Ganhador.com

Fórmula 1

Hamilton reassume a ponta e pode disparar no GP da Áustria

Lewis Hamilton
Foto: Dan Istitene/Getty Images

Com vitória no GP da França, piloto da Mercedes desbancou Sebastian Vettel na tabela de classificação

Tudo deu certo para Lewis Hamilton no GP da França. O piloto da Mercedes foi o mais rápido desde os primeiros treinos livres, e beneficiado por um erro de Vettel, venceu a corrida praticamente de ponta a ponta. De volta à liderança do campeonato, agora com 14 pontos de vantagem para o rival, ele é o piloto a ser batido no Grande Prêmio da Áustria, a nona das 21 etapas do circuito mundial, que acontece no domingo (01), a partir das 10:10 da manhã (horário de Brasília).

Desde que a Fórmula 1 retornou ao Red Bull Ring, em 2014, após um hiato de 11 anos, quem deu as cartas foi a Mercedes, que nas últimas quatro temporadas teve sempre um de seus pilotos no ponto mais alto do pódio no circuito austríaco.

 

Corrida terá três zonas DRS

Com 4326 metros de extensão, nove curvas, e tempos médios girando na casa de 1 minuto e 10 segundos, Red Bull Ring é um circuito curto e veloz, considerado traiçoeiro por muitos pilotos. O diretor de provas, Charlie Whiting, fez um anúncio animador para o público que espera mais competitividade na pista: “Acrescentamos uma zona de DRS na Áustria. Temos três pontos de detecção, três pontos de ativação, e a zona nova é entre as curvas 1 e 3.”

Isso significa que o GP da Áustria terá mais um ponto onde será permitido o uso do Sistema de Redução de Arrasto, o que torna os carros mais rápidos em situações de ultrapassagem. Originalmente, apenas dois estavam previstos, o primeiro na curva 3 e o outro na reta principal.

“A volta relativamente curta na Áustria torna o circuito desafiador, pois aperta o grid na classificação e deixará as diferenças ainda mais apertadas. A classificação é particularmente importante, porque as ultrapassagens têm sido historicamente complicadas, apesar das longas retas, embora precisemos esperar para ver se isso muda este ano com uma zona de asa móvel adicional.”, diz Toto Wolff, o chefão da Mercedes.

Bottas foi o vencedor no ano passado

O piloto da Mercedes Valtteri Bottas venceu sem maiores dificuldades o GP da Áustria na temporada passada. O finlandês largou na pole position e liderou a prova quase que de ponta a ponta, sendo seguido por Vettel. Hamilton, que largou em oitavo, precisou fazer uma corrida de recuperação, e terminou em quarto.

Foi a quarta vitória consecutiva na Mercedes na pista. Nos anos anteriores, a equipe já havia levado a melhor com Hamilton e Rosberg, que foi o mais rápido em 2014 e 2015.

Bottas, que chegou a ultrapassar Ricciardo e assumir a terceira colocação na tabela de classificação do campeonato antes do GP do Canadá, foi o grande prejudicado por um erro de Vettel na última corrida. O alemão perdeu o controle do carro na largada e atingiu o finlandês, que teve um pneu furado, sofreu danos em seu assoalho, e de acordo com engenheiros da Mercedes, perdeu 5% de downforce. Com instabilidade traseira nas curvas, o carro passou a exigir mais dos pneus, e o piloto não conseguiu ter um bom desempenho. Acabou terminando em sétimo, quando o planejado era ficar entre os seis primeiros.

Com o mau resultado, voltou a ficar atrás do australiano, que agora tem uma vantagem de quatro pontos.

Red Bull espera fazer bonito em casa

Proprietária da pista, a RBR nunca conseguiu fazer um vencedor no circuito de Red Bull Ring, e nos últimos anos apenas assistiu a festa da Mercedes. Seu melhor desempenho foi o segundo lugar de Verstappen em 2016.

Curiosamente, o traçado da pista não favorece os carros da equipe. Em suas longas retas, a potência do motor costuma falar mais alto, e neste quesito Mercedes e Ferrari levam vantagem.

A Red Bull espera fazer um duplo pódio, mas sabe que será difícil superar a Mercedes, que no GP da França lançou com sucesso seu novo motor de “especificação B”.

Hamilton tem retrospecto superior ao de Vettel na Áustria

O circuito de Red Bull Ring definitivamente não está entre os favoritos de Sebastian Vettel. Até o ano passado, o piloto nunca havia subido ao pódio na Áustria. A segunda colocação em 2017 foi uma evolução em relação ao quarto lugar de 2015 e os abandonos de 2014 e 2016, mas o alemão precisa vencer. Depois de provocar um acidente no GP da França, o ferrarista terminou a prova em uma decepcionante quinta posição, e perdeu a liderança do campeonato.

Lewis Hamilton, por sua vez, esteve à sombra de Nico Rosberg em 2014 e 2015, quando foi o segundo colocado. Em 2016, superou seu companheiro de equipe, e enfim venceu a prova. No entanto, foi apenas o quarto colocado na última temporada.

Depois da Áustria, o circo da Fórmula 1 segue para Silverstone, corrida que, segundo o piloto britânico, foi o ponto da virada para a conquista do tetracampeonato em 2017.

Programação do GP da Áustria 2018

  • Sexta-Feira, 29/06 – 06:00 – 1º Treino Livre
  • Sexta-Feira, 29/06 – 10:00 – 2º Treino Livre
  • Sábado, 30/06 – 07:00 – 3º Treino Livre
  • Sábado, 30/06 – 10:00 – Treino Classificatório
  • Domingo, 01/07 – 10:10 – Corrida

 

Classificação do Campeonato Mundial de pilotos F1 2018

  1. Lewis Hamilton (Mercedes) – 145
  2. Sebastian Vettel (Ferrari) – 131
  3. Daniel Ricciardo (RBR) – 96
  4. Valtteri Bottas (Mercedes) – 92
  5. Kimi Raikkonen (Ferrari) – 83
  6. Max Verstappen (RBR) – 68
  7. Nico Hulkenberg (Renault) – 34
  8. Fernando Alonso (McLaren) – 32
  9. Carlos Sainz Jr. (Renault) – 28
  10. Kevin Magnussen (Haas) – 27
  11. Pierre Gasly (STR)- 18
  12. Sergio Pérez (Force India) – 17
  13. Esteban Ocon (Force India) – 11
  14. Charles Leclerc (Sauber) – 11
  15. Stoffel Vandoorne – 8
  16. Lance Stroll (Williams) – 4
  17. Marcus Ericsson (Sauber) – 2
  18. Brendon Hartley (STR) – 1
  19. Sergey Sirotkin (Williams) – 0
  20. Romain Grosjean (Haas) – 0

 

Comentários

Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar