Copa Libertadores

Forte no mata-mata, Cruzeiro visita o Boca Juniors mirando a semifinal da Libertadores

Esperança da Raposa

Provável substituto de Arrascaeta, Rafinha é uma das apostas do Cruzeiro para conquistar um bom resultado diante do Boca.

Foto: Washington Alves/Light Press/Cruzeiro/Reprodução

Contrastando com a sonolenta campanha no Campeonato Brasileiro, o Cruzeiro tem mostrado força nas competições mata-mata e tentará voltar de Buenos Aires com uma boa vantagem sobre o Boca Juniors em sua caminhada rumo à semifinal da Copa Libertadores.

O duelo de logo mais, às 21:45 (Brasília) em La Bombonera abrirá a disputa entre Boca Juniors e Cruzeiro por uma vaga na semifinal da Libertadores – o jogo de volta será no dia 4 de outubro no Mineirão. Após dez anos, brasileiros e argentinos se encontram em uma fase eliminatória da competição. Em 2008, o poderoso Boca eliminou a Raposa nas oitavas de final. A revanche começa hoje, com transmissão na TV aberta (Globo) e fechada (SporTV e Fox Sports).

 

Como chegam Boca e Cruzeiro

A partida de hoje colocará frente a frente um time notoriamente forte quando joga em casa e outro que vem conseguindo se impôr como visitante tanto na Libertadores como na Copa do Brasil.

O Boca Juniors vai à campo exibindo um belo cartel de sete vitórias consecutivas em La Bombonera. A sua última derrota como mandante pela competição foi o 2 a 0 diante do Palmeiras na quarta rodada da fase de grupos. De lá para cá, apenas vitórias.

O Cruzeiro, por sua vez, anda em círculos no Campeonato Brasileiro mas traz para o jogo uma série de quatro vitórias consecutivas como visitante em mata-mata. Os mineiros passaram por cima de Atlético-PR, Santos e Palmeiras pela Copa do Brasil, e do Flamengo pela Libertadores. Nada mal para uma equipe que na fase de grupos teve dificuldades para engrenar e como visitante perdeu para o Racing (4 a 2), empatou com a Universidad de Chile (0 a 0) e goleou o Vasco (4 a 0).

 

Escondendo o jogo

O Boca Juniors encerrou sua preparação para o duelo de logo mais na manhã da última terça-feira. Tentando dificultar ao máximo a vida dos brasileiros, o técnico Guilhermo Barros Schelotto fechou a atividade e tenta fazer algum mistério sobre a escalação da equipe que não poderá contar com o atacante Ramón Ábila (ex-Cruzeiro), suspenso, e nem com o lateral Frank Fabra, lesionado. No mais, Schelotto deverá manter a base que venceu o Argentinos Juniors no último sábado.

Apesar de jogar em casa, é possível que o Boca adote uma postura mais cautelosa contra o Cruzeiro. No sábado, após o jogo pelo Campeonato Argentino, Schelotto externou seu respeito ao time brasileiro (e ao seu cartel como visitante) afirmando tratar-se de uma equipe “que tem jogadores de experiência” antes de encerrar declarando que “vai ser um rival complicado”.

 

Escondendo o jogo 2 – a missão

Fã de um “segredinho”, Mano Menezes fez o último treino do Cruzeiro na tarde de terça-feira no campo anexo ao estádio do San Lorenzo com – é claro – portões fechados. Em La Bombonera, os atletas apenas andaram pelo gramado e conversaram com comissão técnica e diretoria do clube.

Sem poder contar com Arrascaeta que sente dores na coxa esquerda, Mancuello, lesionado e Sassá e Fred que seguem no trabalho com os preparadores físicos do clube, Mano Menezes tentará arrumar alguma surpresa para o jogo de hoje em busca de mais uma vitória como visitante – e um importante passo rumo à semifinal da Libertadores.

 

Prováveis escalações

Boca Juniors

Com os desfalques mencionados anteriormente, tudo indica que o Boca Juniors irá à campo hoje com a seguinte equipe:

Andrada; Jara, Izquierdoz, Magallán e Olaza; Barrios, Nández e Pablo Pérez; Pavón e Zárate; Benedetto.

Cruzeiro

Sem ter muito o que mexer na equipe – apesar do mistério nos treinamentos – o Cruzeiro provavelmente irá à campo com:

Fábio; Edilson, Dedé, Léo e Egídio; Henrique e Lucas Silva; Robinho, Thiago Neves e Rafinha; Barcos.

 

Palpite para Boca Juniors x Cruzeiro

Jogando em casa e sabendo da força que o Cruzeiro vem mostrando como visitante, o Boca não deverá “partir pra cima” mas, evidentemente, fará de tudo para que o Cruzeiro não tenha o domínio sobre a posse de bola e, por consequência, do jogo.

A Raposa deverá fazer o que faz normalmente: se fechará na defesa e tentará matar o jogo em um contra-ataque. Receber o Boca no Mineirão com a vantagem da vitória fora de casa ou mesmo de um empate com gols é tudo que Mano Menezes quer para conseguir levar seu time à semifinal.

Pelas características do jogo e levando em conta o poder ofensivo das equipes – o Cruzeiro é o melhor ataque da Libertadores com 17 gols e o Boca vem em terceiro com 14 –, acredito que o empate com gols é o palpite mais seguro neste momento.

 

JOGOS DE IDA DAS QUARTAS DE FINAL DA LIBERTADORES DA AMÉRICA 2018

TERÇA-FEIRA, 18 DE SETEMBRO
  • 21:45 – Atlético Tucumán 0 x 2 Grêmio
QUARTA-FEIRA, 19 DE SETEMBRO
  • 19:30 – Independiente x River Plate – Palpite: Empate
  • 21:45 – Boca Juniors x Cruzeiro – Palpite: Empate
QUINTA-FEIRA, 20 DE SETEMBRO
  • 21:45 – Colo-Colo x Palmeiras – Palpite: Colo-Colo

Comentários

Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar