UFC

Cris Cyborg nocauteia Yana Kunitskaya no UFC 222 e manda recado para Amanda Nunes

Foto: Divulgação/UFC

O cinturão fica no Brasil! Graças a Cris Cyborg. Técnica, agressiva, poderosa e certeira, a brasileira mostrou que aos 32 anos segue no auge de sua carreira e atropelou mais uma rival dentro do octógono com uma performance espetacular. Na luta principal do UFC 222, neste sábado, a paranaense não encontrou muita dificuldade e conseguiu derrubar Yana Kunitskaya ainda no primeiro round. Agora, ela só tem olhos para uma adversária: Amanda Nunes.

Cyborg tinha um favoritismo imenso diante do combate contra Kunitskaya. Não era para menos. A brasileira completa 13 anos de invencibilidade em maio deste ano. Com o triunfo no UFC 222, são 20 vitórias consecutivas, sendo 17 por nocaute. Ela arrasa toda e qualquer adversária colocada na sua frente há tempos, e parece longe de perder esse poder dentro do octógono tão cedo.

O duelo começou e Cris logo acertou um direto que fez Yana Kunitskaya balançar. A brasileira chegou a ser derrubada pela russa com uma queda e teve as costas tomada pela rival, mas nada que tenha durado muito tempo. Cyborg se desvencilhou do ataque e, de pé, seguiu o castigo. É incrível a força que Cyborg tem. Ela acerta e machuca. Não é apenas um golpe que entra. Foi possível notar a cara de dor de Kunitskaya e cada soco ou chute bem encaixado. Na trocação, a brasileira minou a rival e a fez desmoronar aos 3m25seg do primeiro assalto.

Agora, não há para onde correr. Só há uma opção para Cyborg, a organização e Amanda Nunes: realizar a superluta entre brasileiras. Mas nada garante que a negociação será simples. Para começar, o presidente do UFC Dana White já anunciou que quer ver Cyborg Vs Amanda no UFC 224, que acontece no Rio de Janeiro, dia 12 de maio. Mas a brasileira já afirmou que não quer fazer a luta na data, acha muito cedo, e tem planos pessoais em seu caminho. A ideia de Cris é encarar Amanda na Semana Internacional da Luta, em Las Vegas, em julho, no UFC 226.

Após a luta, Cyborg deixou claro que a única motivação para encarar a compatriota é corresponder ao desafio feito por Amanda Nunes. “Agora vai ter que aguentar”.

Até a superluta se concretizar, muito chão há pela frente. Mas uma coisa é certa. Mais um passo foi dado na direção certa para o duelo acontecer. As três partes estão interessadas. A única coisa que pode evitar a superluta é no caso de Amanda enfrentar outro rival no UFC Rio e acabar perdendo, o que acho muito difícil de acontecer.

Por enquanto, nos resta apreciar o talento e o brilho de Cris Cyborg no mundo das lutas. Guerreira, poderosa, técnica e arrasadora. Sobram adjetivos positivos para descrever uma campeã tão espetacular. Sorte a nossa que ela é brasileira. Viva Cris Cyborg!

Comentários

Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar