Amistosos

Brasil x Argentina: prognóstico para o ‘superclássico das Américas’ na…Arábia (!)

Marquinhos da Seleção Brasileira
Foto: Lucas Figueiredo/CBF

As renovadas seleções de Brasil e Argentina vão medir forças na Arábia Saudita, terra tão diferente do habitual para os dois países que sugere até uma brincadeira: na terra dos xeiques, a tradição do futebol sul-americano está mesmo em xeque. Nada de Bombonera, Monumental de Núñez, Maracanã, Mineirão ou onde quer que seja. O “pé de obra estilo exportação” do Terceiro Mundo se rendeu aos petrodólares e azar de quem pensa diferente. Quem não liga para isso, e só quer ver o Brasil ganhar na terça (16), às 15h (de Brasília), da sua eterna rival, que nem está se importando com o amistoso, tem grande chance de gargalhar. O Brasil entra em campo como total favorito, com odds de R$ 1,53/R$ 1,00, contra R$ 3,80 do empate e R$ 6,50/R$ 1,00 do triunfo da Argentina que é treinada por um técnico interino, Lionel Scaloni. Ah, sim: o seu xará famoso, Messi, não joga, porque não quer saber de azul e branco tão cedo.

Palpite: vitória do Brasil, com odds a R$ 1,60 no Bodog.

Melhores sites de apostas

Saque em

1-2

Dias

R$200

Bônus

+4

Saque em 1-2 - Dias

Saque em

1-2

Dias

R$200

Bônus

+3

Saque em 1-2 - Dias

Saque em

1-2

Dias

Transmissão

ao Vivo

Saque em 1-2 - Dias

Saque em

1-2

Dias

R$200

Bônus

+2 More

Saque em 1-2 - Dias

Saque em

1-2

Dias

R$777

Bônus

+8 More

Saque em 1-2 - Dias

 

(R$ 1,60) Brasil x Argentina (R$ 6,00)

Às 15h (de Brasília) desta terça (16), o que estará em jogo é o “superclássico das Américas”, eufemismo para dar importância aos amistosos entre Brasil e Argentina que ocorrem anualmente em países que se dispõem a pagar os milhões pedidos pelos organizadores. No ano passado, foi na Austrália; agora será em Jedá, na Arábia.

 

Por que o Brasil é favorito?

Basta olhar para os titulares que Tite vai levar a campo: Alisson; Danilo, Marquinhos, Miranda e Filipe Luís; Casemiro; Fred (Arthur), Renato Augusto, Coutinho e Neymar; Firmino. Se não é a força máxima que o país tem hoje à disposição, está muito, mas muito perto dela. E quando o Brasil se junta desta maneira, poucas outras seleções podem entrar em um mesmo gramado ocupando o favoritismo. Quem poderia? França e Bélgica, talvez? Não é o caso da Argentina, que logo mais analisaremos.

Por mais que a Copa do Mundo tenha terminado em frustração, pelo menos o Brasil manteve uma sequência de trabalho que deve fazer o time ganhar rodagem e encarar com força os próximos desafios. É nisso que Tite aposta. Ele perdeu apenas um jogo oficial em todo o seu ciclo, iniciado em 2016. A derrota por 1×0 para a Argentina no ano passado nem deve ser valorizada – era amistoso e o Brasil jogou com os reservas.

 

Por que a Argentina é zebra?

Porque a seleção argentina é uma bagunça sem fim. O caos é tamanho que mesmo os argentinos – e eis um para testemunhar – não ligam mais para a azul e branca. A indiferença reina em Buenos Aires, que está entretida com os Jogos Olímpicos da Juventude, um evento de essência esportiva muito mais pulsante que este aborrecido amistoso de atletas milionários cada vez mais distantes das suas raízes nacionais.

Em que pese a Argentina não ter técnico (Scaloni é interino) e não ter craque (Messi está fora), a equipe que vai a campo é sim bem interessante. Romero; Saravia, Otamendi, Kannemann e Tagliafico; Meza, Ascacibar e Lo Celso; Dybala, Icardi e Ángel Correa. O problema é a falta de entrosamento e de ideias, algo que o Brasil acumula com Tite há dois anos, e Argentina segue sem saber quando terá. Grande talento e balbúrdia gigante. Esta é uma boa definição para o atual momento da equipe.

 

Apostas em total de gols

É bem provável que o Brasil queria “pintar a cara” da Argentina e repetir o 3×0 do Mineirão no último confronto importante entre os dois países (em 2016, pelas Eliminatórias). Mesmo com esta enorme chance, a possibilidade favorita para esta terça na Arábia é a de “dois gols ou menos”, pagando R$ 1,66/R$ 1,00, com os “três gols ou mais” aparecendo depois, com R$ 2,15 a cada R$ 1,00 apostado nesta opção. Quem quiser buscar o lucro maior desta vez tem grandes chances de se dar bem. A defesa da Argentina está desentrosada e deve ficar vulnerável diante do forte ataque brasileiro.

 

Apostas em Neymar e Icardi

O amistoso deve ser mesmo uma festa de bons atacantes. Basta ver a lista de lucros para os jogadores que balancem as redes: na casa de apostas Bet365, o Brasil massacra, com os sete primeiros. Neymar, óbvio, é o favorito, devolvendo R$ 1,72/R$ 1,00, seguido por Gabriel Jesus (R$ 2,37) e Roberto Firmino (R$ 2,62). Se o Brasil está encarando a partida com seriedade, faz sentido colocar dinheiro em algum desses três. Pelo lado argentino, os lucros são puxados por dois jogadores que nem foram levados em conta na última Copa: Mauro Icardi (R$ 3,60) e Paulo Dybala (R$ 3,75) – fortes nos clubes, mais ainda crus na seleção.

 

Melhor palpite para Brasil x Argentina

Os dois países vivem momentos opostos. O Brasil é uma seleção de fato, enquanto a Argentina ainda tenta formar a sua, e está bem longe de encontrar. Na Arábia é que não vai ser; portanto, não há mesmo como não contar com uma vitória brasileira. Aproveite os odds de R$ 1,60 oferecidos no Bodog para um novo triunfo do time de Tite – e quem quiser ampliar o ganho pode ficar de olho no 2×1, rendendo ótimos R$ 8,50/R$ 1,00.

Outra possibilidade de lucro é cravar vitória do Brasil depois de empate no primeiro tempo (R$ 4,00) ou já arrancando na frente na etapa inicial (R$ 2,37).

 

Camisas autografadas por Messi e Neymar

A casa de apostas Bodog preparou uma promoção para esse jogo. Apostando no amistoso entre Brasil e Argentina, você concorre a camisas autografadas. Será sorteada uma camisa do Paris Saint-Germain autografada pelo craque Neymar e uma camisa do Barcelona autografada por Messi. Confira a página da promoção para saber mais.

 

Jogos amistosos entre seleções pela Data Fifa

Terça-feira, 16 de outubro
  • 07:35 – Japão (R$ 2,75) x Uruguai (R$ 2,53); empate (R$ 3,20)
  • 08:00 – Coreia do Sul (R$ 1,29) x Panamá (R$ 10,26); empate (R$ 4,98)
  • 15:00 – Brasil (R$ 1,53) x Argentina (R$ 6,50); empate (R$ 3,80)
  • 15:45 – Dinamarca (R$ 2,10) x Áustria (R$ 3,58); empate (R$ 3,19)
  • 15:45 – Bélgica (R$ 1,59) x Holanda (R$ 5,14); empate (R$ 4,07)
  • 15:45 – Suécia (R$ 1,91) x Eslováquia (R$ 4,17); empate (R$ 3,28)
  • 20:30 – EUA (R$ 2,53) x Peru (R$ 3,58); empate (R$ 3,10)
  • 21:00 – Colômbia (R$ 1,47) x Costa Rica (R$ 6,51); empate (R$ 4,17)
  • 22:45 – México (R$ 2,23) x Chile (R$ 3,09); empate (R$ 3,13)

 

Comentários

Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar