UFC

As três opções para o futuro de Tony Ferguson após a vitória no UFC 238

Tony Ferguson é atleta peso-leve do UFC
Foto: Divulgação / UFC

Não foi à toa que embora o UFC 238 tivesse duas disputas de cinturão em jogo, o duelo que deixava o público mais empolgado com a noite de lutas do último sábado (8) era o confronto peso-leve entre Tony Ferguson e Donald Cerrone. El Cucuy deixou o octógono com o braço erguido após dois rounds eletrizantes e um desfecho inesperado. Do segundo para o terceiro assalto, os médicos responsáveis pela luta encerraram o combate devido a um inchaço bizarro no olho de Cerrone, que rendeu o triunfo por nocaute técnico a Ferguson. Depois de confirmar o favoritismo nas casas de apostas, o americano tem três opções à mesa para seu futuro no cage.

Melhores sites de apostas

Saque em

1-2

Dias

R$200

Bônus

+4

Saque em 1-2 - Dias

Saque em

1-2

Dias

R$150

Bônus

+3

Saque em 1-2 - Dias

Saque em

1-2

Dias

Transmissão

ao Vivo

Saque em 1-2 - Dias

Saque em

1-2

Dias

R$200

Bônus

+2 More

Saque em 1-2 - Dias

Saque em

1-2

Dias

R$777

Bônus

+8 More

Saque em 1-2 - Dias

SAIBA COMO APOSTAR NO UFC

O duelo foi tudo aquilo o que se esperava de Ferguson e Cerrone. Agressividade, movimentação e golpes duros desde o inicio do confronto. Cerrone apostava em golpes retos, teve mais contundência no primeiro assalto, mas Tony teve um volume maior, sempre esbanjando criatividade na hora de atacar, com golpes de ângulos imprevisíveis e de direções inesperadas. Chute no corpo, cruzado de esquerda, movimentação lateral, cotovelada rodada, joelhada no corpo, chute baixo… Ele não deixa você pensar. Ataca o tempo todo. Foi uma lástima o confronto acabar de tal forma, mas era a decisão necessária após a grave lesão de Cerrone, que mal conseguia abrir o olho.

Agora, Ferguson chega ao número de 12 vitórias consecutivas na categoria dos leves, somando triunfos contra nomes como Rafael dos Anjos, Kevin Lee, Anthony Pettis e agora Donald Cerrone. O americano já foi campeão interino da categoria, mas teve o título destituído depois de um período de inatividade.

“El Cucuy” é um dos lutadores mais empolgantes do plantel do UFC, está numa sequência inacreditável na categoria dos leves e acaba de vencer pela segunda vez consecutiva um rival que sai da luta por lesão – ele machuca tanto os adversários que eles não estão nem conseguindo terminar a luta. Ele é agressivo, incansável e impiedoso. Se esses não são argumentos o suficiente para fazer de Tony Ferguson o próximo desafiante legítimo ao cinturão absoluto dos leves, eu não sei mais o que ele precisa fazer.

Vale lembrar que durante a semana, em entrevista a ESPN, o presidente do UFC Dana White declarou que não garantia ao vencedor de Ferguson x Cerrone a chance pelo cinturão dos leves. Logo, Ferguson está diante de três opções para seu futuro no octógono:

CHEGA DE ENROLAR

Tony pode muito bem apresentar alguns argumentos desse texto que você está lendo e “bater o pé” com o UFC. Sobram motivos para fazer do americano o próximo adversário do vencedor de Khabib Nurmagomedov x Dustin Poirier, que se enfrentam pelo título no dia 7 de setembro, pelo UFC 242. A única coisa que atrapalha a escolha dessa opção é o “timing”. Se Khabib e Dustin vão se enfrentar em setembro, significa que, caso Tony seja o próximo da fila, teria de esperar ao menos até dezembro ou janeiro para lutar de novo. Estamos em junho. É claro que se a chance for dada pelo UFC ele pode esperar, sem problemas. É seu direito. Mas sabemos como esse jogo funciona e ele pode muito bem ter que voltar a lutar antes dessa projeção. E é aí que entram as duas outras opções.

LUTA MILIONÁRIA

Conor McGregor está sem luta. Desde outubro passado, quando foi finalizado por Khabib Nurmagomedov, o irlandês flerta com seu retorno ao octógono, mas nada é concretizado. Um duelo com Ferguson certamente o interessaria. Cabe a Tony aceitar ou não. Ao mesmo tempo que é um obstáculo a mais diante da já merecida chance ao título, o americano pode faturar milhões de dólares. Isso sempre interessa. Claro que o objetivo maior é o cinturão, mas entre sentar e esperar sem correr riscos (em parte) e entrar no octógono mais uma vez para fazer uma luta milionária contra um rival que ele não teme, imagino que ele ao menos considere encarar Conor antes da chance pelo título. Tenho certeza que o UFC adoraria.

REVANCHE

Depois dos dois rounds eletrizantes protagonizados por Ferguson e Cerrone no UFC 238, e especialmente da forma que a luta acabou, sendo interrompida por médicos, um reencontro certamente acontecerá no futuro. Tony, inclusive, já declarou estar aberto a essa possibilidade. É um duelo que mexeu com a emoção de muitos fãs e não decepcionou, apesar do desfecho. Se ele tiver de se manter ativo, por que não fazer a revanche com Cerrone. Mas que dessa vez coloquem o confronto como luta principal, para cinco rounds.

Comentários

Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar