Tênis

Preparando-se para o US Open, Alexander Zverev, John Isner e Andy Murray são os principais destaques no ATP 500 de Washington

Destaques do US Open e do ATP 500 de Washington.
Foto: Cynthia Lum/Icon Sportswire via Getty Images

Terceiro colocado no ranking da ATP, alemão é o cabeça de chave número 1 do torneio e principal favorito ao título; britânico tem mais uma semana para seguir evoluindo em quadra após quase um ano parado

Ainda falta um mês para o quarto e último Grand Slam do ano, mas a preparativos para o US Open seguem a todo vapor nos Estados Unidos. O ATP 500 de Washington é a principal pedida desta semana para os tenistas que buscam melhorar suas posições no ranking devido ao chaveamento do Major final de 2018. Com Alexander Zverev, número três do mundo; John Isner, atual campeão do ATP 250 de Atlanta; a revelação sul-coreana Hyeon Chung e o britânico Andy Murray; o torneio na capital estadunidense tem promessa de importantes embates.

 

Zverev x Jaziri

Depois de folgar na primeira rodada, Alexander Zverev estreia nesta terça-feira (31 de agosto) contra o tunisiano Malek Jaziri, atual número 64º do mundo e responsável por vencer o russo Evgeny Donskoy na abertura.

O alemão entra no torneio com a responsabilidade de ser o atual campeão após superar o sul-africano Kevin Anderson na final. Com dois títulos na temporada (Masters 1000 de Madrid e ATP 250 de Munique), sequência de 36 vitórias e 11 derrotas e vindo de uma terceira rodada em Wimbledon, o número três do mundo – sua melhor posição na carreira – tem uma chave interessante rumo ao bicampeonato em Washington DC. Caso supere Jaziri, o alemão pode fazer um confronto em família com o irmão Mischa Zverev (42º). Depois, ele poderá encontrar nas quartas Stan Wawrinka ou Kei Nishikori, além de David Goffin (11º) ou Nick Kyrgios (17º) na semifinal.

 

Murray x Edmund

Dando sequência ao processo de recuperação após longos 11 meses parado, se tratando de uma grave lesão no quadril, Andy Murray disputa seu terceiro torneio em 2018. O atual número 832 do mundo – ranking em razão de sua inatividade – é uma das principais atrações de Washington, competição que pode servir de impulso para a reta final da temporada. Depois de participações em torneios na grama, como Queens e ATP 250 de Eastbourne, em junho passado, o britânico foca no piso duro para continuar sua evolução.

Vindo de uma importante vitória sobre Mackenzie McDonald na abertura do ATP 500, vencendo o norte-americano de virada, em placar de 3/6, 6/4 e 7/5, em duas horas e 37 minutos de jogo, o campeão de 45 torneios de nível ATP busca a revanche contra Kyle Edmund. Isso porque o bicampeão de Wimbledon caiu diante Edmund, uma das revelações da temporada, em Eastbourne. Mais solto em quadra, o tenista de 31 anos terá a oportunidade de dar o troco no atual número 18.

 

Isner x Rubin

Murray está do lado debaixo da chave do ATP 500 de Washington, que ainda conta o sul-coreano Hyeon Chung (23º), o norte-americano Steve Johnson (34º), o francês Lucas Pouille (19º) e John Isner como destaques. Por falar no grandalhão estadunidense, ele é um dos mais cotados para fazer final nos Estados Unidos.

Vindo de um pentacampeonato no ATP 250 de Atlanta, o número 7 do ranking da ATP tem feito até agora sua melhor temporada da carreira. Além da competição no estado da Geórgia, o tenista de 33 anos venceu neste ano o Masters 1000 de Miami, batendo Zverev na final, e atingiu recentemente a semifinal de Wimbledon. Semifinalista de Washington em três oportunidades (2007, 2013 e 2015), Isner tentará superar a barreira do vice-campeonato. Sua jornada começa contra o compatriota Noah Rubin (152º), que ganhou o convite da organização e venceu na primeira rodada o russo Mikhail Youzhny. Caso avance, o cabeça de chave número 2 do torneio pode ter na sequência Andrey Rublev (46º), Karen Khachanov (37º), Murray e até Chung antes de uma eventual final.

 

Outros destaques

Além dos favoritos ao título, a 50ª edição do ATP 500 de Washington conta com outros importantes nomes do circuito, que se não possuem a condição entre os postulantes ao troféu, terão ao menos uma semana sem pressão para atingirem seus resultados. São os casos de Stan Wawrinka e Nei Nishikori (20º). Sofrendo para ganhar ritmo de jogo desde a cirurgia no joelho, o suíço, três vezes campeão de Grand Slam e hoje apenas 198º no ranking, enfrenta o norte-americano Donald Young na primeira rodada. Já o japonês, que vem de quartas de final de Wimbledon depois de superar os problemas no punho, aguarda justamente o vencedor de Wawrinka e Young. Vale lembrar que quem passar pode ter pela frente o canadense Denis Shapovalov (26º) nas oitavas de final.

 

Comentários

Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.