Ganhador.com

Brasileirão Série D

Série D: Ferroviário colocou a mão na taça com goleada no primeiro jogo da final, mas Treze ainda acredita na virada

Prognóstico do jogo de volta entre Treze e Ferroviário pela Final do Campeonato Brasileiro da Série D 2018.
Foto: @ramonsmithpb via Instagram Oficial Treze Futebol Clube

Depois de perder por 3×0 na Arena Castelão, Galo da Borborema precisa de um resultado histórico para ser campeão

Neste sábado (04), a partir das 18:30 (horário de Brasília), Treze e Ferroviário têm um encontro marcado no Estádio Governador Ernani Sátyro, o Amigão, em Campina Grande, para a segunda partida da grande final do Campeonato Brasileiro da Série D. O Tubarão da Barra largou na frente com uma vitória por 3×0 em Fortaleza, e ficou em situação muito confortável para conquistar seu primeiro título nacional. O Treze, no entanto, ainda não jogou a toalha, e com o apoio do seu torcedor, fará de tudo para reverter esta situação.

Confira todos os detalhes que cercam a decisão.

 

Desfalcado, Treze busca repetir milagres de 2005 e 2011

Sem poder contar com o atacante Maxuell Samurai, grande destaque desta reta final de Série D, o Treze já esperava encontrar muitas dificuldades na partida contra o Ferroviário na Arena Castelão. O que não se imaginava é que uma decisão de título pudesse ser tão desequilibrada. Os donos da casa foram superiores durante todo o primeiro tempo, e foram para o intervalo vencendo por 1×0. Na etapa complementar, aproveitaram um apagão dos paraibanos para marcar mais dois, e complicaram a vida de Marcelinho Paraíba e seus companheiros.

“Não é um placar definitivo porque a nossa equipe é digna de toda a campanha, que fez com que a gente chegasse na final. A derrota elástica não estava nos nossos planos, mas diante do nosso torcedor nós vamos fazer um grande jogo. O Treze está vivo.”, disse o goleiro Mauro Iguatu, ainda no calor da derrota.

Como se não bastasse a necessidade de devolver o resultado de 3 a 0 para levar a decisão para os pênaltis, ou vencer por quatro ou mais gols de diferença para conquistar o título, o técnico Flávio Araújo ainda terá mais uma dor de cabeça na hora de escalar o time. Maxuell Samurai, submetido a uma artroscopia, segue sem condições de jogo, enquanto o lateral-esquerdo Silva, o zagueiro Ítalo e o atacante Ceará, terão que cumprir suspensão. Os prováveis substitutos na lateral e na zaga serão Zé Carlos e Brumatti, mas no ataque, o técnico terá que optar entre Julio Barboza, Hugo Freitas e Watson.

Para não perder as esperanças, o torcedor do Galo da Borborema se apega a grandes feitos do passado. Na Copa do Brasil de 2005, o time perdeu para o Ulbra por 3×0 na partida de ida, mas em casa, foi buscar a classificação com uma vitória por 5×0. Seis anos depois, foi derrotado por 4×0 pelo seu grande rival, Botafogo-PB, no primeiro jogo da semifinal do Campeonato Paraíbano. No Amigão, o Treze devolveu o placar, avançou à decisão, e ainda conquistou o título. Nesta edição da Série D, o Alvinegro venceu por mais de três gols de diferença em duas oportunidades, ambas contra o Santa Rita, pelos placares de 4×0 e 5×0.

 

Ferroviário procura manter os pés no chão

O Ferroviário colocou uma das mãos na taça com o grande resultado obtido no Castelão, mas é preciso ter os pés no chão para não ser surpreendido. Os atletas sabem disso, e preferem deixar o otimismo exacerbado para o torcedor.

“Não ganhamos nada. Vamos enfrentar uma grande equipe, mas esperamos que a gente possa se consagrar campeão porque o que mais importa é colocar uma estrelinha no peito. O torcedor está em festa, mas sabemos que não conquistamos nada. Vamos enfrentar uma grande equipe, como eu frisei, e temos que manter o pé no chão, com humildade. Não se tem que comemorar nada porque não ganhamos nada.”, disse o meia Janeudo, autor do primeiro gol.

O Ferrão obteve alguns bons resultados atuando fora de casa nas fases eliminatórias, e nunca foi derrotado por mais de um gol de diferença. O time ficou no empate com o Cordino (3×3), goleou o Altos (4×2), perdeu para o Campinense (1×0), mas se classificou nos pênaltis, e voltou a sofrer um revés diante do São José (2×1), já nas semifinais.

O técnico Marcelo Vilar optou pelo mistério em relação à dupla de zaga que começará jogando. Os titulares André Lima e Luís Fernando estavam suspensos na partida de ida, mas Erandir e Afonso entraram, deram conta do recado, e podem ser mantidos. Quem tem presença garantida é o atacante Edson Cariús, maior artilheiro do futebol brasileiro em todas as divisões. Ele tem 11 gols na competição, e deixou sua marca nos últimos três jogos.

Prováveis escalações

Treze: Mauro Iguatu; Talisson, Brumatti, Nilson Júnior e Zé Carlos; Coppetti, Dedé, Marcelinho Paraíba e Julio Barboza; Leílson e Leandro Love. Técnico: Flávio Araújo.

Ferroviário: Gleibson; Lucas Mendes, Afonso (André Lima), Erandir (Luís Fernando) e Sávio; Mazinho, Leanderson, Janeudo e Esquerdinha; Edson Cariús e Luís Soares. Técnico: Marcelo Vilar.

Palpite

Nas cinco partidas disputadas em casa nos confrontos de mata-mata, o Treze obteve quatro vitórias e um empate. Sua força atuando no Amigão é indiscutível, mas a vantagem construída pelo Ferroviário é muito significativa, e será difícil tirar o título dos cearenses.

O Galo da Borborema terá que se abrir, e a expectativa é por uma partida de muitos gols. Meu palpite é o empate em 2×2, resultado que garantirá o caneco para o Ferrão.

Final do Campeonato Brasileiro da Série D 2018 – Jogo de volta

Sábado, 04 de agosto

  • 18:30 – Treze (0) x (3) Ferroviário – Palpite: empate

 

Comentários

Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar