Copa do Mundo Rússia 2018

Semifinal da Copa do Mundo 2018: cinco motivos para colocar a França como favorita contra a Bélgica

Seleção Francesa
Foto: FRANCK FIFE/AFP/Getty Images

 A Copa do Mundo enfim virou uma Eurocopa – e o duelo das 15h (de Brasília) da próxima terça-feira (10) tem ares de final antecipada em San Petersburgo                        

Brasil e Uruguai deram adeus ao Mundial da Rússia nesta sexta-feira (6) com a disputa das quartas de final. Com a saída das duas gigantes sul-americanas e com o avanço de França e Bélgica, respectivamente, a Copa do Mundo agora só tem seleções da Europa, que vão manter o tabu de só elas, as representantes do Velho Continente, ganharem os Mundiais que são disputados por lá. A última exceção vai continuar sendo o Brasil de 1958 – o atual Brasil comandado por Tite, convenhamos, fez pouco para honrar a tradição daquele mágico time de Pelé e Garrincha e caiu sem muita contestação diante da Bélgica: 2×1. Horas antes, a França havia feito o mesmo e batido o Uruguai que saiu de campo cabisbaixo e sem encontrar respostas para o seu 2×0.

França e Bélgica têm tudo para fazer um jogo empolgante, mas nós aqui no Ganhador estamos há dias dizendo que a seleção francesa é a melhor equipe desta Copa. E há cinco razões para imaginar que os Azuis têm mais chances de vencer que os belgas. Confira:

 

1 – O goleiro Lloris

A Bélgica conta mesmo com um goleiraço na figura de Courtois. Talvez ele tenha sido o grande responsável pela classificação do país diante de um Brasil que sofreu sim com a inconstância de Alisson. Mas os belgas não vão contar com este trunfo diante da França, porque Hugo Lloris é no mínimo do mesmo nível que Courtois. O goleiro francês talvez seja só mais discreto, mas é capaz de intervenções fantásticas como o salto milagroso que evitou o gol que permitiria o empate do Uruguai.

 

2 – Pavard, um míssil

Ele já havia feito um golaço histórico contra a Argentina. Contra o Uruguai, o lateral-direito Benjamin Pavard, de 22 anos, que joga no Stuttgart, provou que é muito eficiente também na marcação. Para a gente, não há dúvidas: ele é o grande nome na posição nesta Copa. E pode causar bastante estrago em uma seleção belga que se defende mal.

 

3 – Kanté, incansável

O torcedor brasileiro lembra com clareza do quão bem jogavam os volantes Mineiro e Elias quando ambos estavam no auge. Pois o francês N’Golo Kanté, do Chelsea, está no nível de ambos. Ele talvez tenha sido o melhor em campo diante do Uruguai, brilhando tanto na marcação como na distribuição de jogo. Preciso no desarme e objetivo para os passes – Kanté é daqueles monstros que fazem o futebol parecer simples. Conferir o seu duelo contra De Bruyne tem tudo para ser o ponto alto da semifinal ante a Bélgica.

 

4 – Mbappé, no rastro de Pelé

É claro que o francês de 19 anos tem, na comparação com o Rei do Futebol, apenas a precocidade como semelhança. Mas também não podemos ser exigentes demais e não olhar para ele como o mais brilhante adolescente a disputar uma Copa do Mundo nos últimos tempos. A cara feia da zaga uruguaia não foi nada para ele. Os defensores belgas são pesados e não demonstram capacidade de frear as suas arrancadas. Eis um trunfo contundente a favor da França tanto na semifinal quanto na eventual ida para a decisão.

 

5 – Griezmann, o novo Zidane

Se colocamos Mbappé e Pelé na mesma frase, ninguém deve ficar bravo ao ler a comparação entre Griezmann e Zidane. É claro que o mestre Zizou vai seguir sendo o francês mais brilhante a pisar em um gramado de futebol seja qual for o resultado deste Mundial. Mas também não devemos nos esquecer que Griezmann lembra demais Zidane em um aspecto dos mais úteis no futebol coletivo: a sua discrição. O futebol do craque do Atlético de Madri é o mais participativo possível, a ponto de ele ser respeitado até mesmo pelos adversários. Antoine mostrou que pode desempenhar múltiplas funções em campo e confundir defesas entrosadas e violentas – com verdadeiras “peneiras”, como a da Argentina, nem é preciso dizer muito. Insistimos: a Bélgica se defende mal, e isso ficou bem claro nas partidas contra Japão e Brasil. Griezmann tem tudo para levar vantagem perante os defensores. E ele vai ser essencial contra a Bélgica por uma razão específica: a comparação entre Giroud e Lukaku é praticamente inexistente, pois o potente atacante belga é muito, mas muito melhor que o francês…

 

Jogos das quartas de final da Copa do Mundo 2018

Sexta-feira, 6 de julho 

  • França 2×0 Uruguai
  • Brasil 1×2 Bélgica 

Sábado, 07 de julho:

  • 11h00: Suécia 0x2 Inglaterra
  • 15h00: Rússia 2×2 Croácia (Pênaltis: 3×4)

 

Jogo da semifinal da Copa do Mundo 2018

Terça-feira, 10 de julho 

  • 15:00 – Bélgica x França – Palpite: França

 

Como apostar na futebol 2021