Ganhador.com

Copa do Mundo Rússia 2018

Croácia x Inglaterra: alguém se deu conta de que a Croácia sequer existia quando a Inglaterra foi semi pela última vez?

ENG-CRO
Fotos: MARTIN BERNETTI/AFP/Getty Images e Alex Livesey/Getty Images

 As seleções se enfrentam em Moscou às 15h (de Brasília) desta quarta-feira (11) em um confronto que já está entre as maiores surpresas da história recente das Copas                          

É mesmo para ser lembrado a cada instante: a Inglaterra está a 90 minutos de sua primeira decisão de Copa do Mundo em 52 anos. Foi em 1966 que o English Team alcançou a finalíssima do torneio que organizou, vencendo a Alemanha para dar a sua única volta olímpica até aqui. Mas o brilho inglês pode ser medido de uma outra maneira. A equipe teve uma boa geração – Lineker, Gascoigne e Shilton – no final dos anos 80 e começo dos 90, e alcançou também uma semifinal no Mundial da Itália, em 1990, perdendo nos pênaltis para a Alemanha.

Aquela foi a última aparição inglesa em uma semifinal. E que ironia: adversária desta quarta (11), a Croácia então sequer existia. Foi só em 8 de outubro de 1991 que foi reconhecida a sua independência e o país deixou de fazer parte da então Iugoslávia. É mesmo o exemplo perfeito para traçar que esta semifinal será o típico confronto do velho contra o novo no futebol.

 

A famosa pontualidade britânica

O mundo inteiro sabe: os ingleses amam chá (e cerveja) e prezam pela admirável pontualidade. Mas esta forma tão britânica de ser comete alguns exageros, e o que está na Copa do Mundo é um deles. A Inglaterra não previa este êxito todo. A geração trabalhada pelo técnico Gareth Southgate traçou como objetivo chegar à semifinal da Eurocopa de 2020 e brigar pelo título mundial no Catar-2022.

Mas eis que estamos em 2018 e falando dos gols de Kane e das defesas de Pickford. E não há mistério nesta ascensão: o trabalho de base feito por Espanha, França e Bélgica foi apenas reproduzido pelos ingleses.

A FA, a “CBF” deles, treina desde 2012 em uma moderníssima cidade esportiva erguida em St George’s Park. A ideia é formar atletas que conhecem a teoria e a prática dos valores do tradicional futebol inglês. Lá, o jogador desde criança aprende a ter a posse de bola e fazer rápidas transições, desenvolvendo sempre suas capacidades técnicas, táticas, físicas e psicológicas. Este “manual de instruções” serve para os infantis e serve para os adultos.

Tal melhoria na seleção se deu de maneira notável. E a Inglaterra foi esperta em beber também os milhões que são despejados na Premier League. Os dirigentes perceberam que uma excelente maneira de fomentar o seu produto é contar com jovens astros locais. A cada ano, então, é destinada uma verba específica para esses programas de desenvolvimento que já estão dando resultados mais do que interessantes.

 

Esta é a melhor Croácia da história?

Suker ou Modric? Prosinecki ou Rakitic? O clima na Croácia à espera desta semifinal é o melhor possível. O pequenino e simpático país dos Bálcãs, com 4,2 milhões de habitantes, está todo centrado em uma questão essencial: este time atual é melhor que o de 1998, que também chegou a uma semifinal, mas perdeu para a França e ainda assim terminou com um terceiro lugar, ao então bater a Holanda?

Os jogadores de antigamente fazem jus à experiência e ao momento dos conterrâneos. Para eles, não há dúvidas de que a atual safra é a melhor, e que as chances de a Croácia bater a Inglaterra são consideráveis.

Time por time, há um equilíbrio que pode ser realmente colocado em análise. O único ponto que por enquanto demonstra uma clara vantagem em favor dos ingleses é no seu posto de goleador. Harry Kane cravou impressionantes seis gols em quatro jogos até aqui. Mario Mandzukic, titular da Juve, disputou cinco partidas e só balançou as redes uma única vez, contra a Dinamarca.

A seleção da Inglaterra é mais forte e mais tática – pode-se dizer que a Croácia tem jogadores mais técnicos e consegue ser mais veloz. Tem tudo para ser um jogo de infinitos detalhes e com definição apenas nos instantes finais.

 

Palpite

A Inglaterra demonstrou contra a Suécia que está realmente capacitada a chegar a uma decisão de Copa do Mundo. A Croácia, porém, já demonstrou que não cai com qualquer golpe. Trata-se de um time resistente e com boas respostas seja qual for o cenário da partida. Mas a diferença de ânimo entre um país e outro é muito grande. A Inglaterra sabe que está diante de um feito que representa muito para a sua nação. Para a Croácia, a festa vai continuar em caso de ida à decisão ou não. Por isso, imaginamos uma vitória simples – 1×0 ou 2×1 – em favor dos ingleses nesta semifinal.

 

Jogos das semifinais da Copa do Mundo 2018

Quarta-feira, 11 de julho 

  • 15:00 – Croácia 2×1 Inglaterra

 

Comentários

Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar