UFC

Por que Max Holloway é favorito para vencer Dustin Poirier no UFC 236

Max Holloway é o atual campeão dos penas do UFC
Foto: Divulgação / UFC

A luta principal do UFC 236, que acontece no próximo dia 13 de abril, em Atlanta (EUA), é uma revanche. De um lado, Max Holloway, que pode se tornar o novo campeão duplo da organização – ele deixa a categoria dos penas, da qual é dono do cinturão para disputar o título interino dos leves; do outro, Dustin Poirier, top da categoria dos leves que chega embalado em busca do primeiro cinturão do UFC. Mesmo tendo perdido a primeira luta, Holloway é o grande favorito para conquistar o título, gerando 40% de lucro, segundo o Bodog. E não é difícil entender tamanho favoritismo.

Melhores sites de apostas

Saque em

1-2

Dias

R$200

Bônus

+4

Saque em 1-2 - Dias

Saque em

1-2

Dias

R$150

Bônus

+3

Saque em 1-2 - Dias

Saque em

1-2

Dias

Transmissão

ao Vivo

Saque em 1-2 - Dias

Saque em

1-2

Dias

R$200

Bônus

+2 More

Saque em 1-2 - Dias

Saque em

1-2

Dias

R$777

Bônus

+8 More

Saque em 1-2 - Dias

A primeira luta entre Max e Dustin aconteceu em fevereiro de 2012, no UFC 143. Naquela noite, quando ambos ainda eram jovens promessas do MMA – era a estreia de Holloway no UFC, enquanto Poirier já fazia sua quarta luta no evento – Dustin foi o melhor e venceu por finalização no primeiro round. De lá para cá, sete anos se passaram. Max lutou 18 vezes, venceu 16 lutas, se tornou campeão dos penas do UFC, defendeu o cinturão da categoria por duas vezes e atualmente sustenta a sequência de 13 vitórias consecutivas no UFC. Já Poirier, fez 17 aparições no octógono, perdeu quatro lutas, venceu 12 e teve um No Contest (luta sem resultado). A grande diferença entre um e outro é que enquanto Max chegou a um nível de evolução no MMA suficiente para se manter vencendo, Dustin, embora esteja em boa fase, perdeu lutas decisivas na busca pelo título da categoria.

O restrospecto e momento atual fazem Holloway chegar como favorito mesmo em nova categoria. Atual campeão dos penas (até 65,8kg), o havaiano vai disputar o cinturão interino dos leves (até 70kg). Será uma experiência nova para o campeão. Ele faz agora o que Dustin fez no passado. Poirier fez sua carreira como peso leve, até chegar ao UFC e estrear nos penas. Ele só voltou aos leves em abril de 2015, quando nocauteou Carlos Diego Ferreira. Na divisão, ele venceu oito das dez lutas que fez.

Vale lembrar que Holloway esteve perto de estrear nos leves em abril do ano passado, quando Tony Ferguson se lesionou e saiu da disputa de cinturão contra Khabib Nurmagomedov no UFC 233. O havaiano foi convocado, chegou a participar de uma coletiva de imprensa com o russo, mas acabou vetado pela comissão atlética de Nova York e não pôde enfrentar Khabib.

Como peso-pena, Holloway caminha a passos largos para se tornar um dos maiores lutadores de todos os tempos. Depois de destronar José Aldo com dois nocautes, o havaiano teve uma performance antológica contra Brian Ortega, em sua última apresentação. Bom de porrada, provocador, resistente e versátil, o Holloway peso leve tem tudo para ser ainda mais cruel. O único perigo é, mais pesado, Max perder velocidade, um de seus pontos fortes.

Poirier é o terceiro colocado no ranking oficial dos leves. Ele vem de vitórias (todas por nocaute) emocionantes contra Anthony Pettis, Justin Gaethje e Eddie Alvarez. Essa sequência o impulsionou para fazer parte do combate que define o próximo rival de Khabib Nurmagomedov no UFC.

Poirier é mais baixo que Holloway, mas tem uma envergadura maior. O americano tem um boxe muito bom e tem poder de nocaute. É um confronto que tem tudo para ser uma candidata a “luta do ano”. Outra coisa que pesa na hora de tratar Dustin como azarão é o tempo inativo. Ele lutou pela última vez em julho do ano passado, enquanto Holloway lutou em dezembro. Sem contar que Dustin nunca lutou cinco rounds na carreira. Max também não, mas nas últimas seis lutas, o havaiano soma mais de 93 minutos em ação no octógono, enquanto Poirier acumulou nas últimas seis apresentações quase 63 minutos. É uma diferença grande.

Holloway não tem pressa. É aquele lutador que vai atacando, se movimentando – sempre com preparo físico em dia – e minando o adversário até ele cair. Poirier pode surpreender, claro, mas diante de todos esses aspectos, pode-se entender o motivo de Max ser o favorito nas casas de apostas.

Confira odds para o UFC 236

  • (R$ 1,40) Max Holloway x Dustin Poirier (R$ 2,95)
  • (R$ 2,60) Kelvin Gastelum x Israel Adesanya (R$ 1,50)
  • (R$ 1,60) Eryk Anders x Khalil Rountree Jr. (R$ 2,35)
  • (R$ 1,87) Alan Jouban x Dwight Grant (R$ 1,87)
  • (R$ 1,80) Ovince StPreux x Nikita Krylov (R$ 1,95)

Card preliminar

  • (R$ 1,66) Jalin Turner x Matt Frevola (R$ 2,20)
  • (R$ 2,70) Wilson Reis x Alexandre Pantoja (R$ 1,47)
  • (R$ 1,69) Max Griffin x Zelim Imadaev (R$ 2,15)
  • (R$ 1,69) Boston Salmon x Khalid Taha (R$ 2,15)
  • (R$ 2,25) Curtis Millender x Belal Muhammad (R$ 1,64)
  • (R$ 2,20) Lauren Mueller x Poliana Botelho (R$ 1,66)

Comentários

2 Comentários

2 Comentários

  1. Pingback: Azarões dominam lutas principais do UFC | Ganhador.com

  2. Pingback: UFC 236: Kelvin Gastelum x Israel Adesanya | Ganhador.com

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar