Vôlei

Liga das Nações de Vôlei Masculino: o que esperar da estreia do Brasil contra a França em Lille?

Seleção de Vôlei Masculino
Foto: Wander Roberto/Inovafoto/CBV

Técnico Renan dal Zotto prevê uma partida complicadíssima naquele que é o principal clássico do vôlei mundial na atualidade                         

Brasil e França podem se enfrentar nas semifinais da Copa do Mundo de futebol, mas há um outro confronto, igualmente acirrado, já previsto para acontecer nesta própria quarta-feira (4), quando o Brasil estreia na Fase Final da Liga das Nações de Vôlei Masculino. E este passo inicial vai ser dado logo contra os poderosos donos da casa na cidade de Lille, às 15h45 (de Brasília), com transmissão ao vivo do SporTV 2.

 

No limite

Não é necessário usar meias-palavras: a seleção brasileira não fez uma boa fase de classificação na Liga das Nações e entrou apenas como a quinta colocada, a última posição disponível. E a França, mesmo garantida como país-sede, terminou na primeira colocação, com duas vitórias a mais que o Brasil (12 a 10).

A chave do Brasil nesta Fase Final da Liga das Nações é complicadíssima. Brasil, França e Sérvia formam o Grupo A, enquanto Estados Unidos, Rússia e Polônia estão no Grupo B. Não daria mesmo para esperar qualquer moleza em uma fase final com as melhores seleções do mundo todas juntas. O sistema de disputa é o tradicional. Os dois melhores de cada grupo avançam para as semifinais, no sábado (7), às 9h e 11h (de Brasília). Os perdedores tentarão o bronze no domingo (8), às 12h, enquanto a decisão do título acontece no mesmo dia, às 15h45.

O Brasil tem os seguintes jogadores à disposição para o desafio que talvez seja o mais difícil de Renan dal Zotto no comando da seleção: os levantadores são Bruninho e William; os opostos ,Wallace e Evandro; os centrais, Lucão, Maurício Souza, Éder e Isac; os ponteiros são Maurício Borges, Lucas Lóh, Douglas e Victor Cardoso, com os líberos Murilo e Thales.

 

Complicação

Embora os líderes da equipe reconheçam as condições do Brasil, a sensação geral entre os fãs do vôlei é que não será nenhuma surpresa se a equipe sequer conseguir uma vaga para as semifinais. E a estreia contra a França tem tudo para ser particularmente difícil. “A arena de Lille ficou realmente muito bacana. É um estádio de futebol, que está sendo usado em proporções menores, com metade do espaço. Sentimos um pouco do clima do que vai ser o jogo de amanhã, quando a casa deve estar lotada por ser contra a França, os donos da casa”, comentou Bruninho. “Estamos todos muito motivados, fizemos um bom trabalho nesta tarde, estamos prontos e querendo muito fazer um bom resultado aqui nesta semana.”

“Chegamos bem, tivemos uma boa semana de treinos em Saquarema e estamos confiantes nesta etapa”, analisou o técnico Renan, que prevê um duelo bastante parelho nesta quarta. “Sabemos que a França é uma seleção fortíssima, mas o jogo é aberto. Eles vão ter o apoio da torcida, mas não acredito em favoritismo.”

“Temos duas finais neste momento. Estamos focados para buscar a vitória no primeiro jogo, o que significa um passo importante, e depois vamos concentrar na Sérvia. A França tem um time muito equilibrado, homogêneo, e esse é um jogo onde temos que funcionar bem em todos os fundamentos. O saque tem que entrar legal, o bloqueio, nossa virada de bola, contra-ataque…Por isso encaramos realmente esse jogo com uma final”, concluiu o treinador.

 

Palpite

A classificação da Liga das Nações não deixou dúvidas a respeito da capacidade de uma França que tem uma das seleções mais interessantes não só da atualidade – mas da trajetória moderna do vôlei. O time tem peças essenciais por onde quer que se olhe: Ngapeth, Le Roux, Toniutti…

Na fase de classificação, Brasil e França se enfrentaram em Varna (Bulgária) e o resultado registrou um incômodo 3 sets a 0 para os franceses. Talvez não seja para tanto desta vez, mas a França é sim favorita – o Brasil vai precisar caprichar demais no duelo contra a Sérvia para passar de fase. Os sérvios são mais acessíveis. Mas ainda assim vão exigir bastante da seleção brasileira que, é interessante ressaltar, arrasou a equipe na própria Sérvia com um outro 3 a 0 bastante emblemático.

É preciso ressaltar, porém, que o Brasil vem de tropeços homéricos nas últimas semanas, com derrotas para Argentina, Bulgária e Canadá. O nível de exigência nos próximos jogos será o mais alto possível. E é bom que toda a seleção esteja consciente disso.

 

Jogos do Grupo A da Fase Final da Liga das Nações de Vôlei Masculino

Quarta-feira, 4 de julho 

  • 15:45 – França 3×2 Brasil – Palpite: França 

Quinta-feira, 5 de julho 

  • 15:45 – Sérvia x Brasil – Palpite: Brasil 

Sexta-feira, 6 de julho

  • 15:45 – Sérvia x França – Palpite: França

 

Comentários

1 Comentário

1 Comentário

  1. Thaynara

    4 de julho de 2018, às 19:31

    Queria assistir como faço

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.