre corridas acidentadas. Esta opção já é, desde cedo, uma excelente possibilidade a quem optar por este tipo de aposta.

Corrida morna, por isso lucrativa

Quem acompanha a Fórmula 1 sabe que o GP da Itália dificilmente conta com paralisações ou entradas do safety-car. Seja pelo traçado simples ou pelas áreas de escape muito largas, a prova de Monza é sempre uma das mais rápidas e tranquilas do calendário. A corrida deste domingo durou 1h17min e não contou com a entrada do carro de segurança, rendendo, apenas por isso, R$ 2,10 a cada R$ 1,00 investido pelos apostadores.

Raro equilíbrio

A sete provas do fim da temporada, o campeonato está imprevisível como poucas vezes se viu nos 66 anos de história da Fórmula 1 até aqui.

Hamilton segue na liderança do Mundial de Pilotos, mas sua diferença para Rosberg agora é de apenas dois pontos. O inglês soma 250. O alemão, 248. E ambos dividindo a mesma equipe Mercedes. Restam 175 pontos em disputa até o final da temporada.

Se há equilíbrio na classificação, nas cotações o favoritismo é muito amplo a favor de Hamilton, que tenta, neste ano, seu quarto título na Fórmula 1. Em caso de conquista de Rosberg, seria seu primeiro campeonato.

Se o inglês ficar novamente com a taça, pagará apenas R$ 1,22. Já o título de Rosberg rende ótimos R$ 4,22 a cada R$ 1,00 apostado, segundo o levantamento do Oddsshark.com/br.

Outra interessante aposta que se apresenta até o fim do ano é para prever a de segunda força da Fórmula 1. Por enquanto, o favoritismo é da Red Bull (R$ 1,40), mas a Ferrari (R$ 2,75), de tão boa participação em Monza, surge com potencial para confirmar a lucrativa aposta.

As sete corridas que restam para o fim do campeonato são essas:

18 de Setembro – GP de Cingapura, em Marina Bay
2 de Outubro – GP da Malásia, em Sepang
9 de Outubro – GP do Japão, em Suzuka
23 de Outubro – GP dos EUA, em Austin
30 de Outubro – GP do México, em Hermanos Rodríguez
13 de Novembro – GP do Brasil, em Interlagos
27 de Novembro – GP de Abu Dhabi, em Yas Marina

Comentários

Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar