Ganhador.com

Surfe

Mundial de Surfe: Filipe Toledo chega à etapa de Teahupoo como líder e mais perto do título

O surfista Filipe Toledo em J-Bay
Foto: Filipe Toledo Instagram Oficial

No entanto, surfista paulista terá que contrariar retrospecto muito ruim na etapa do Taiti

Depois de uma etapa de tirar o fôlego em Jeffrey’s Bay, o Campeonato Mundial de Surfe deu uma longa pausa até a etapa do Taiti, que terá início nesta semana – de 10 a 21 de agosto. O brasileiro Filipe Toledo repetiu a dose de Saquarema e foi o vencedor em J-Bay pelo segundo ano consecutivo. Mas Toledo tem uma história notória, senão duvidosa, no Taiti.

Será um desafio e tanto para o dono da camisa amarela, que teve uma pontuação de 0,00 (único na história), já que ele não conseguiu pegar uma única onda durante uma bateria em Teahupoo, na etapa de 2015. Seu melhor resultado foi um 9º lugar.

 

Filipe Toledo luta contra retrospecto ruim em Teahupoo para se manter no topo do WCT

Mas em 2018, ele se esforçará para contrariar essa tendência e se tornar um candidato legítimo ao título, quando passou várias semanas surfando Teahupoo antes da competição. Enquanto esperamos para ver se, na prática, Toledo realmente se aperfeiçoou, existem várias estatísticas a serem consideradas.

Nos últimos anos, Filipe melhorou, de alguma forma, todas os aspectos de sua técnica. Apenas um desinformado sugeriria que ele não é o melhor surfista do mundo em ondas de mais de dois metros e meio. Para um aspirante a campeão mundial, porém, isso apresenta um pequeno problema. A turnê teimosamente inclui ondas como Chopes, Pipe e Margaret River.

Diferente do trágico ano de 2015, ele está pronto para encarar as temidas ondas de Teahupoo. Aliás, trata-se de uma notícia que desagrada a Julian Wilson e Gabriel Medina, números dois e três na lista de classificação, respectivamente. Wilson e Medina são muito confortáveis nas ondas da etapa do Taiti, de modo que, presumivelmente, eles se sentiam muito bem em ultrapassar Filipe Toledo na parte pesada do WCT.

 

Acidente nos corais

Durante os treinos no Taiti, Filipe Toledo sofreu uma queda e teve escoriações nas costas e no braço esquerdo, mas tudo não passou de um susto, apesar das feridas. O surfista chegou mais cedo ao arquipélago para intensificar a preparação para a sétima etapa, em Teahupoo. No final de uma onda intermediária, acabou rodando no lip e caiu na bancada, que já estava bem rasa, sem água. Em suas redes sociais, ele tratou de tranquilizar os fãs.

“Estou super bem, só um raladão mesmo, mas já estou cuidando, passando pomada e logo estou pronto para a próxima”, disse Filipinho.

 

Estatísticas do Taiti Pro

  • Historicamente falando, pelo menos uma bateria será realizada em ondas com menos de seis pés;
  • Gabriel Medina tem o melhor desempenho recente nos últimos quatro anos. Ele ganhou o evento em 2014 e chegou à final em 2015 e 2017;
  • Há cinco ex-vencedores do Taiti competindo no evento deste ano: Adrian Buchan, Gabriel Medina, Julian Wilson, Jeremy Flores e Kelly Slater (pentacampeão);
  • Aliás, Teahupoo foi onde aconteceu a última das 55 vitórias Kelly Slater no CT. A decisão aconteceu contra John John Florence, em 2016. Os dois últimos anos, desde então, têm sido os mais sem brilho da carreira de Slater;
  • Dos 19 anos que este evento foi no Championship Tour, foi vencido dez vezes por um regularfoot (atleta que surfa com o pé esquerdo na frente) e nove vezes por um goofyfoot (competidor que surfa com o pé esquerdo na frente). É facilmente a etapa mais equilibrada com base nessa estatística.

 

Raio-X do Taiti Pro Teahupoo 2018

  • Sétima etapa da elite daWSL
  • Período de disputa: 10 a 21 de agosto
  • Local: Ilha de Teahupoo
  • Atual campeão: Julian Wilson
  • Wildcards/lesões /substituições por lesões: Caio Ibelli e John John Florence estão ambos fora do Taiti Pro devido a lesão. Eles foram substituídos por Miguel Pupo e Wiggolly Dantas. Os curingas ainda precisam ser anunciados.

 

Baterias confirmadas na primeira rodada da etapa do Taiti do WCT

  • Bateria 1: Wade Carmichael, Ezequiel Lau, Ian Gouveia
  • Bateria 2: Jordy Smith, Sebastian Zietz e Miguel Pupo
  • Bateria 3: Italo Ferreira, Tomas Hermes e Kelly Slater
  • Bateria 4: Gabriel Medina, Joel Parkinson, Wiggolly Dantas
  • Bateria 5: Julian Wilson, Yago Dora, TBA
  • Bateria 6: Filipe Toledo, Connor O’Leary, TBA
  • Bateria 7: Willian Cardoso, Jeremy Flores e Joan Duru
  • Bateria 8: Michel Bourez, Frederico Morais, Michael fevereiro
  • Bateria 9: Griffin Colapinto, Kanon Igarashi, Keanu Asing
  • Bateria 10: Owen Wright, Adriano DeSouza e Matt Wilkinson
  • Bateria 11: Caixão de Conner, Kolohe Andino, Pat Gudauskas
  • Bateria 12: Michael Rodrigues, Adrian Buchan, Jesse Mendes

 

Comentários

Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar