Ganhador.com

Copa Libertadores

Com Dudu criticado por parte da torcida, o Palmeiras está há uma vitória das oitavas de final da Libertadores

Pequena parte da torcida eleva o tom das cobranças em cima do capitão alviverde diante do desempenho do time na temporada.

Foto: Cesar Greco/Ag Palmeiras/Divulgação

A vitória logo mais contra o Boca Juniors em La Bombonera, além de garantir o Verdão nos mata-mata da Copa Libertadores diminuirá a pressão sobre o elenco que, a exemplo de 2017, rende muito menos do que se esperava.

O modo com as coisas se comportam no futebol é, no mínimo, engraçado. Até a vitória por 1 a 0 sobre o Internacional no último final de semana pelo Brasileirão, o Palmeiras vinha de uma Série de 3 jogos sem vitórias (derrota para o Corinthians na final do Paulistão e empates contra Botafogo e Boca Juniors). Agora, podemos dizer que o time não perde há três jogos.

Apesar da mudança no modo de apresentar a situação do Verdão, seu desempenho não agrada o torcedor e Dudu, capitão e principal nome do time, vem sendo duramente cobrado por uma – pequena – parte da torcida. As grandes turbulências nos times brasileiros normalmente começam assim: com críticas pequenas que vão ganhando corpo até que a pressão das arquibancadas fique insuportável. Talentoso, sim – mas muito abaixo do que imagina o torcedor comum –, Dudu caminha agora pela seara dos ídolos que podem ou não cair de seu olimpo. Uma numerosa parte da torcida, felizmente, segue ao lado do jogador que conquistou a Copa do Brasil em 2015 e o Campeonato Brasileiro de 2016 pelo Palmeiras e lançou a hashtag #DuduEstamosComVocê.

O clima não é dos melhores – Felipe Melo chegou a descer do ônibus do Palmeiras na Argentina para conversar com um torcedor que protestava contra o seu capitão –, mas é fato que uma vitória hoje, além de garantir a vaga nos mata-mata, dissipará todas as nuvens pesadas que estão se formando em cima da Academia. Uma derrota entretanto, tem combustível para azedar de vez o caldo palmeirense.

 

Como chega o Boca

Na semana passada, o Boca Juniors – que com 2 empates e 1 vitória ainda não engrenou na Libertadores – conseguiu seu maior objetivo no Allianz Parque: um empate diante do Palmeiras. O resultado deixa o perigoso time argentino há 2 pontos de distância do Verdão (7 a 5) e uma vitória lhe colocará não só na liderança mas muito próximo de confirmar a sua vaga nos mata-mata da competição.

Com um bom cartel jogando em seus domínios – foram 12 vitórias e 3 derrotas nos últimos 15 jogos que disputou em La Bombonera, somando todas as competições – o Boca contará não só com o apoio de sua torcida, mas também com o retorno de Cartlitos Tévez (autor do gol de empate em São Paulo) ao time titular.

Contra si, os anfitriões têm uma defesa um tanto instável que sofreu gols em 9 dos últimos 10 jogos que disputou e seu ataque, que nesses mesmos 10 jogos, passou em branco em 3 ocasiões.

 

Como chega o Palmeiras

A pressão em cima do elenco alviverde é grande neste momento – e pode aumentar hoje. Apesar do bom desempenho como visitante – foram até aqui 8 vitórias, 2 empates e 5 derrotas em 15 jogos fora de casa (global) – o Palmeiras precisa de um bom resultado na Argentina para matar dois coelhos com uma única pancada: garantir a classificação e acalmar seu torcedor que ainda não “digeriu” a temporada de 2017.

Para isso o técnico Roger Machado precisará contar com a criatividade de Lucas Lima, a experiência do imprevisível Felipe Melo e a liderança do reclamão Dudu que, às turras com parte da torcida, será um dos responsáveis por fazer a bola chegar até Borja em condições de o colombiano fazer valer o seu talento de artilheiro.

Poderia ser mais fácil, mas a fase não ajuda.

 

Possíveis escalações

Com o retorno de Tévez ao time titular, o Boca não deverá ter grandes mudanças em relação ao time que empatou com o Palmeiras na semana passada e deverá ir a campo com:

Rossi; Jara, Vergini, Magallan e Fabra; Sebastian Perez e Nathian Nandez; Reynoso, Tévez e Pavón; Ramón Ábila. Técnico: Guillermo Barros Schelotto.

Sem poder contar com Guerra, Michel Bastos e Arthur, todos no departamento médico, o Palmeiras deverá ir para o jogo com:

Jailson; Marcos Rocha, Antônio Carlos, Edu Dracena e Diogo Barbosa; Felipe Melo, Bruno Henrique e Lucas Lima; Keno, Dudu e Borja. Técnico: Roger Machado.

 

Onde ver

O jogo será transmitido pela TV Globo para SP, RS, PR, MG (Belo Horizonte, Varginha, Araxá, Coronel Fabriciano e Montes Claros), GO, TO, BA, SE e PE.

 

Palpite para Boca Juniors x Palmeiras

Apesar do início vacilante, com 2 empates em 3 jogos, o Boca Juniors é um time de tradição que sabe muito bem jogar a Libertadores. Precisa do resultado para assumir a ponta da tabela e ficar numa situação mais confortável em relação à sua classificação aos mata-mata. Joga diante de sua torcida e, por isso mesmo, deverá assumir uma postura mais agressiva, fazendo valer também sua força em La Bombonera. Seu ataque, muito talentoso, deve complicar a vida da imprevisível defesa Palmeirense que ganhou experiência com o retorno de Edu Dracena, mas perdeu velocidade.

O Palmeiras, por sua vez, pode se aproveitar do ímpeto dos donos da casa para, em um contra-ataque definir a partida. Mesmo com uma defesa ainda instável, o Verdão conta com a força de Jailson, um goleiro que vem tomando poucos gols, em sua retaguarda. O estado de espírito de Dudu pode ser determinante uma vez que Lucas Lima voltou aos seus tempos de sonolência do Santos. O capitão palmeirense, normalmente pilhado e reclamão, pode usar o mal-humor da torcida como combustível para uma grande apresentação logo mais ou como munição para ficar reclamando até de cobrança de lateral e deixar o futebol em segundo plano.

Se o Dudu “certo” entrar em campo, as chances de o Palmeiras voltar para casa com, pelo menos um empate, aumentam consideravelmente. Mas se o “errado” aparecer para o jogo, o Boca leva essa, assume a dianteira do Grupo 8 e azeda de vez o ambiente do Verdão.

 

Santos 2 x 0 Estudiantes

Senhor absoluto do jogo em seus domínios, o Santos não teve dificuldades para vencer o Estudiantes por 2 a 0 ontem, na Vila Belmiro, e disparar na liderança do Grupo 6 da Libertadores com 9 pontos. Gabigol – que não marcava há 2 meses – abriu o placar no primeiro tempo e Lucas Veríssimo, no segundo, deu números finais à partida. O resultado deixa o Santos bem perto de confirmar sua vaga às oitavas de final e afasta – provisoriamente – os ventos de crise que rondavam o trabalho de Jair Ventura na Baixada Santista.

Comentários

Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar