Ganhador.com

UFC

Deiveson Figueiredo chega como favorito para revanche com Benavidez no UFC

Deiveson Figueiredo MMA
Foto: Divulgação / UFC

Depois da confirmação de José Aldo e Gilbert Durinho em duas das três disputas de cinturão que acontecem no UFC 251, dia 11 de julho, a maior organização de MMA do planeta oficializou a revanche entre Deiveson Figueiredo e Joseph Benavidez, que vale o título vago da categoria dos moscas. O brasileiro terá a chance de colocar as mãos no cinturão inédito para o Brasil no dia 18 de julho, em Abu Dhabi, na “Ilha da Luta”. Deiveson é o favorito pra vencer o combate e se tornar o novo campeão.

Saque em

1-2

Dias

R$200

Bônus

+4

Saque em 1-2 - Dias

Saque em

1-2

Dias

100%

ATE

$1,000

Saque em 1-2 - Dias

Saque em

1-2

Dias

Transmissão

ao Vivo

Saque em 1-2 - Dias

Saque em

1-2

Dias

R$150

Bônus

+3

Saque em 1-2 - Dias

Saque em

1-2

Dias

100%

ATE

$600

Saque em 1-2 - Dias

Saque em

1-2

Dias

100%

ATE

$1,000

Saque em 1-2 - Dias

Saiba como apostar no UFC

Segundo o Bodog, a vitória de Deiveson rende 41% de lucro aos investidores se ele vencer, enquanto o possível triunfo do azarão alcança um rendimento de até 190%.

Deiveson e Joseph se enfrentaram em fevereiro, pelo UFC Norfolk. O confronto valia o título vago deixado por Henry Cejudo na categoria até 56kg. O problema é que apesar da vitória espetacular por nocaute no segundo round contra o americano, o brasileiro não levou o cinturão pra casa. O motivo? Ele excedeu em 1,1kg o peso limite pra disputa de cinturão e assim ficou elegível ao posto de campeão, independente do resultado da luta.

Benavidez deve chegar para o reencontro mais preparado, ele é um atleta técnico, mas não parece ser páreo para o “Deus da Guerra”. Aos 32, Figueiredo acumula um cartel de 18 vitórias e apenas uma derrota em sua trajetória no MMA. No octógono, já são três triunfos em sequência desde que ele conheceu o sabor da derrota contra o compatriota Jussier Formiga. Seu estilo agressivo e seu jogo completo, além, claro, da vitória no primeiro encontro, fazem dele o mais cotado para vencer.

Os tabus

Além de Deiveson Figueiredo, José Aldo, Gilbert Durinho também entra em ação em disputas de cinturão. O brasileiro luta pelo título dos meio-médios contra Kamaru Usman. As vitórias de Aldo e Durinho podem representar a retomada da hegemonia do Brasil no UFC e a quebra de alguns feitos. Há três anos o Brasil não tem um homem campeão do UFC. O país não conta com três campeões de forma simultânea no UFC desde 2015. E, por fim, se ambos faturarem os dois títulos em jogo no UFC 251, o Brasil volta a ter quatro cinturões em posse ao mesmo tempo no UFC, já que Amanda Nunes é campeã peso-galo e peso-pena do Ultimate. Isso não acontece desde 2012, quando o país tinha Anderson Silva, Júnior Cigano, José Aldo e Renan Barão como campeões.

Comentários

Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar