UFC

Por que Israel Adesanya escolheu Yoel Romero como rival no UFC 248

Israel Adesanya é o campeão dos médios do UFC
Foto: Divulgação / UFC

Uma das perguntas a serem feitas ao se deparar com a luta principal que se aproxima no UFC 248 é: por que raios Israel Adesanya escolheu Yoel Romero para sua primeira defesa de cinturão na categoria dos médios? O campeão tinha outras opções menos ameaçadoras à disposição, mas fez questão de escolher um cubano de 42 anos medalha de prata nas Olimpíadas de 2000 competindo no wrestling, uma verdadeira montanha de músculos conhecido pelo presidente do UFC como o único lutador do plantel que “ninguém pede para enfrentar”. Mas é exatamente “ir contra a maioria” que Adesanya quer. Ele gosta de se testar, se arriscar e assim engrandece seu legado, que apesar de novo já é brilhante e tem um potencial absurdo.

Saque em

1-2

Dias

R$200

Bônus

+4

Saque em 1-2 - Dias

Saque em

1-2

Dias

100%

ATE

$1,000

Saque em 1-2 - Dias

Saque em

1-2

Dias

Transmissão

ao Vivo

Saque em 1-2 - Dias

Saque em

1-2

Dias

R$150

Bônus

+3

Saque em 1-2 - Dias

Saque em

1-2

Dias

100%

ATE

$600

Saque em 1-2 - Dias

Saque em

1-2

Dias

100%

ATE

$1,000

Saque em 1-2 - Dias

Saiba como apostar no UFC 248

Embora seja favorito no Bodog, Adesanya tem pela frente um grande desafio diante de Romero.

Em entrevista ao Yahoo Sports, Adesanya explicou o motivo de ter escolhido Romero como primeiro desafiante ao cinturão dos médios. “Basicamente ele é o cara. que ninguém quer enfrentar, e isso me faz querer enfrentá-lo ainda mais. Quero saber por que todo mundo tem tanto medo desse humano? Ele é humano, No fim das contas, ele é apenas mais um cara que sangra se você cortá-lo. Ele sua, ele cansa… Eu não canso” , disparou o campeão, esbanjando confiança.

Israel Adesanya deposita muito da sua confiança em seu jogo. Ele tem base no kickboxing, se movimenta bem e garante: Romero não será capaz de tocá-lo. Se, de fato, ele conseguir ficar longe do cubano, ele terá êxito em sua estratégia. O nigeriano sabe muito bem usar sua envergadura, tem um nível elevadíssimo no kickboxing e vive grande fase. O cubano tem no wrestling sua maior arma. O problema é que nas últimas lutas ele tem deixado de lado o jogo de derrubadas, uma vez que confia muita em sua trocação. Se ele valorizasse mais seu talento na luta olímpica, a missão de Israel seria mais difícil, mas vide as últimas apresentações é mais fácil acreditar que o cubano vai tentar trocar de pé e vai se atrasar.

A escolha de Romero por Adesanya tem também um valor especial. Ser campeão e escolher a luta mais difícil, nos dias de hoje, é algo louvável. O comum seria o dono do cinturão aceitar o duelo menos arriscado, mais seguro. Pedir para encarar o duelo mais difícil à mesa é um recado ao mundo: você não teme a ninguém. E no fim das contas, é assim que um campeão deve se portar. Ele, sim, deve ser o lutador mais temido. Quando você é o campeão, desafia um rival duro e temido, vai lá e vence, o respeito conquistado é gigante. Você tá assumindo a bronca e bancando a vitória por confiar mais em si do que qualquer coisa.

Amante de desenhos animados, talvez Israel Adesanya já tenha visto Dragon Ball Z. Pra quem não tá ligado, o desenho japonês contava com personagens que tinham níveis diferentes de KI (poder de luta). E uma característica dos personagens que queriam aumentar seu poder de luta era exatamente enfrentar rivais fortes, para que ao final de cada luta eles pudessem elevar seu KI. Quanto mais difícil a batalha, melhor um lutador fica. E por mais louco que seja usar um desenho como referência, talvez Dragon Ball Z seja uma das inspirações de Adesanya, assim como é Naruto, por exemplo.

Seja lá qual for a motivação, deve ser louvada a atitude de Israel Adesanya optar pela luta mais difícil disponível. Isso, sim, é o que pode ser chamado de “atitude de campeão”.

Comentários

Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.