Copa do Brasil

Em rodada de empates, Flamengo vence o Corinthians e abre vantagem na Copa do Brasil

Lei do Ex

Com o fim do “gol qualificado” visitantes garantem o empate na ida das oitavas de final da Copa do Brasil; menos o Flamengo que não teve pudores em vencer o Corinthians no Itaquerão.

Foto: Alexandre Vidal / Flamengo

Tudo igual para as equipes que participaram da primeira parte da rodada de ida das oitavas de final da Copa do Brasil. Exceto para o Flamengo que, na reedição do jogo de 2018 – praticamente a estreia de Jair Ventura no Timão – se deu melhor, venceu em Itaquera por 1 a 0 e agora jogará pelo empate  no Maracanã no próximo dia 4 de junho. Nos demais jogos, empates que deixaram Fortaleza, Athletico-PR, Cruzeiro, Fluminense, Santos e Atlético-MG a uma vitória simples das quartas de final do torneio e bagunçaram com as nossas dicas de apostas. Exceto pelo jogo entre Atlético-MG x Santos onde foi indicado o empate como melhor resultado, Corinthians x Flamengo, Fluminense x Cruzeiro e Fortaleza x Athletico-PR terminaram de forma inesperada – como, aliás, apenas o futebol consegue (a Champions League que o diga).

Melhores sites de apostas

Saque em

1-2

Dias

R$200

Bônus

+4

Saque em 1-2 - Dias

Saque em

1-2

Dias

R$150

Bônus

+3

Saque em 1-2 - Dias

Saque em

1-2

Dias

Transmissão

ao Vivo

Saque em 1-2 - Dias

Saque em

1-2

Dias

R$200

Bônus

+2 More

Saque em 1-2 - Dias

Saque em

1-2

Dias

R$777

Bônus

+8 More

Saque em 1-2 - Dias

Flamengo vence e jogará pelo empate na volta das oitavas de final

Apesar de abrir o duelo com uma escalação mais ofensiva – pelo menos no papel – o Corinthians recebeu o Flamengo em sua arena e, bom anfitrião que é, deixou a bola com os visitantes, fechou-se muito bem em duas linhas de quatro e esperou pelo contra-ataque (que não veio da forma esperada). Com isso, o Urubu foi melhor durante toda a etapa inicial, mas faltou qualidade para passar pelo bom bloqueio defensivo do Timão que contava apenas com um volante de origem, Ralf, para proteger a zaga com algum auxílio de Sornoza e Mateus Vital – mais uma vez jogando torto e fora de posição. Diante deste cenário era de se esperar que a melhores chances nos primeiros 45 minutos fosse com Flamengo – como foram, primeiro com Léo Duarte cabeceando para fora e, depois, com Everton Ribeiro fuzilando para boa defesa de Cássio após aplicar dois cortes em Danilo Avelar.

O Timão mudou no segundo tempo com Pedrinho e Jadson nos lugares de Mateus Vital e Boselli. O Alvinegro ficou mais perigoso, mas com a marcação mais frouxa, deu espaços para o Flamengo criar até que aos 33 minutos Bruno Henrique cruzou para William Arão cabecear da meia-lua e mandar para o fundo do gol de Cássio.

Atrás no placar, o time de Fábio Carille se bagunçou e só foi assustar no final do jogo em boa finalização de Pedrinho – novamente uma das poucas coisas boas do Timão e que segue tendo seu talento desperdiçado.

Com o resultado – que confirmou a indicação do Bodog que apontava o Flamengo como favorito, mas derrubou o palpite do Ganhador que apontava o empate como o final mais plausível – o Flamengo agora precisa de um empate por qualquer placar para garantir vaga nas quartas de final da Copa do Brasil. Derrota por 1 a 0 leva a decisão para os pênaltis enquanto que uma derrota por dois ou mais gols de diferença classifica o Corinthians.

 

Quem vencer o jogo de volta seguirá na Copa do Brasil

Fluminense 1 x 1 Cruzeiro

O Cruzeiro foi ao Maracanã com uma missão muito clara: não perder. E por muito pouco não voltou para Minas com a vitória no bolso. Seguro na defesa, o time de Mano Menezes soube controlar as ações ofensivas do Fluminense que tinha mais volume de jogo, mais posse de bola, finalizava com muito mais frequência, mas parava na falta de pontaria e qualidade de seu ataque – que ainda espera pelo retorno da melhor forma do centroavante Pedro.

Como não tem nada a ver com isso, a Raposa saiu na frente com Pedro Rocha aos 12 do segundo tempo – na única finalização certeira que o time fez durante todo o jogo. Atrás no placar –e quase confirmando a dica do Ganhador que dava como certa a vitória cruzeirense – o Fluminense passou a pressionar ainda mais a defesa mineira. Tanta insistência foi recompensada aos 48 minutos quando João Pedro – formado na base do clube – aproveitou sobra em cobrança de escanteio para deixar tudo igual. Os times voltam a se enfrentar no próximo dia 5 de junho, no Mineirão. Quem vencer, por qualquer placar, estará nas quartas de final. Novo empate levará a decisão para os pênaltis.

Atlético-MG 0 x 0 Santos

Sem se encontrar na parte defensiva, o Atlético-MG aguentou como pôde a pressão do Santos que dominou todo o primeiro tempo, criou chances perigosas e só não conseguiu voltar de Minas Gerais com alguma vantagem para o duelo de volta graças a má-pontaria de seu ataque e à boa atuação do goleiro Victor que fez grande defesa em chute de Jean Mota e de Guga que tirou dos pés de Derlis González um gol certo. Pelo lado do Galo, apenas Luan e Elias chegaram com perigo, uma única vez cada, nos primeiros 45 minutos.

Os times mudaram a chave para o segundo tempo e o Atlético-MG voltou melhor com Luan exigindo boa defesa de Éverson. Aos 13, Cazáres entrou no lugar de Geuvânio e o Galo aumentou a pressão. Encurralado no campo de defesa o Santos não achava saídas para atacar com qualidade e se defendia da melhor forma possível. Nathan, da entrada da área, quase deu a vantagem para os donos da casa. O Santos, por sua vez, garantiu o 0 a 0, confirmou a dica de aposta do Ganhador e empurrou a decisão para o jogo do próximo dia 6 onde, à exemplo de Cruzeiro x Fluminense, quem vencer leva.

Fortaleza 0 x 0 Athletico-PR

No segundo duelo entre os técnicos da “nova safra”, Rogério Ceni e Thiago Nunes, ficou tudo igual. Se pela segunda rodada do Campeonato Brasileiro, o Fortaleza de Ceni soube vencer o Athletico-PR de Nunes por 2 a 1, o que se viu no Castelão na última quinta-feira ficou bem abaixo das expectativas. No primeiro tempo a boa marcação do Furacão segurou as ações ofensivas dos donos da casa e ainda criou boas chances de gol com Marco Ruben aos 28 minutos e Rony aos 38.

Se no primeiro tempo ainda houve emoção, o segundo beirou o tédio. Os “professores” mexeram nos times buscando ofensividade e até conseguiram acelerar o jogo, mas a qualidade das finalizações eram de fazer chorar o mais valente dos técnicos. Marlon, aos 15, perdeu boa oportunidade para o Tricolor e foi só. Valorizando a posse de bola e “cozinhando” o jogo, o Furacão segurou o empate, derrubou nosso palpite e a exemplo dos coleguinhas em Minas e no Rio deixou a decisão para o duelo de volta no próximo dia 5 na Arena da Baixada.

Comentários

Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar