Brasileirão Série C

Operário de Ponta Grossa festeja inédita conquista da Série C do Brasileirão

Operário-PR vence a Série C
Foto: José Tramontin/OFEC

Time alvinegro calou a Arena Pantanal no último sábado

Terminou a terceira divisão do Campeonato Brasileiro de 2018. A cidade de Ponta Grossa está em festa. O Operário-PR conquistou sua quinta taça importante em quatro temporadas e sobe dois degraus na hierarquia do nosso futebol em dois anos. O Fantasma, alcunha do tradicional alvinegro paranaense, está literalmente assustando seus oponentes. Confira como foi este título.

 

O Operário-PR

Campeão Paranaense de 2015, da Taça Federação Paranaense de Futebol de 2016, da Série D de 2017, do Estadual da segunda divisão de 2018 e agora da Série C deste ano. O Operário renasceu das cinzas e sua nação não para de festejar as conquistas, que haviam cessado em 1991, quando o Fantasma conquistou o inexpressivo título do interior do Paraná.

Com este retrospecto recente, o Operário, que nem disputava o Brasileirão, alcançou a Série B e está entre os quarento maiores times do Brasil.

 

Subiram quatro

Os quatro promovidos para a Série B de 2019 são estes: Botafogo-SP, que estava desde 2012 longe da divisão de prata, Bragantino-SP, que passou dois anos na terceirona, Cuiabá, que conseguiu um acesso inédito, e Operário-PR, que estava afastado da segundona desde 1991.

Joinville-SC, Juazeirense-BA, Salgueiro-PE e Tupi-MG pegaram o caminho inverso e desfilarão pela Série D no ano que vem.

 

Cuiabá 0, Operário-PR 1

O Cuiabá seguiu o roteiro que qualquer mandante tenta fazer: partir para cima do visitante. Ainda mais na decisão onde a primeira batalha havia terminado 3 a 3 fora de seus domínios.

Pressionando, os mato-grossenses obrigaram o goleiro Simão a fazer belas defesas. Foram pelo menos quatro ao longo dos noventa minutos. Num lance de contra-ataque porém, Bruno Batata aproveitou a chance que teve e deu números finais à peleja: 1 a 0.

Vale registrar dois fatos: a excelente presença de público nas arquibancadas e a interrupção do embate por causa de uma pane elétrica.

Ficha técnica da final

  • Cuiabá: Victor Souza; Jean (Bruno), Ednei, Edson Borges e Danilo Silva, Marino, Alê, Hiltinho (Josimar) e Eduardo Ramos; Adriano Pardal (João Carlos) e Jenison. Técnico: Itamar Schulle.
  • Operário-PR: Simão, Léo, Alisson, Sosa (Robson) e Peixoto (Rodrigo); Chicão, Erick, Robinho e Cleyton; Dione (Sérgio) e Bruno Batata. Técnico: Gerson Gusmão.
  • Local: Arena Pantanal.
  • Público:311 presentes.
  • Renda: R$ 568.295.
  • Árbitro: Marcelo Henrique.
  • Gol: Bruno Batata.
  • Cartões Amarelos: Alê, Bruno Batata, Ednei, Eduardo Ramos e Simão.

 

A Campanha

Ao longo da temporada, o Operário-PR acumulou doze vitórias, oito empates e quatro derrotas. Vejam seus resultados.

1ª Fase:

  • 1×0 Volta Redonda (RJ) – c
  • 1×2 Ypiranga (RS) – f
  • 1×0 Tupi (MG) – f
  • 2×0 Joinville (SC) – c
  • 1×1 Tombense (MG) – c
  • 0x4 Cuiabá (MT) – f
  • 3×1 Botafogo (SP) – c
  • 0x0 Bragantino (SP) – f
  • 3×2 Luverdense (MT) – c
  • 1×0 Volta Redonda (RJ) – f
  • 2×1 Ypiranga (RS) – c
  • 2×0 Tupi (MG) – c
  • 3×1 Joinville (SC) – f
  • 1×0 Tombense (MG) – f
  • 1×1 Cuiabá (MT) – c
  • 2×2 Botafogo (SP) – f
  • 1×1 Bragantino (SP) – c
  • 0x1 Luverdense (MT) – f

Quartas de final:

  • 0x1 Santa Cruz (PE) – f
  • 3×0 Santa Cruz (PE) – c

Semifinais:

  • 0x0 Bragantino (SP) – f
  • 0x0 Bragantino (SP) – c (-) (4×2)

Final:

  • 3×3 Cuiabá (MT) – c
  • 1×0 Cuiabá (MT) – f

 

Os campeões

Atlético-GO, em 1990 e em 2008, e Vila Nova-GO, em 1996 e 2015, são os únicos clubes a terem faturado a terceira divisão do Campeonato Brasileiro em duas oportunidades. Todos os demais campeões só a venceram uma única vez.

Dos atuais participantes da Série A, apenas Fluminense, em 1999, e América-MG, em 2009, levantaram este troféu.

Outros gigantes laureados foram Sampaio Corrêa (MA), em 1997, Remo-PA, em 2005, e Santa Cruz-PE, em 2013.

A edição de 1987 foi curiosa. Graças à regionalização dos concorrentes, a Confederação Brasileira de Futebol proclamou dos campeões. O Americano-RJ venceu o Módulo Azul, destinado aos representantes do Sul e do Sudeste. O Operário-MS faturou o Módulo Branco, feito para os clubes do restante do país.

Os demais medalhistas de ouro são: Olaria-RJ (1981), União São João-SP (1988), Tuna Luso-PA (1992), Novorizontino-SP (1994), XV de Piracicaba-SP (1995), Avaí-SC (1998), Paulista-SP (2001), Brasiliense-DF (2002), Ituano-SP (2003), União Barbarense-SP (2004), Criciúma-SC (2006), Bragantino-SP (2007), ABC-RN (2010), Joinville-SC (2011), Oeste-SP (2012), Macaé-RJ (2014), Boa-MG (2016) e CSA-AL (2017).

 

Comentários

Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar