Ganhador.com

Patrocinado

Copa 2018: aposta na confederação do país campeão é uma das formas mais fáceis de lucrar com a competição

Seleção Alemã
Foto: JOE KLAMAR/AFP/Getty Images

Superioridade de europeus e sul-americanos torna quase impossível que o título não vá para um dos continentes

Dentre a inúmeras possibilidades de apostas que a Copa do Mundo proporciona, existe uma que tem o retorno praticamente garantido. A modalidade em questão é aquela em que o apostador define a confederação do país campeão, e o que a torna tão atraente é o fato da briga ser quase que restrita a duas opções: América do Sul e Europa.

Nunca em toda história algum representante de outro continente conquistou o título, mas de acordo com o Oddsshark , as margens de retorno podem ser altíssimas caso isto venha a acontecer na Rússia.

Confira as possibilidades de cada continente e sua respectiva confederação.

 

Ásia

Comecemos pelo continente de menor tradição em Copas do Mundo. Em defesa dos asiáticos, alguém sempre poderá lembrar que a Coréia do Sul foi semifinalista em 2002, ano em que sediou a competição. No entanto, a campanha repleta de polêmicas com relação à arbitragem foi a única digna de nota em quase um século de Mundiais. Não há qualquer outro registro de alguma seleção da Ásia na briga pelas primeiras colocações ou de algum grande craque nascido por lá.

Na Rússia, o continente estará representado por Japão (R$ 301,00/R$ 1,00), Irã (R$ 501,00/ R$ 1,00), Coréia do Sul (R$ 501,00/R$ 1,00), e Arábia Saudita (R$ 1001,00/ R$ 1,00). Apesar de se localizar na Oceania, a Australia (R$ 501,00) faz parte da Confederação Asiática desde 2006, sendo considerada uma nação do continente em termos futebolísticos.

Como o leitor deve ter notado, todos os países asiáticos devolvem pelo menos 300 vezes o valor investido em caso de conquista do título, o que dá uma boa medida do quão reduzidas são as suas chances. Caso o campeão do mundo de 2018 saia da Ásia, o retorno será de R$ 101,00/ R$ 1,00, mas por ser quase impossível de ser bem sucedida, esta é uma aposta que convém se evitada.

 

África

Pelé, o Rei do Futebol, em mais de uma oportunidade já vaticinou ter chegado a hora de algum país africano ser campeão do mundo, e sempre errou feio em seus palpites. Com representantes  menos competitivos do que em edições recentes, tudo indica que ainda não será desta vez que a Taça Fifa irá para o continente.

Os africanos na Rússia serão Senegal (R$ 151,00/R$ 1,00), Egito (R$ 201,00/R$ 1,00), Nigéria (R$ 251,00/R$ 1,00), Marrocos (R$ 501,00/R$1,00) e Tunísia (R$ 1001,00/R$ 1,00), seleções que nem o mais otimista dos torcedores imagina conquistando o título.

Apesar de algumas boas atuações recentes da Nigéria e do egípcio Salah estar entre os maiores jogadores do planeta na atualidade, suas chances de levar os R$ 67,00/R$ 1,00 caso resolva apostar que o campeão sairá da Confederação Africana de Futebol serão praticamente nulas.

 

Américas do Norte e Central

O fato de contar com apenas três representantes já coloca a Concacaf em desvantagem na disputa, e a coisa fica ainda pior se considerarmos a qualidade das equipes. O México (R$ 101,00/R$ 1,00), foi semifinalista da última Copa das Confederações, e é o único capaz de desempenhar um bom papel, apesar de não estar entre os favoritos ao título. A Costa Rica (501,00/R$ 1,00), que está no grupo do Brasil, e o Panamá (R$ 1001,00/R$ 1,00), irão à Rússia apenas como coadjuvantes, e a tendência é que caiam ainda na primeira fase.

De acordo com o Oddsshark , na improvável hipótese do campeão sair da América Central, o apostador embolsará R$ 51,00 por cada real aplicado.

 

América do Sul

A Conmebol concentra quase 50% dos títulos de Copa do Mundo, com nove conquistas em 20 edições. Estarão na Rússia o pentacampeão Brasil (R$ 5,50/R$ 1,00) e os bicampeões Argentina (R$ 10,00/R$ 1,00) e Uruguai (R$ 26,00/R$ 1,00), além de Colômbia (R$ 46,00/R$ 1,00) e Peru (R$ 151,00).

A seleção brasileira lidera a disputa pelo título segundo as casas de apostas, e de fato chegará muito forte à Rússia sob o comando de Tite. O mesmo já não se pode dizer da Argentina, que só sacramentou sua classificação na última rodda das Eliminatórias, e vem apresentando um péssimo desempenho nos amistosos.

Com uma das melhores duplas de ataque deste mundial (Suárez e Cavani), o Uruguai corre por fora na briga pelo Tri. Colômbia e Peru são campeões improváveis, mas nunca é demais lembrar da supreendente participação de James Rodríguez e seus companheiros em 2014.

No entanto, o fato da Copa ser disputada na Europa, onde em 10 edições a Conmebol  conquistou apenas uma, com o Brasil, em 1958, deve ser levado em conta pelo apostador. Caso um sul-americano seja campeão, o retorno será de R$  2,85/R$1,00.

 

Europa

O continente europeu dominou as três últimas Copas do Mundo, e terá alguns dos mais importantes candidatos ao título também na Rússia. Apesar da ausência da tetracampeã Itália, a UEFA será representada por Alemanha (R$ 5,75/R$ 1,00), Espanha (R$ 7,00/R$/ 1,00), França (R$ 7,50/R$ 1,00), Bélgica (R$ 12,00/R$ 1,00), Inglaterra (R$ 19,00/R$ 1,00), Portugal (R$ 26,00/R$ 1,00), Croácia (R$ 34,00/R$ 1,00), Rússia (R$ 61,00/R$ 1,00), Polônia (R$ 81,00/R$ 1,00), Dinamarca (R$ 101,00/R$ 1,00), Suíça (R$ 101,00/R$ 1,00), Suécia (R$ 201/R$ 1,00), Sérvia (R$ 201/R$ 1,00) e Islândia (R$ 301,00/R$ 1,00).

Dentre os 10 países mais cotados para vencer a Copa de acordo, oito ficam na Europa. Além disso, seis dos oito cabeças-de-chave são do continente, que é disparado aquele que conta com mais seleções capazes de chegar ao topo.

Se bem sucedida, a aposta em um campeão vindo do Velho Continente garantirá um rendimento de 40%.

 

Odds para o continente do campeão mundial

  • Europa – R$ 1,40/R$ 1,00
  • América do Sul- R$ 2,85/R$ 1,00
  • Américas do Norte e Central – R$ 51,00/ R$ 1,00
  • África – R$ 67,00/R$ 1,00
  • Ásia – R$ 101,00/R$ 1,00

 

Comentários

Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar