Ganhador.com

Copa Libertadores

Pressionado, o Cruzeiro precisa de uma vitória hoje no confronto direto com a Universidad de Chile

Precisando vencer e marcar gols, Sassá deverá ser a aposta do Cruzeiro no comando de ataque no jogo de logo mais.

Foto: Vinnicius Silva/Cruzeiro/Reprodução

Sem conquistar uma vitória desde o último dia 8 de abril, o Cruzeiro vai a campo hoje precisando dos 3 pontos para seguir vivo na Libertadores e diminuir as cobranças de torcida e diretoria em cima do elenco e do técnico Mano Menezes – campeões mineiros há cerca de três semanas.

Com o cartel de uma derrota e dois empates na Libertadores e acumulando duas derrotas nas primeiras rodadas do Campeonato Brasileiro, o Cruzeiro vai a campo hoje no Mineirão, às 19h15 (de Brasília), pela quarta rodada do Grupo 5, contra a Universidad de Chile em um confronto direto pelo 2º lugar no grupo – a UdC tem 5 pontos enquanto que o Cruzeiro tem 2; uma vitória por 2 gols de diferença coloca a Raposa na vice-liderança do grupo pelo saldo de gols. Sendo bem honesto, a situação do Cruzeiro neste momento só não é pior porque o time chileno também vem colecionando resultados ruins no campeonato nacional e chega ao Brasil debaixo de muitas críticas da torcida.

 

Esqueçam o mineiro

A conquista do Campeonato  Mineiro este ano pelo Cruzeiro foi importante até a página 2. Depois da festa no último dia 8, a Raposa emendou uma série de resultados ruins apresentando um futebol muito abaixo do potencial de seu elenco e viu seu técnico Mano Menezes ser questionado – pela diretoria, inclusive – em sua opção de jogar sem um atacante entre os titulares (vale lembrar que o Cruzeiro além de não vencer há 3 jogos, também não marcou gols neste mesmo período). Um bom resultado hoje é fundamental para que a equipe mineira siga viva na Libertadores, recupere seu bom ambiente e vá tranquila para o compromisso do final de semana contra o Internacional – duelo que, aliás, minha esposa gaúcha e gremista torce para que termine com a derrota de ambos.

Diante da curta paciência da torcida  – compreensível diante dos fracos números apresentados até aqui na Libertadores – Mano Menezes mexerá, principalmente, na dinâmica de ataque do time e Sassá deverá ser o 9 no duelo de logo mais.

 

A favor do Cruzeiro

Mas nem tudo são notícias ruins para o jogo de hoje. A favor do Cruzeiro temos seu retrospecto: nas 15 participações anteriores na Libertadores (1967, 1975, 1976, 1977, 1994, 1997, 1998, 2001, 2004, 2008, 2009, 2010, 2011, 2014, 2015), o clube mineiro nunca foi eliminado na primeira fase (grupos). E mais: na campanha do título em 1997, a Raposa perdeu os três primeiros jogos – contra Grêmio, Alianza Lima e Sporting Cristal. No returno, três vitórias e como 3º colocado do grupo (naquele ano classificavam-se três equipes) partiu rumo ao bicampeonato.

O próprio Mano Menezes citou a campanha de 1997 após o empate contra o Vasco no Mineirão para acalmar os ânimos da torcida.

O Mineirão também é uma das armas cruzeirenses para hoje. Em 15 jogos como mandante (somando todas as competições disputadas até aqui), o Cruzeiro tem 11 vitórias, 2 empates e 2 derrotas – 35 pontos conquistados em 45 possíveis. Números que merecem respeito.

 

Adversário chega criticado

Embora ocupe a 2ª colocação no grupo 5, a Universidad de Chile não chega a Minas em uma “lua de mel” com seu torcedor. Além do empate em 0 a 0 contra o Cruzeiro na semana passada, a UdC perdeu, de virada, o clássico para o Colo-Colo por 3 a 1, em casa, e levou um chocolate de 6 a 1 para o Union La Calera, fora, jogando com apenas três titulares, no último domingo. Evidentemente que a torcida tem questionado demais o trabalho do técnico Guillermo Hoyas que, punido pelos atrasos em fazer seu time retornar do intervalo nos jogos contra Racing e Vasco, não estará no banco de reservas hoje comandando sua equipe. Em seu lugar entra o preparador de goleiros Gustavo Flores. Isso, evidentemente, afetará o desempenho da UdC que, como visitante, tem feito uma temporada razoável com 10 vitórias, 1 empate e 4 derrotas nos últimos 15 jogos disputados longe de seus domínios.

 

Possíveis escalações

Precisando de uma resposta imediata, o Cruzeiro terá mudanças em sua dinâmica de ataque para buscar a primeira vitória  no Grupo 5 e a arrancada rumo aos mata-mata. Para isso, o provável time será:

Fábio; Edílson, Dedé, Léo e Egídio; Henrique e Lucas Silva; Thiago Neves, Robinho e Arrascaeta; Sassá. Técnico: Mano Menezes.

Desfalcado de seu técnico, Guillermo Hoyas, mas com os retornos do lateral-esquerdo Beausejour e do zagueiro Jara, a Universidad de Chile provavelmente irá a campo com:

Johnny Herrera; Vilches, Echeverría e Jara; Matías Rodriguez, Pizarro, Reyes e Beausejour; Araos, Soteldo e Pinilla. Técnico: Gustavo Flores.

 

Onde ver

O jogo entre Cruzeiro e Universidad de Chile terá transmissão do SporTV à partir das 19:15 (Brasília).

 

Palpite para Cruzeiro x Universidad de Chile

O duelo do hoje pode decidir não apenas a sorte do Cruzeiro na Libertadores como também o destino de Mano Menezes em Minas Gerais. Tratada como prioridade em 2018, a conquista do título continental é uma obsessão na Toca da Raposa. Conseguir os 3 pontos hoje é fundamental para os planos cruzeirenses.

Para isso, Mano Menezes deverá deixar de lado a sua habitual cautela e usará um time mais ofensivo, buscando pressionar a defesa adversária desde os instantes iniciais do jogo.

A Universidad de Chile, “sem técnico” e acumulando dois resultados muito decepcionantes no Campeonato Chileno jogará fechada pois sabe que um empate em Minas é um ótimo resultado contra o concorrente direto pela vaga aos mata-mata. A dúvida é se a defesa da UdC, liderada pelo presepeiro Johnny Herrera, vai aguentar a pressão de um Mineirão lotado e uma Raposa “mordida” que precisa vencer. Particularmente, acho que não. Cruzeiro vence – com alguma dificuldade, mas vence.

 

Palmeiras classificado

Enfrentando o sempre assustador Boca Juniors ontem em La Bombonera, o Palmeiras respondeu em campo à pequena parcela da torcida que elevou o tom das cobranças em cima, principalmente, do capitão Dudu, e com um incontestável 2 a 0 garantiu-se nas oitavas de final do torneio e agora luta para terminar a fase de grupos com a melhor campanha geral – que lhe dará o privilégio de decidir todos os mata-mata (até a final) em casa.

Foi, talvez, o melhor jogo do Palmeiras no ano. Preciso na frente quando marcou seus 2 gols – Keno no primeiro tempo e Lucas Lima no segundo – o Verdão soube segurar a pressão argentina em seu campo de defesa e mostrou futebol de candidato ao título – da Libertadores e Brasileiro. A dúvida agora é se os comandados de Roger Machado conseguirão manter a intensidade de ontem daqui para frente.

Comentários

Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar