UFC

Risco calculado: Lyoto Machida é o nome certo na hora errada para liderar o UFC Belém

Foto: Divulgação/UFC

Lyoto Machida é o astro principal do UFC Fight Night que acontece em Belém, neste sábado. O brasileiro tem enorme identificação com a cidade, apesar de ser baiano, e era o nome mais indicado para liderar o show. Mas o próprio carateca admitiu recentemente que, se pudesse escolher, faria seu retorno ao octógono mais famoso do mundo somente daqui a dois meses. O motivo? Aos 39 anos, Machida sabe que sua última derrota foi traumática e o corpo de um lutador precisa de um determinado tempo para se recuperar. A presença de Lyoto no UFC Belém é quase um risco calculado. Que essa conta não esteja errada.

Nascido em Salvador, Machida é radicado em Belém. Foi treinando lá que ele desenvolveu seu talento no caratê e ingressou no MMA até chegar ao título, em 2009. Ele se tornou campeão e manteve o título enquanto vivia em Belém. Hoje, ele mora em Los Angeles, Califórnia (EUA), mas terá a chance de se reencontrar com suas raízes no evento deste sábado.

Escalado para enfrentar Eryk Anders, Lyoto Machida sabe o risco que corre. Entrar no octógono já é um risco por si só. Estamos falando de um esporte de alto impacto, passível de lesões e danos graves ao estado físico de um atleta. O risco é ainda maior quando falamos de um lutador de 39 anos que irá colocar-se à prova mais uma vez três meses depois de um nocaute brutal como o aplicado por Derek Brunson em Lyoto.

Tive a chance de falar com Lyoto na última semana, via Skype, durante um evento promovido pelo UFC, e perguntei a ele se ele preferia lutar em outra data caso não houvesse o UFC Belém neste sábado.

“Na verdade, queria estar de volta logo. Quando o UFC ofereceu, não pensei duas vezes. A melhor coisa para apagar uma derrota é já estar de volta e já mostrar trabalho. Mas honestamente (se não fosse pelo UFC Belém) esperaria mais um mês, um mês e meio para poder realmente voltar depois. Mas a situação de ter um evento em Belém me motivou muito. Temos de nos motivar o tempo inteiro”, declarou o ex-campeão meio-pesado do UFC.

Apesar de ser uma decisão arriscada, Lyoto está mais focado nos benefícios que o evento pode render do que nos prejuízoes em caso de nova derrota. Ele é experiente e sabe muito bem suas probabilidades.

O rival é Eryk Anders, nove anos mais novo que Lyoto, invicto na carreira após dez lutas e cheio de energia. É claro que a experiência conta, e apesar da fase vejo Machida como favorito. Anders ainda é um novato e embora tenha sido corajoso ao desafiar o brasileiro, deve pagar o preço ao enfrentar o “Dragão” dentro de sua casa. Por outro lado, uma derrota pode colocar Lyoto no meio da discussão sobre aposentadoria. Ele tem muito mais a perder do que o adversário.

No fim das contas, a luta de Lyoto Machida no UFC Belém é um risco calculado. É um retorno antes da hora, em um evento onde será o astro principal, mas contra um jovem talento que pode surpreender. Existem prós e contras. Que nesta equação o resultado seja positivo.

Lyoto Machida é o nome certo na hora errada para o UFC Belém. Que o risco calculado dê frutos. A conferir!

Comentários

Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar