Vôlei

Liga das Nações de Vôlei Masculino: Brasil x França virou o maior clássico da atualidade?

Seleção Brasileira de Vôlei Masculino
Foto: Wander Roberto/Inovafoto/CBV

Seleção de Renan dal Zotto enfrenta os franceses às 9h30 (de Brasília) deste sábado (16) em um confronto que promete enorme equilíbrio outra vez                       

A Copa do Mundo de futebol já começou, para alegria dos torcedores que esperam o hexa da seleção de Tite. Mas há muita vida fora dos gramados e dos estádios, e quem quiser acompanhar um verdadeiro jogaço de vôlei masculino pode acordar cedo no sábado porque não há chances de se arrepender. A partir das 9h30 (de Brasília), Brasil e França voltam a medir forças, desta vez pela etapa de Varna da Liga das Nações de Vôlei Masculino. O SporTV 2 vai transmitir ao vivo o confronto que será realizado na Bulgária.

 

Desfalque importante

O time comandado por Renan dal Zotto sofreu uma baixa nem bem chegou à Bulgária. O central Maurício Souza sentiu uma lesão muscular abdominal nesta terça-feira e foi afastado da etapa.

“O Maurício sentiu uma dor pontual no músculo reto abdominal esquerdo no treino de hoje. A ressonância magnética mostrou uma ruptura. Vamos tratá-lo para retornar o mais breve possível”, analisou o medido da seleção, o doutor Felipe Serrão.

Para quem pensa que vida de atleta é moleza, o fisioterapeuta Matheus Cardoso detalhou qual vai ser o tratamento que ele precisa cumprir a partir de agora. “O Maurício já começou um trabalho imediato de fisioterapia, se dedicando integralmente na recuperação. A tendência é que ele faça uma média de sete a oito horas de fisioterapia por dia. Nosso objetivo é que ele esteja pronto para a fase final da Liga das Nações, já que o prazo médio dessa recuperação varia em torno de três semanas.”

Com a saída do atleta, as opções para a sua vaga são Lucão, Isac e Otávio. “É uma pena não poder contar com o Maurício especialmente nesta etapa, que vai ser muito difícil. Sem dúvida, é um jogador que faz falta, mas temos outros três ótimos centrais, que, certamente, irão suprir a nossa necessidade”, afirmou o técnico Renan.

 

De olho na final

A atual semana de disputas é a quarta – depois desta, o Brasil só tem mais uma pela frente, em Melbourne, na Austrália, antes de começar as finais, que estão marcadas para ocorrer entre os dias 4 e 8 de julho em Lille, na França.

O Brasil é o segundo colocado na classificação geral da Liga das Nações, com 23 pontos somados em oito vitórias – sobre Sérvia, Alemanha, Coreia do Sul, Japão, Estados Unidos, Rússia, Irã e China – e só uma derrota, sofrida para a Itália, por 3 sets a 2. A Polônia é a primeira colocada, também com 23 pontos, mas com um saldo melhor de sets.

Os comandados de Renan jogam na sexta (15), às 9h30, contra o Canadá, no sábado (16), também às 9h30, contra a França, e no domingo (17), às 12h30, contra a Bulgária. O SporTV 2 mostra as três partidas.

A expectativa é por mais nove pontos – cada vitória na Liga nas Nações rende três. A França é com certeza a adversária mais complicada. Campeã da última Liga Mundial em cima do Brasil em plena Curitiba em um inesquecível duelo terminado só no quinto set, os azuis ocupam a terceira posição na tabela, enquanto Canadá (oitava) e Bulgária (12ª) aparecem bem mais atrás.

A ascensão da França coloca os europeus como um rival realmente à altura da tradição brasileira no esporte. E quem tem enorme responsabilidade nesta ótima fase francesa nas quadras é o “maluco beleza” Earvin N’Gapeth, o melhor atacante do mundo na atualidade. Ele vem atuando normalmente pela França nesta Liga das Nações e é presença mais do que esperada para atuar contra o Brasil.

Quando dizemos “esperada”, e não “presença confirmada”, é porque ele é um barril de pólvora e vive se envolvendo em problemas. Com ele em quadra, a França cresce demais. Nada, porém, que assuste o Brasil no histórico direto. Das últimas cinco partidas, o Brasil ganhou quatro – mas perdeu a mais importante, a decisão da Liga em Curitiba.

A chance de revanche pode vir já neste ano: como país-sede, a França já está classificada para a final da Liga das Nações e tem grandes possibilidades de repetir a final contra o Brasil. Mas é bom ter olho aberto – Polônia, Estados Unidos e Rússia também surgem com força para brigar pela decisão.

 

Liga das Nações de Vôlei Masculino – etapa de Varna (Bulgária)

Sexta-feira, 15 de junho 

  • 09:30 – Canadá x Brasil – Palpite: Brasil
  • 12:30 – Bulgária x França – Palpite: França 

Sábado, 16 de junho 

  • 09:30 – França x Brasil – Palpite: Brasil
  • 12:30 – Bulgária x Canadá – Palpite: Canadá

Domingo, 17 de junho 

  • 09:30 – França x Canadá – Palpite: França
  • 12:30 – Bulgária x Brasil – Palpite: Brasil

 

Comentários

1 Comentário

1 Comentário

  1. edilene

    16 de junho de 2018, às 11:02

    O que aconteceu..Não parece o Brasil em quadra

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.