Vôlei

Teremos as semifinais tão esperadas na Superliga Feminina de Vôlei?

Superliga Feminina de Vôlei
Foto: Neide Carlos/Vôlei Bauru

Equipes favoritas encaminham classificação e podem começar um ‘campeonato a parte’ na próxima fase do principal torneio de vôlei do país            

Ainda sob o impacto da inesperada morte do ex-técnico Bebeto de Freitas, o vôlei brasileiro vai ter uma excelente chance de prestar um digno tributo ao homem que realmente marcou “um antes e um depois” na história da modalidade. E essa homenagem vai vir também das mulheres, que estão bem perto de definir as suas semifinais na Superliga 2017/2018.

Confira a análise do Ganhador de cada um dos confrontos:

 

Dentil/Praia Clube (1º) x Vôlei Bauru (8º)

Às 19h (de Brasília) desta sexta (16), o Dentil/Praia Clube, de Uberlândia, recebe o Vôlei Bauru, na Arena Praia Clube. Na primeira partida, realizada no temido Ginásio Panela de Pressão, em Bauru, no interior de São Paulo, as mineiras estrearam bem nos playoffs, e venceram por 3 sets a 1, com parciais de 27/25, 21/25, 25/15 e 25/20.

Em entrevista ao site oficial da Superliga, a ponteira Fernanda Garay falou sobre o fato de a sua equipe ter aberto a série com um resultado positivo. “Foi um jogo muito importante. Demos um passo à frente, mas sabemos que na série tem muita coisa para acontecer. Não tem nada definido. Nós estávamos preparadas, no playoff todo jogo é difícil e temos que estar prontas para a suportar essa pressão.”

No caso de pressão, é a quase necessidade de o Praia Clube justificar o seu investimento de equipe que está cacifada para ser campeã.

Já pelo lado de Bauru, é vencer ou vencer. Uma nova derrota tira a equipe paulista da competição que tem este formato de melhor de três jogos.

 

Sesc-RJ (2º) x Pinheiros (7º)

A oposto Peña, do Sesc, foi a grande destaque de seu time na vitória ocorrida no duelo inicial. “É difícil fazer uma análise. Sou uma jogadora que atua de oposta e ponteira. A Monique se machucou, e estou aqui para ajudar toda a equipe. Sou uma jogadora muito quente no jogo. Sempre quero a bola para mim. Estou segura e quando as bolas começam a cair fica mais fácil”, disse.

Do outro lado do embate, a oposto Bruna Honório ressaltou o poder de reação do Pinheiros. “Não abaixamos a guarda em nenhum momento, fomos para cima, agressivas e faltou muito pouco para conseguirmos a vitória. Estamos firmes para o próximo jogo, que não vai ser fácil nem pra elas, nem para nós”, avaliou.

 

Camponesa/Minas (3º) x Fluminense (6º)

Outro time do Rio, o Fluminense não teve a mesma sorte que as conterrâneas do Sesc. Derrota por 3 sets a 0, com parciais de 25/19, 25/23 e 25/21, no Ginásio Hebraica, em Laranjeiras, no último dia 10. Sendo assim, o Tricolor precisa do triunfo no sábado, 17 de março, às 15h, na Arena Minas.

Após a derrota na última partida, o treinador do Flu, Hylmer Dias, enalteceu a qualidade técnica do oponente. “Jogamos contra uma grande equipe, que conta com jogadoras de seleção, de nível internacional. Tivemos algumas chances e não fomos felizes nos contra-ataque. Em situação de bola de graça, não soubemos aproveitar as chances que o jogo nos ofereceu. Agora é continuar acreditando, trabalhando e seguir em busca dessa vaga.”

 

Vôlei Nestlé (4º) x Hinode Barueri (5º)

Às 19h de sábado, no Ginásio José Correa, o Hinode Barueri tenta se recuperar da derrota sofrida no último domingo por 3 sets a 1, com parciais de 25/23, 28/30, 28/26 e 25/17.

“Estudamos e treinamos muito durante a semana e tínhamos uma missão muito difícil contra uma equipe acostumada a jogar decisões. Tivemos momentos de fechar e acabamos falhando. Eu mesma estou substituindo uma bicampeã olímpica, que é a Jaqueline. Sabemos que é preciso jogar muito mais quando falta alguém. É continuar treinando, levantar a cabeça e colocar a pressão no time delas, dentro da nossa casa, diante da nossa torcida. Infelizmente”, falou a ponteira Erika, de larga passagem pela seleção brasileira.

Já Tandara, do Vôlei Nestle, mostrou que é preciso não se empolgar com o primeiro resultado positivo da série. “A vitória veio, abrimos 1 a 0, mas não acabou. Sabemos que na casa deles vai ser muito difícil e temos que entrar muito ainda concentrados. Esse é um jogo muito difícil, como todas as séries. Os quatro confrontos estão bem equilibrados e vamos brigar para estar na semifinal.”

 

Jogos das quartas de final da Superliga Feminina

Sexta-feira, 16 de março

  • 19:00 – Dentil/Praia Clube x Bauru – Palpite: Praia Clube
  • 21:30 – Sesc-RJ x Pinheiros – Palpite: Sesc

Sábado, 17 de março

  • 15:00 – Camponesa/Minas x Fluminense – Palpite: Minas
  • 19:00 – Hinode Barueri x Vôlei Nestlé – Palpite: Vôlei Nestlé

 

Comentários

Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.