Ganhador.com

Carioca

Fluminense tenta sair da lanterna e evitar vexame histórico no Campeonato Carioca

Fluminense Carioca 2018
Foto: Lucas Merçon / Fluminense F.C.

Tricolor enfrenta o Madureira às 19h (de Brasília) de domingo (28) no Estádio de Los Larios, em Xerém         

O Fluminense começou 2018 dando seguidos sustos em seu torcedor. Somando a Florida Cup e o Campeonato Carioca, o time das Laranjeiras soma três empates e duas derrotas. Esta falta de vitórias faz a equipe segurar a lanterna em seu grupo na Taça Guanabara, e se a seca persistir depois deste domingo (28), é provável que o time se veja em uma crise das mais delicadas nos últimos tempos.

Embora a fase seja crítica, o compromisso não oferece grandes resistências. O Tricolor vai enfrentar o Madureira, que também tem somente dois pontos até aqui. O duelo ocorre às 19h (de Brasília) no Estádio de Los Larios, em Xerém.

 

Atraso de salário e ameaça de saída

Tudo no Fluminense hoje está tão caótico que houve até um ultimato por parte de Paulo Autuori, que trabalha como diretor no clube: ele garantiu aos atletas que vai deixar a equipe caso os salários atrasados em dois meses não sejam quitados. O Flu entendeu o gesto como um sinal de carinho de Autuori perante os jogadores, e houve a garantia de que a dívida não vai ultrapassar o dia 1º de fevereiro, a próxima quinta-feira.

Autuori tem respaldo para exigir o acerto. Ele é considerado uma peça essencial na atual composição do clube, com bom relacionamento em diversas frentes. Seu conhecimento de futebol é inquestionável: ele ganhou como treinador o Brasileiro, a Libertadores e o Mundial com clubes grandes como o Botafogo, o Cruzeiro e o São Paulo, e a sua postura perante os cartolas é a de um profissional extremamente ponderado e coerente com o que diz.

Convenhamos: a sua presença no Fluminense serve apenas para melhorar o nível de trabalho no clube. E se este nível não está à altura da sua capacidade, o mais coerente é que ele realmente deixe a equipe.

 

Time oscila demais

O técnico Abel Braga fez questão de admitir que o Fluminense hoje não é um time eficiente. Prezando pela sinceridade e pelo respeito ao torcedor, o comandante avaliou o empate por 0x0 com a Portuguesa de uma maneira extremamente direta: “Nosso jogo como um todo foi muito ruim”, afirmou. “Tivemos três ou quatro jogadores que estiveram num nível normal, os demais foram muito abaixo. Então, quando você está abaixo daquilo que pode render, não vai ter um bom desempenho e não vai ser a formatação tática que vai te garantir o que foi bom ou ruim.”

“No coletivo, fomos inferiores à Portuguesa. Ainda tentamos colocar jogadores para chegar de trás, jogadores mais velozes que pudessem ter alguma chance de fazer algo individualmente, mas mesmo assim não tivemos chances.”

Apesar da verdadeira apatia ofensiva, o Fluminense está se caracterizando por uma força na defesa que não era vista em 2017. É este o mérito que o técnico enxerga no momento. “São dois jogos sem sofrer gols, coisa que não acontecia no ano passado. Contra o Botafogo, usamos esse esquema de jogo e foi bom. Nosso segundo tempo foi ótimo. Vamos ver o que podemos fazer para melhorar a capacidade de ataque sem comprometer aquilo que vem funcionando melhor”, seguiu.

Além do 0x0 com a Portuguesa, o Flu não fez e não sofreu gols também contra o Botafogo, no último final de semana.

Bem fiel ao seu estilo, o técnico prometeu suar tudo o que tem para tirar o time desta situação: “A pré-temporada foi positiva, agora precisamos colocá-la em prática nos jogos. O torcedor não tem paciência, a gente sabe disso, mas vamos continuar trabalhando. Não tem outro remédio. Pelo menos não estamos sofrendo tantos gols como antes, mas precisamos melhorar nossa chegada ao ataque”, concluiu.

Semifinalistas da Taça Guanabara do ano passado, Madureira e Fluminense voltam a se enfrentar neste ano em uma situação bastante diferente de 2017 – ambos disputam entre si quem vai largar a lanterna e sonhar com uma melhora na competição.

O palco da partida sofreu uma alteração. Inicialmente previsto para o Raulino de Oliveira, em Volta Redonda, o duelo foi remarcado para o Estádio de Los Larios, em Xerém. O pedido foi do Madureira, que alegou gastar menos com a mudança.

Curiosidade: no ano passado, Madureira e Fluminense também fizeram sua semifinal em Xerém, e só 1.993 pessoas pagaram ingresso. Foi o pior público da história do Campeonato Carioca nesta fase.

 

Jogos da 4ª rodada da Taça Guanabara 2018

Sábado, 27 de janeiro

  • 17:00 – Flamengo x Vasco – Palpite: Empate

Domingo, 28 de janeiro

  • 16:30 – Bangu x Nova Iguaçu – Palpite: Bangu
  • 16:30 – Macaé x Portuguesa – Palpite: Empate
  • 17:00 – Botafogo x Boavista – Palpite: Botafogo
  • 19:00 – Madureira x Fluminense – Palpite: Fluminense

Segunda-feira, 29 de janeiro

  • 19:30 – Volta Redonda x Cabofriense – Palpite: Cabofriense

 

Comentários

Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar