Ganhador.com

Brasileirão Série A

Flamengo na liderança isolada e os destaques da 9ª rodada do Campeonato Brasileiro da Série A

Cria da base rubro-negra, Vizeu sai do banco de reservas e decide para o líder Flamengo.

Foto: Gilvan de Souza/Flamengo/Reprodução

Flamengo vence o Corinthians no Maracanã e com 20 pontos abre 4 de vantagem para o Cruzeiro, 2º colocado no Brasileirão; o Fluminense que joga nesta segunda-feira contra o vice-lanterna Paraná pode chegar aos 17 pontos e assumir a vice-liderança isolada. No mercado da bola, Zé Ricardo e Guto Ferreira não comandam mais Vasco e Bahia.

 

Liderança com autoridade

Flamengo 1 x 0 Corinthians

O Flamengo foi senhor absoluto do jogo de ontem enquanto o Corinthians manteve-se com o 4-2-4 que tão bem funcionava nas mãos de Fábio Carille. Com mais posse de bola e volume de jogo, o Urubu manteve o Timão acuado em seu campo, esperando por oportunidades – que não vieram – para contra-atacar. O Alvinegro levou perigo ao gol de Diego Alves apenas aos 30 do primeiro tempo, em chute de Jadson, que sentiu a coxa direita após o lance e deu lugar a Roger. Com um centroavante de ofício em campo, o time paulista equilibrou o jogo e passou a ameaçar o gol do Flamengo.

Mas o dia era dos donos da casa. Melhor no segundo tempo, o Fla voltou a assumir o controle do jogo e o Corinthians, sem criatividade, pouco ameaçava. Aos 22 minutos, Maurício Barbieri se cansou dos erros de Henrique Dourado e chamou Felipe Vizeu. Osmar Loss respondeu trocando Pedrinho – único fiapo de criatividade no Corinthians – pelo ineficaz Marquinhos Gabriel. Aos 34 minutos, Walter fez grande defesa em chute de Paquetá mas, no rebote do goleiro, Vizeu marcou. Marquinhos Gabriel, por sua vez, era de uma nulidade constrangedora. Como é sempre possível piorar o que está ruim, Loss tirou o sempre estabanado Gabriel pelo inexplicável Kazim – num gesto de puro desespero que em nada ajudou o Timão.

No final – como não poderia deixar de ser –, polêmica: nos acréscimos do segundo tempo, o Corinthians cobrou escanteio e após bate-rebate a bola sobrou para Roger finalizar no momento em que Anderson Daronco dava o apito final. Todo mundo do Timão – e uns 75% de Itaquera – reclamaram do lance sem razão: Daronco apitou no instante em que o defensor do Flamengo dava um chutão na bola para fora da área – antes, portanto, dela espirrar e sobrar para Roger. Nada a reclamar.

O resultado dá ao Flamengo uma confortável vantagem de 4 pontos sobre o vice-líder (Cruzeiro), faltando ainda o jogo entre Paraná e Fluminense. Se vencer, o Tricolor chega a 17 pontos e fica a 3 do Urubu.

O Corinthians, por sua vez, cai para a 8ª colocação e Osmar Loss chega a três derrotas em quatro jogos. A continuar assim, os tambores de insatisfação da Fiel começarão a batucar – ainda mais com Zé Ricardo (ex-Vasco) solto no mercado.

 

Vitória em boa hora

Palmeiras 3 x 1 São Paulo

Com Moisés no lugar de Lucas Lima, o Palmeiras foi em busca da vitória que poderia aliviar a pressão em cima do técnico Roger Machado – muito questionado por conselheiros e torcedores por conta da falta de regularidade do Verdão. Mas, nervoso em campo no clássico de torcida única, o Alviverde viu o São Paulo dominar o primeiro tempo e sair na frente aos 29 minutos após erro de Edu Dracena que cabeceou contra o gol de Jailson o lateral cobrado por Reinaldo. Atrás no placar, o Verdão se descontrolou e os sempre nervosinhos Felipe Melo e Dudu ganharam seus cartões amarelos enquanto que o São Paulo desperdiçava chances de ampliar com Reinaldo, em chute de longe, e Marcos Guilherme, aproveitando rebote da defesa palmeirense.

Com a cabeça no lugar, o Palmeiras voltou melhor no segundo tempo. William empatou após cruzamento de Keno e rebote de Sidão. O gol abalou o São Paulo que sentiu o peso do tabu de nunca ter vencido no Allianz Parque e se perdeu em campo. Moisés assumiu seu papel de “maestro” do meio campo Alviverde até que William (novamente) e Dudu fecharam o placar. Com o resultado, o Palmeiras melhora sua situação na tabela e alivia um pouco a pressão em cima de Roger Machado. O São Paulo, por sua vez, mantém-se na parte alta da classificação, mas perde a invencibilidade no Brasileirão/2018, a oportunidade de ficar na vice-liderança e deixa passar mais uma chance de quebrar o tabu no Allianz Parque.

Santos 5 x 2 Vitória

Se Jair Ventura seguir no comando do Santos  – após a reunião nesta semana que decidirá o futuro do treinador na Vila Belmiro – o garoto Rodrygo de 17 anos será um dos grandes responsáveis por isso. Em uma semana dominada por resultados ruins e fortes protestos da torcida – além da “cara-feia” de dirigentes –, o Menino da Vila foi o dono do jogo de ontem contra o Vitória e ainda no primeiro tempo, marcou três vezes e encaminhou o triunfo do Peixe. E antes de ser substituído no segundo tempo – para receber os merecidos aplausos da “vila famosa” – fez o passe para Gabigol (outro que anda às turras com o torcedor) deixar o seu. O 4º gol foi marcado por Renato.

O resultado alivia a pressão em cima do Santos, de Jair Ventura e tira o time do Z-4 – empurrando, justamente, o Vitória para a parte baixa da tabela. Mas, é possível que nem mesmo a sonora goleada seja o suficiente para manter o técnico à frente do Peixe. O Conselho Gestor do clube tem reunião marcada para esta segunda-feira para decidir o futuro do treinador. Claro que qualquer decisão tomada hoje, precisará do aval do presidente do clube, José Carlos Peres, que retorna ao Brasil amanhã, dia 5, após fazer parte da delegação brasileira no amistoso de ontem, dia 3, contra a Croácia

 

Temos vagas

Vasco 1 x 2 Botafogo

Zé Ricardo não resistiu a mais uma apresentação ruim do Vasco e com a derrota por 2 a 1 no clássico contra o Botafogo – que venceu a primeira fora de casa e colocou um fim à série de 3 jogos sem vitórias –, fez suas malas e pediu para sair de São Januário. Dominando o jogo desde seu início, o Fogão abriu o placar com Jean (ex-Vasco) aos 3 minutos, fechou-se na defesa e usou-se dos contra-ataques para fazer o segundo com Kieza ainda no primeiro tempo. O Vasco, vaiado pela torcida, diminuiu com Andrey mas não foi o suficiente para buscar o empate e muito menos para convencer Zé Ricardo a seguir apagando incêndios em São Januário.

Bahia 0 x 2 Grêmio

Sem tomar conhecimento da fama de bom mandante do Bahia – que ainda não havia perdido em Salvador neste Brasileirão – o Grêmio abriu o placar logo aos 9 minutos com Maycon aproveitando rebote de cobrança de pênalti feita por ele mesmo. Com a vantagem no marcador, o time gaúcho manteve-se organizado e esperou pelos donos da casa, que demoraram a equilibrar o jogo e atuar com a sua conhecida velocidade – mas que pouco assustou Marcelo Grohe. No segundo tempo, o tricolor baiano aumentou a pressão e tentou impôr-se fisicamente sobre o adversário, mas sem grandes resultados práticos. Tranquilo, o Grêmio fez o segundo nos acréscimos com Thaciano. O resultado, que mantém o  Bahia no Z-4, serviu para derrubar o técnico Guto Ferreira, que havia saído do clube no início do Brasileirão de 2017 após convite para dirigir o Inter na Série B e, demitido no Beira-Rio, voltou a Salvador após a saída de Paulo Cesar Carpegiani – que substituiu (a contragosto) Reinaldo Rueda no Flamengo no início da temporada.

 

Fechando a rodada

América-MG 3 x 1 Atlético-PR

O Coelho manteve sua fama de bom mandante – o melhor do Brasileirão 2018, para ser honesto – e derrubou, de virada, o Furacão no Horto. Embalado pela vitória em cima do Santos na rodada anterior, o Atlético-PR saiu na frente com gol de Thiago Carleto (ex-América-MG). Mas Serginho, ainda no primeiro tempo, empatou. Foi dele também o gol que colocou os donos da casa na frente no segundo tempo e Ademir fechou o placar. A vitória coloca o Coelho na 11ª posição, deixa o Furacão a 1 ponto do Z-4 e aumenta a temperatura do forno que assa a batata de Fernando Diniz no Paraná.

Ceará 0 x 1 Cruzeiro

O Cruzeiro jogou para o gasto contra o Ceará – agora lanterna do Brasileiro – e sem empolgar conquistou sua terceira vitória seguida no campeonato e chegou à vice-liderança do torneio (podendo ser ultrapassado pelo Fluminense, que joga hoje). Sassá, ainda no primeiro tempo, fez o único gol do jogo – e o seu primeiro no Brasileirão 2018. Os donos da casa tentaram pressionar, principalmente no segundo tempo, quando o fôlego cruzeirense acabou, mas a defesa bem postada da Raposa deu conta do recado e garantiu mais 3 pontos para o time de Mano Menezes que, após um início hesitante, subiu de produção e entra na luta pelo título.

Atlético-MG 3 x 3 Chapecoense

Galo e Chape fizeram provavelmente o melhor jogo da rodada – pelo menos o melhor para se assistir. Com direito a 6 gols e reclamações contra a arbitragem (mineiros reclamam de um pênalti não marcado enquanto que catarinenses cobram a arbitragem pela não-expulsão de Fábio Santos após pênalti em Arthur). O jogo foi “animado” com a Chapecoense abrindo o placar aos 19 minutos (gol de Leandro Pereira). Na saída de jogo, Ricardo Oliveira bateu cruzado sem chances para Jandrei e deixou tudo igual. Aos 35 em cobrança de pênalti, Fábio Santos colocou o Galo na frente. Aos 37, Leandro Pereira levou segundo amarelo, foi expulso e deixou os visitantes com 1 a menos. Aos 50, Arthur bateu falta com perfeição e deixou tudo igual novamente.

Aos 13 do segundo tempo, Róger Guedes guardou o dele. Aos 18, cobrando pênalti cometido por Fábio Santos – que não foi expulso – Wellington Paulista deixou tudo igual novamente. Com a nova igualdade, o Galo se perdeu em campo e pressionou sem grande perigo. Nos acréscimos, os donos da casa reclamaram com o árbitro, após o zagueiro Douglas colocar a mão na bola, dentro da área, em chute de Cazares. Nada marcado, empate justo em Minas.

Internacional 0 x 0 Sport

No duelo de duas equipes com números muito parecidos, deu a lógica: empate. Único 0 a 0 da rodada, Internacional e Sport fizeram um jogo morno no Beira-Rio, sem grandes emoções e que, no final, deixou a torcida indecisa entre vaias a aplausos. Sem imaginação para furar o bloqueio do time pernambucano, a melhor chance do Internacional foi em um chute de fora da área de Nico López, aos 34 minutos do segundo tempo, que explodiu no travessão de Magrão. Empate mais do que justo pelo que as duas equipes mostraram em campo – e vêm mostrando no campeonato.

 

Classificação do Campeonato Brasileiro da Série A – 2018

  1. Flamengo – 20 pontos
  2. Cruzeiro – 16 pontos
  3. Grêmio – 16 pontos
  4. São Paulo – 16 pontos
  5. Internacional – 15 pontos
  6. Sport – 15 pontos
  7. Palmeiras – 14 pontos
  8. Corinthians – 14 pontos
  9. Fluminense – 14 pontos
  10. Atlético-MG – 14 pontos
  11. América-MG – 13 pontos
  12. Botafogo – 12 pontos
  13. Vasco – 11 pontos
  14. Chapecoense – 10 pontos
  15. Santos – 9 pontos
  16. Atlético-PR – 9 pontos
  17. Vitória – 8 pontos
  18. Bahia – 8 pontos
  19. Paraná – 3 pontos
  20. Ceará – 3 pontos

Comentários

Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar