Futebol

Em quatro minutos, Grêmio atropela o Palmeiras e garante vaga na semifinal da Libertadores

Decisivo, Everton brilha e ajuda a pavimentar o caminho do Grêmio até mais uma semifinal da Libertadores

Foto: Reprodução

No outro jogo da noite, Atlético-MG faz 3 a 1 no La Equidad e confirma vaga na semifinal da Copa Sul-Americana

Copeiro como sempre, o Grêmio jogou sério e em quatro minutos azedou o bolo de aniversário de 105 anos do Palmeiras arrancando uma virada por 2 a 1 no Pacaembu na noite desta terça-feira, no jogo decisivo das quartas de final da Libertadores. No placar agregado, empate em 2 a 2 (o Palmeiras venceu a a ida em Porto Alegre por 1 a 0), mas os gols fora de casa classificaram o Tricolor que agora espera pelo vencedor de Internacional e Flamengo que jogam nesta quarta-feira no Beira-Rio. E se o resultado de ontem por um lado derrubou os prognósticos que davam o Palmeiras como grande favorito, o torcedor do Grêmio que acreditou até o fim e cravou a vitória do Imortal se deu bem e lucrou R$ 4,00 por R$ 1,00 segundo os números do Bodog apontados aqui, (ou em bom português, retorno de R$ 400,00 em uma aposta de R$ 100,00).

Melhores sites de apostas

Saque em

1-2

Dias

R$200

Bônus

+4

Saque em 1-2 - Dias

Saque em

1-2

Dias

R$200

Bônus

+2 More

Saque em 1-2 - Dias

Saque em

1-2

Dias

Transmissão

ao Vivo

Saque em 1-2 - Dias

Saque em

1-2

Dias

R$777

Bônus

+8 More

Saque em 1-2 - Dias

Saque em

1-2

Dias

R$150

Bônus

+3

Saque em 1-2 - Dias

Saque em

1-2

Dias

100%

ATE

$600

Saque em 1-2 - Dias

Saque em

1-2

Dias

100%

ATE

$1000

Saque em 1-2 - Dias

Saque em

1-2

Dias

100%

ATE

$1,000

Saque em 1-2 - Dias

Dentro do script

Palmeiras e Grêmio começaram o primeiro tempo do duelo desta terça-feira, pela volta das quartas de final da Libertadores, no Pacaembu da forma como todo mundo imaginava: o Tricolor manteve a posse de bola e o Verdão era mais perigoso. Com o Allianz Parque alugado para os shows da dupla Sandy e Júnior, o time de Felipão não parecia desconfortável no estádio municipal. Pelos lados, levava perigo ao gol de Paulo Victor – que em uma jornada particularmente insegura, teve papel decisivo no gol palmeirense e contou com a sorte no decorrer da partida.

 

Palmeiras amplia a vantagem

Sem a posse de bola, mas sendo muito mais perigoso em suas estocadas, o Palmeiras abriu o placar aos 13 minutos do primeiro tempo. Paulo Victor cortou mal uma bola alçada na área que acabou nos pés de Luiz Adriano. Frio, o atacante mandou para o fundo das redes e marcou seu primeiro gol com a camisa palmeirense. O resultado acabava com qualquer possibilidade de decisão nos pênaltis: apenas uma vitória por 2 a 1 – ou mais –, classificaria o Imortal.

 

Em quatro minutos, Everton desequilibra

Destaque do Grêmio na temporada, Everton precisou de quatro minutos para, no talento individual, decidir em favor do Tricolor e virar o jogo. Aos 17 minutos, o atacante aproveitou cobrança de falta para aparecer nas costas de Marcos Rocha e bater cruzado para o fundo do gol de Weverton: 1 a 1. Aos 21 minutos, fez grande jogada, passou por cinco adversários mas acabou travado pelo goleiro palmeirense na hora de finalizar. Oportunista, Alisson pegou o rebote e mandou para o gol vazio: 2 a 1.

O Palmeiras só voltou a levar perigo aos 41 minutos: Kannemann tirou de cabeça cobrança de falta de Scarpa. William pegou a sobra e mandou um tirombaço na trave de Paulo Victor. No lance seguinte, Paulo Victor saiu errado (de novo) e William perdeu (de novo) a chance de empatar.

 

Palmeiras muda, mas o jogo segue igual

Na volta para o segundo tempo, Felipão mexeu e trocou William – que perdeu duas grandes chances de gol – por Deyverson que assumiu o comando de ataque e mandou Luiz Adriano para o lado do campo. A mudança, claro, nada ajudou. Com Geromel fazendo uma partida impecável – e Kannemann mantendo o mesmo nível – a defesa do Grêmio era quase intransponível (para alívio de Paulo Victor). Escondido no jogo (assim como Dudu), Scarpa foi para o chuveiro mais cedo. Zé Rafael foi para o jogo, mas também pouco fazia. À frente, Deyverson seguia sendo Deyverson e, tropeçando no gramado, era mais um problema do que uma solução. Com a vaga indo para o espaço, Felipão (finalmente) trocou um volante por uma peça mais ofensiva: Bruno Henrique deu lugar a Raphael Veiga. Em uma noite em que nada dava certo, a mudança, obviamente, não resolveu nada. A falta de força ofensiva ajudou o trabalho defensivo do Grêmio e irritou o torcedor palmeirense.

 

No final, muita pressão e pouco resultado

Nos últimos 10 minutos, o Grêmio “abriu mão” do ataque e se fechou ainda mais na defesa. O Palmeiras então partiu para o abafa mas, nervoso, errava demais. Em um contra ataque, Pepê, fez grande finalização que, por muito pouco, não ampliou a vantagem Tricolor. A bola passou por cima do gol de Weverton. Aos 47, o último fio de esperança palmeirense: o árbitro Nestor Pitana foi à beira do campo analisar as imagens de um suposto pênalti à favor do Palmeiras (toque de mão de Rômulo). Nada a marcar, além de escanteio.

Após mais dois minutos de acréscimos, o árbitro encerrou o jogo e, pela terceira vez na temporada, o Palmeiras foi eliminado de uma competição jogando em casa – Paulista e Copa do Brasil foram as outras duas. A salvação da temporada alviverde está agora no Campeonato Brasileiro – torneio onde o time de Felipão não vence desde o final da pausa para a Copa América; desempenho que lhe custou a liderança.

 

Missão cumprida

Longe dos líderes do Brasileirão, o Grêmio segue firme em sua caminhada nos mata-mata. Pela Libertadores, espera pelo vencedor do duelo entre Internacional e Flamengo nesta quarta-feira. Pela Copa do Brasil, o Imortal define a vaga na final no próximo dia 4 contra o Athletico-PR na Arena da Baixada (na ida, vitória do Grêmio por 2 a 0 em Porto Alegre).

 

Sul-Americana

Seguro, Atlético-MG está na semifinal da Copa Sul-Americana

Confirmando nossa dica de aposta de um jogo com mais de 2 gols, o Atlético-MG não teve problemas para superar o La Equidad na noite desta terça-feira e se garantir nas semifinais da Copa Sul-Americana – onde enfrentará o Colón. Organizado e com mais talento em seu elenco, o Galo deixou a bola com os donos da casa – que chegaram a ter 80% de posse no primeiro tempo – e explorou os contra-ataques. O gol, entretanto, saiu em uma jogada de bola parada: aos 19 minutos, Cazares cobrou escanteio e Rever mandou para o fundo do gol, ampliando a vantagem atleticana –que venceu a ida por 2 a 1.

Sem ser ameaçado no primeiro tempo, o Galo voltou desligado para a etapa final e quase levou o empate aos 10 segundos, em chute de Camacho. Aos dois minutos, Mier aproveitou vacilo da zaga atleticana e mandou para o fundo do gol de Cleiton. A alegria colombiana, porém, durou pouco: aos seis minutos Chará aproveitou nova cobrança de escanteio e recolocou o time brasileiro na frente. Elias, aos 30, deu números finais ao duelo.

Comentários

Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar