Ganhador.com

Brasileirão Série A

Série A: Flamengo amplia a vantagem e garante a liderança isolada do Brasileirão até o final da Copa do Mundo

À caminho da Udinese, Felipe Vizeu despede-se do Maracanã com um gol na vitória do líder Flamengo sobre o Paraná .

Foto: Gilvan de Souza/Flamengo/Reprodução

Com um público de quase 60 mil pessoas, Diego e Felipe Vizeu – de malas prontas para a Itália –, decidiram para o Flamengo que ampliou para 6 pontos a vantagem na liderança do Brasileirão ao vencer o Paraná no Maracanã naquele que pode ter sido o último jogo de Vinícius Júnior diante da torcida rubro-negra.

Cada vez mais líder

Flamengo 2 x 0 Paraná

A torcida do Flamengo pôde acompanhar neste domingo, no encerramento da 11ª rodada do Campeonato Brasileiro, mais uma tranquila vitória do Urubu. Com gols de Diego, cobrando falta ainda no primeiro tempo, e de Felipe Vizeu – que pela terceira vez saiu do banco de reservas e guardou o seu –, o Rubro-Negro aumentou em mais 1 ponto sua “gordura” na liderança do torneio e agora, com 6 pontos de vantagem sobre o 2º colocado retornará da pausa para a Copa do Mundo com (na pior das hipóteses) uma sobra de 3 pontos no topo da tabela.

O resultado põe fim à “recuperação” do Paraná que havia conquistado duas vitórias seguidas e se aproximado da saída do Z-4.

O jogo também marcou a despedida de Felipe Vizeu da torcida do Flamengo. Negociado com a Udinese, o atacante fez seu último jogo com a camisa rubro-negra em casa diante de sua torcida. Vinícius Júnior é outro que pode ter se despedido do Maracanã e da torcida do Flamengo ontem. Após a vitória e sob os gritos de “fica”, Júnior foi comemorar o triunfo, aos prantos, abraçado ao torcedor flamenguista. O jovem de 17 anos pode estar à caminho do Real Madrid durante o recesso para a Copa do Mundo.

Pelo Brasileirão, o Flamengo tem mais um compromisso antes da pausa: enfrentará o Palmeiras – que tropeçou ontem contra o Ceará – no Allianz Parque em um confronto direto com um dos candidatos ao título.

 

Calvário de alvinegros

Santos 1 x 2 Internacional

O Internacional foi até a Vila Belmiro e saiu de lá com a vitória – e invicto pela 7ª rodada seguida. Agora com 19 pontos, o Colorado chega à 5ª colocação, uma posição atrás do Grêmio que com os mesmos 19 pontos leva vantagem nos critérios de desempate. O resultado, desastroso para o Santos, aumentou a pressão sobre Jair Ventura e sobre o time que encerrou sua participação da 11ª rodada do Brasileirão debaixo de vaias.

O jogo foi definido na bola parada, em dois pênaltis para lá de duvidosos e em uma cobrança de falta. No primeiro tempo, árbitro Wagner do Nascimento Magalhães viu pênalti na disputa entre Renato (do Santos) e Iago (do Inter). Infração pra lá de duvidosa, mas convertida por Leandro Damião aos 32 minutos do primeiro tempo – quando o Colorado era ligeiramente superior ao Peixe.

Aos 5 minutos do segundo tempo, Gabriel vê a aproximação de Moledo e se joga na área. Mais um pênalti pra lá de duvidoso marcado pela arbitragem. O próprio Gabigol bateu e marcou. 3 minutos depois, Lucca cobrou falta e Victor Cuesta completou de cabeça para o fundo do gol de Vanderlei. Lucas Veríssimo partiu para cima do auxiliar Luiz Cláudio Regazone e após reclamar de forma acintosa, foi expulso de campo.

Com um a menos o Santos, que nesta edição do Campeonato Brasileiro venceu apenas times que lutam contra o Z-4, nada pôde fazer além de assistir ao Internacional gastar o tempo e garantir os 3 pontos.

Corinthians 0 x 0 Vitória

Os otimistas dirão que foi o segundo jogo seguido sob o comando de Osmar Loss sem derrota do Timão. Os pessimistas dirão que foi a terceira partida sem vitória do Corinthians. E ambos estarão certos.

Sob o comando de Loss e contando com desfalques importantes, o Timão não consegue manter a regularidade desde a saída de Fábio Carille para o mundo árabe. Sem criatividade – com Rodriguinho apagado no jogo – e pouco poder ofensivo (Mateus Vital e Pedrinho não são atacantes de lado de campo) o Alvingero estacionou na 9ª posição, com 16 pontos e espera agora pelo último jogo antes da Copa do Mundo, contra o Bahia na Fonte Nova, para recolher-se, recuperar os atletas lesionados e adequar-se ao sistema de jogo de seu novo treinador – cada vez mais pressionado no cargo.

Com o empate, o Vitória chegou aos 12 pontos, caiu uma posição – é o 15º colocado – e está há apenas 3 pontos de distância do Atlético-PR que ocupa a 17ª posição (primeira do Z-4) com 9 pontos.

Bahia 3 x 3 Botafogo

Em um duelo emocionante, movimentado e com 6 gols, Bahia e Botafogo agitaram as coisas na Arena Fonte Nova. O resultado foi “menos pior” para o Tricolor que evitou, nos acréscimos, a sua quarta derrota seguida no Brasileiro e ruim para o Fogão que esteve na frente no placar por três vezes, mas não conseguiu segurar a vitória.

O Bahia começou melhor, mas uma falha de Tiago permitiu que Lindoso desse o passe para Kieza abrir o placar aos 11 minutos. Os visitantes então passaram a controlar o jogo até que Aguirre fez pênalti em Lucas Fonseca e foi expulso no final do primeiro tempo. Régis cobrou e empatou. Kieza, no início do segundo tempo, colocou o Botafogo na frente, mas um erro de Marcelo na saída de bola deu ao Bahia o contra-ataque que terminou em gol de Vinícius. Com os visitantes esgotados por terem corrido 45 minutos com um jogador a menos, Leo Valencia, cobrando falta, recolocou o time carioca na frente, mas, nos acréscimos, Allione de cabeça deu números finais ao jogo.

Um empate, no final, ruim para as duas equipes. O Botafogo continua na 12ª posição, com 14 pontos e o Bahia segue em 18º, no Z-4, com 9.

 

Dividindo a vice-liderança

Atlético-MG 5 x 2 Fluminense

Sob os gritos de “fica”, Róger Guedes – que saiu em baixa do Palmeiras – marcou 2 gols e foi um dos pilares do Atlético-MG na goleada em cima do Fluminense  – que completou uma série de quatro jogos sem vitórias no Brasileirão e, com 14 pontos, caiu para a 11ª posição. Guedes, para quem não sabe, tem proposta para se transferir para o Al-Wehda, time comandado por Fábio Carille e pode se despedir da Cidade do Galo na próxima rodada, no jogo contra o Ceará.

Após um primeiro tempo equilibrado, que terminou empatado em 2 a 2, o Galo voltou ligado para a etapa final e sufocou o Tricolor das Laranjeiras, que tentou equilibrar o duelo, mas, no final, não conseguiu evitar a goleada que, nos critérios de desempate, fez do Atlético-MG vice-líder do Brasileirão com 20 pontos (mesma pontuação do São Paulo, 3º colocado).

Atlético-PR 0 x 1 São Paulo

O São Paulo foi até a Arena da Baixada quebrar um tabu de 36 anos sem vitórias sobre o Atlético-PR em Curitiba – o último triunfo dos paulistas na capital paranaense foi em fevereiro de 1982. Sem nunca ter vencido o Furacão na Arena, o São Paulo contou com o talento de Nenê, aos 15 minutos do segundo tempo, em cobrança de pênalti cometido por Camacho em Everton, para pôr um ponto final no tabu.

Com o resultado, o Tricolor se junta ao Galo na “prateleira” de times com 20 pontos – 6 a menos que o Flamengo.

A derrota azedou de vez a relação de Fernando Diniz com a torcida atleticana que pediu sua demissão e gritou o nome de Tiago Nunes que foi campeão estadual com o time de aspirantes – enquanto que a equipe principal se concentrava em treinar e se preparar para as competições “maiores”. A diretoria do Furacão se reunirá nesta semana para reavaliar o trabalho de Diniz que corre grande risco de ser demitido antes mesmo da Copa do Mundo.

 

Tropeços da rodada

Ceará 2 x 2 Palmeiras

Jogando no Castelão, o Ceará arrancou um empate com gosto de vitória diante do superpoderoso Palmeiras que foi vítima da própria preguiça no segundo tempo e deixou escapar uma chance preciosa de se aproximar do líder Flamengo.

Após abrir uma vantagem de 2 a 0 ainda no início do primeiro tempo, com Thiago Santos e Dudu, o Palmeiras permitiu que o Vozão diminuísse, ainda na etapa inicial com Felipe Azevedo.

O intervalo do primeiro para o segundo tempo não fez bem para o Verdão que, preguiçoso, deixou de atacar o lanterna do Brasileirão e pagou pela sua soberba aos 42 minutos, quando Elton igualou tudo. À partir daí o Palmeiras “voltou” para o jogo, mas era tarde demais para mudar o placar.

Novo tropeço que levanta mais uma série de dúvidas sobre o trabalho de Roger Machado às vésperas do confronto crucial contra o Flamengo no Allianz Parque. Com 18 pontos, o Verdão caiu da 3ª colocação para o 6º lugar; enquanto que o Ceará segue lanterna com 5 pontos e nenhuma vitória – mas, sob o comando de Lisca, ainda não perdeu.

Chapecoense 2 x 0 Cruzeiro

Foi um jogo morno até os 34 minutos do segundo tempo. Com defesas bem postadas e dificuldades de criação, Chapecoense e Cruzeiro pouco faziam para ameaçarem os gols de Fábio e Jandrei até Bruno Silva – que havia entrado aos 28 minutos da etapa final – receber cruzamento de Apodi e mandar para o fundo do gol cruzeirense (em um lance que gerou muita reclamação, uma vez que a bola bateu em seu braço após o chute).

Atrás no placar, o Cruzeiro se lançou ao ataque, mas não tinha sucesso em suas tentativas de furar a defesa da Chape que ampliou aos 49 com Elicarlos em chute de fora da área.

Um excelente resultado para os donos da casa que lutavam para se afastar do Z-4 e ruim para o Cruzeiro que vinha em uma boa sequência de resultados e perdeu a oportunidade de se aproximar do líder e juntar-se ao “grupo dos 20 pontos”.

 

Sem surpresas

Vasco 3 x 2 Sport

Na (re)estréia de Jorginho como técnico do Vasco, o clube de São Januário interrompeu a série de cinco jogos sem derrotas do Sport e com “show” de Pikachu manteve os 3 pontos em casa.

O Vasco saiu na frente com Pikachu aos 18 do primeiro tempo. Aos 42, Paulão – que, muito vaiado, vem sendo perseguido pela torcida – tentou cortar uma bola lançada na área e acabou marcando contra. Aos 45 Pikachu em cobrança de pênalti recolocou os donos da casa na frente.

No segundo tempo, aos 28 minutos, Michel Bastos acerta bela bicicleta e deixa tudo igual. E o jogo seguiu aberto até que aos 44 minutos, Ramon aproveitou rebote na área e mandou para o fundo do gol defendido por Magrão e garantiu o triunfo vascaíno em São Januário e alguma paz no (re)início de trabalho de Jorginho no clube.

Grêmio 1 x 0 América-MG

Como era de se esperar, o Grêmio, apesar de alguma dificuldade, sofreu pouco para impôr ao América-MG a sua segunda derrota seguida no Campeonato Brasileiro. Tendo mais posse de bola e procurando espaços na defesa bem postada do Coelho que apostava nos contra-ataques, o Tricolor viu o jejum de gols de Everton terminar aos 31 minutos do primeiro tempo. Foi o ponto final em uma “seca pessoal” que já durava 6 jogos.

Sem forças o Coelho pouco ameaçou no segundo tempo e a falta de capricho do Tricolor impediu um placar mais elástico. No final, um susto: Marcelo Grohe salvou o Grêmio após cabeceio dentro da área de Rafael Moura no lance que daria o empate ao América-MG. E nada mais.

Com o resultado, o Grêmio entra no G-4 e o Coelho cai para a 13ª colocação, estacionado nos 13 pontos

 

Classificação do Campeonato Brasileiro da Série A – 2018

  1. Flamengo – 26 pontos
  2. Atlético-MG – 20 pontos
  3. São Paulo – 20 pontos
  4. Grêmio – 19 pontos
  5. Internacional – 19 pontos
  6. Palmeiras – 18 pontos
  7. Sport – 18 pontos
  8. Cruzeiro – 17 pontos
  9. Corinthians – 16 pontos
  10. Vasco – 15 pontos
  11. Fluminense – 14 pontos
  12. Botafogo – 14 pontos
  13. América-MG– 13 pontos
  14. Chapecoense – 13 pontos
  15. Vitória – 12 pontos
  16. Santos – 10 pontos
  17. Atlético-PR – 9 pontos
  18. Bahia – 9 pontos
  19. Paraná – 9 pontos
  20. Ceará – 5 pontos

Comentários

1 Comentário

1 Comentário

  1. Pingback: Palmeiras quer reduzir a vantagem do Flamengo | Ganhador.com

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar