UFC

Favoritos fazem a festa em UFC Fight Night 93 e geram retorno modesto aos investidores

O UFC Fight Night 93, realizado nesse sábado (3) em Hamburgo, na Alemanha, não foi dos mais saborosos para os investidores que colocaram suas fichas no evento. Isso porque a maioria dos vencedores eram os favoritos, e o evento não gerou um retorno tão volumoso aos apostadores. Foi o caso da luta principal da noite, entre os pesos pesados Andrei Arlovski e Josh Barnett.

Dois veteranos do MMA, ambos atletas já conquistaram o cinturão do Ultimate no passado e estavam buscando se recuperar de recentes derrotas. E quem levou a melhor foi o americano. Após um primeiro round onde Arlovski conseguiu uma queda e controlou o adversário, o gigante americano se aproveitou de uma nova tentativa de queda do bielorrusso para pegar as costas e passar mais de dois minutos batendo no rival.

Os ferimentos abalaram Andrei Arlovski, que voltou para a terceira etapa cansado e deixou brechas para Josh Barnett finalizar com um estrangulamento e se recuperar do último revés sofrido para Ben Rothwell em janeiro deste ano. Com um cartel mais consistente nas últimas lutas, o americano já era considerado favorito. De acordo com informações do site de estatísticas ‘OddsShark.com/br’, uma vitória do atleta de 38 anos pagou R$ 1,64 por cada real apostado, enquanto que se Arlovski vencesse esse índice seria de R$ 2,23.

Na segunda luta mais aguardada da noite, o atual número 2 do ranking dos meio-pesados (93 kg) era ainda mais favorito do que o peso-pesado do duelo principal. Ainda assim, Alexander Gustafsson vinha bastante pressionado para derrotar Jan Blachowicz. Isso porque o sueco acumulou duas derrotas seguidas para Daniel Cormier e Anthony Johnson e caso vacilasse diante do polonês ficaria extremamente distante do cinturão da categoria – e muito mais próximo de uma possível demissão.

Mas Gustafsson deu show de estratégia. Após um primeiro round complicado, onde foi pior nos primeiros minutos, o sueco achou seu jogo ao colocar o adversário para baixo e castigá-lo com seu ground and pound poderoso para reverter a parcial. Foi assim durante os 15 minutos de luta. Não querendo dar chance ao azar, sempre que Alexander Gustafsson enxergou uma brecha, colocou seu adversário de costas para o chão e aproveitou para golpeá-lo.

O resultado não poderia ser outro: vitória de Gustafsson por decisão unânime dos juízes laterais. Quem não gostou muito desse resultado foi o apostador que colocou suas fichas no azarão da noite. Uma vitória do atleta polonês pagaria ótimos R$ 5,58 por real apostado. Mas era difícil e não deu realmente. O triunfo do sueco gerou um retorno bem menos atrativo: apenas R$ 1,14 por real investido. No entanto, era um resultado bem previsível e, portanto, um investimento de baixo risco.

Brasileiros sucumbem diante de europeus

A noite foi bastante infeliz para o Brasil. Com dois representantes no card alemão, tanto Leandro ‘Brodinho’ Issa quanto Leandro ‘Buscapé’ deixaram o octógono mais famoso do mundo com mais uma derrota para seus respectivos cartéis. Os dois, aliás, agora correm risco de passarem no RH do UFC e não voltarem a lutar pelo Ultimate.

Buscapé foi o primeiro atleta a entrar em ação. Diante do russo Rustam Khabilov, o paulista começou melhor, mas logo cadenciou o combate e passou a abusar da espera para o contragolpe. O brasileiro foi apático e pouco efetivo, sempre esbarrando no mais estratégico rival que fez apenas o necessário para garantir a melhor nas parciais seguintes com quedas para “roubar” os rounds. Luta fraca, decidida nos detalhes, e que deixa Buscapé em perigo após o segundo tropeço seguido no octógono.

O paulista pegou a luta de última hora em substituição a Reza Madadi e, por isso, era considerado razoavelmente azarão. Ainda de acordo com o site ‘OddsShark.com/br’, uma vitória de Buscapé poderia pagar até R$ 4,45, mas o triunfo de Khabilov pagou modestos R$ 1,21.

Assim como Buscapé, Brodinho era azarão nas casas de apostas. No entanto, o favoritismo do de Taylor Lapilus era menos agressivo e quem apostou no francês conseguiu levar para casa R$ 1,63 por real investido. Um número equivalente ao que Josh Barnett fez seus investidores faturarem.

Além de não ter saído da Alemanha com a vitória, Leandro Issa corre sério risco de ser demitido. Com duas derrotas seguidas no Ultimate, o brasileiro chegou a um número de três reveses e apenas um triunfo no torneio. Para piorar, a apresentação do atleta especialista em jiu-jitsu deixou muito a desejar. Insistindo em tentativas de quedas, Brodinho arrancou vaias dos locais e ficou rapidamente cansado. Lapilus não quis se arriscar e controlou os três rounds para levar a melhor por decisão unânime dos árbitros laterais.

Comentários

Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.