Tênis

Conheça Naomi Osaka, a carrasca de Serena Williams, campeã de Indian Wells e a nova sensação da WTA

Foto: Al Bello/Getty Images

Japonesa tenta provar para o mundo que troféu há uma semana na Califórnia e triunfo recente sobre a campeã de 23 Grand Slams não foram obras do acaso

A nossa coluna de hoje sobre tênis no Ganhador promete sair do convencional. O assunto Roger Federer ainda segue rendendo bastante com a possível não disputa do Maestro da temporada do saibro – ele não está inscrito no Masters de Monte Carlo, que é disputado na terra batida -, o que incluiria Roland Garros, mas nada de abordar o suíço ou mesmo a chave masculina. É hora de focar nas tenistas femininas à medida que uma profissional vai deslanchando de maneira surpreendente no circuito da WTA. Estamos falando de Naomi Osaka, de apenas 20 anos, que viu sua vida mudar após ganhar o primeiro título de simples com o Premier Mandatory – como é chamado a série Masters 1000 pela WTA – de Indian Wells, derrotando importantes nomes como veremos a seguir, e ao despachar sua inspiração máxima no esporte chamada Serena Williams, na estreia em Miami. Confira tudo sobre a curta carreira da número 22 do mundo no ranking individual das mulheres!

 

A caminhada

Quando Naomi Osaka superou a experiente Maria Sharapova na Califórnia, muitas pessoas torceram o nariz e colocaram “culpa” na instabilidade da russa em readquirir ritmo após ser suspensa do circuito pelo famoso caso de doping. Muitos passaram batido a performance da japonesa, que na verdade jogou um tênis que poderíamos dizer claramente como algo que “não condiz com sua idade”. A maturidade da asiática em quadra rendeu um duplo 6/4 na ex-número 1 do mundo.

Com o cartão de visitas dado em Indian Wells, a então 44ª colocada da WTA seguia derrubando previsões e atormentando ex-tops do ranking da categoria. A polonesa Agnieszka Radwanska, que já havia figurado na posição de número 2 e finalista de Wimbledon em 2012, e a checa Karolina Pliskova, ex-líder e hoje 6ª colocada, caíram nas armas de Osaka no primeiro Premier da temporada. Neste meio tempo, ela também pegou rivais que assim com ela tentam provar sua capacidade para o mundo: a norte-americana Sachia Vickery e a grega Maria Sakkari. Novas vitórias!

Mas foi o triunfo imponente sobre a atual ponteira Simona Halep que o mundo da bolinha passou realmente a olhar com carinho a atuação da japonesa. Não só pela vitória, mas da maneira que aconteceu. Uma alta performance na semifinal de Indian Wells, que culminou em 6/3 e, acreditem se quiser, um pneu para fechar o embate, com 6/0.

Após desbancar tantos duros adversários no Premier Mandatory, vencê-lo era realmente questão de tempo. Em 1h30min, a nipônica superou a russa Daria Kasatkina (19ª colocada) por 6/3 e 6/2 e sagrou-se pela primeira vez campeã de um torneio da WTA.

 

Criador x criatura

Após uma semana brilhante, Naomi Osaka voltou a receber os holofotes da mídia. Isso porque a agora número 22 do mundo enfrentaria na primeira rodada de Miami a experiente Serena Williams, campeã de 23 Grand Slams e oito vezes vencedora do torneio na Costa Leste dos Estados Unidos. Para piorar, a jovem sensação da WTA duelaria diante de sua maior inspiração no tênis.

Filha de pai haitiano e mãe japonesa, e residente na Flórida desde os três anos de idade, Naomi Osaka segue Serena Williams há anos. E foi pela televisão, assistindo às conquistas dos Majors da norte-americana, que a garota resolveu tentar o tênis.

Mesmo com o nervosismo de encarar seu ídolo em quadra, a nipônica não deu chances a rival, que ainda tenta encontrar a forma ideal após um ano parada por conta da gravidez de sua primeira filha. Osaka venceu a partida em sets diretos, parciais de 6/3 e 6/2, e ganhou a admiração de Serena.

O resultado deu ainda mais moral para a japonesa, que agora busca se tornar a quarta jogadora da história da WTA a fazer dobradinha em Indian Wells e Miami. A alemã Steffi Graf alcançou tal feito em duas oportunidades, em 1994 e 1996; a belga Kim Clijsters ganhou em 2005, e Victoria Azarenka, em 2016.

 

Futuro

Dando sequência a sua jornada em Miami, Naomi Osaka irá encarar na segunda rodada a ucraniana Elina Svitolina, atual número quatro do mundo e que faz sua estreia na competição depois de folgar na abertura. Será o quinto duelo entre as duas jogadoras, que servirá de desempate. A japonesa ganhou da adversária de logo mais no Aberto da Austrália e em Tóquio, em 2016, enquanto a europeia se saiu melhor em Osaka, em 2014, e em Dubai, neste ano, em jogo que serviria para a caminhada rumo ao seu segundo título da carreira.

 

Como apostar na futebol 2021