Ganhador.com

Carioca

Bonsucesso x Cabofriense: quem vencer, se garante no Carioca

Cabofriense na seletiva do Campeonato Carioca 2018
Foto: Léo Borges / AD Cabofriense

Duelo de líderes pode sacramentar o primeiro time a obter a vaga na fase principal do Estadual do Rio; confronto ocorre às 16h (de Brasília) desta quarta (10) no Elcyr Resende            

Um jogo digno de uma final. Assim será o duelo entre Bonsucesso e Cabofriense, líderes da Seletiva do Carioca, que se enfrentam às 16h (de Brasília) desta quarta (10) no Estádio Elcyr Resende. A vaga matemática não é garantida, mas quem vencer vai dar um passo essencial na busca da classificação para a fase principal do Carioca.

 

Campo neutro

Embora surja como equipe mandante nesta quarta (10), o Bonsucesso, na verdade, vai jogar em campo neutro em Bacaxá. E o desempenho da equipe nessas situações é o melhor possível – foram duas vitórias, contra America e Resende. E que curioso: no jogo que fez como mandante de fato, o Bonsucesso perdeu para o Macaé por 1×0.

O técnico Marcelo Salles demonstrou uma grande satisfação com o funcionamento da equipe que vem na segunda colocação da Seletiva, com seis pontos em nove possíveis. Os atacantes Sabão e Matheus Pimenta e o volante Julinho renderam bem e devem seguir na equipe. A dúvida está no meio, com o experiente volante Leandro Chaves, que sofreu uma lesão na última partida. A equipe vem de uma vitória por 4×2 sobre o Resende no último sábado, e o embalo pode ser suficiente para a equipe se garantir na fase principal do Carioca.

É bem provável que o Bonsucesso titular nesta quarta-feira (10) tenha os seguintes jogadores: Fabrício; Yago, Felipão, Lucas Tavares e Jeanderson; Filipe Silva, Mauro Silva, Julinho e Miguel (Leandro Chaves); Matheus Pimenta e Sabão. O técnico será Marcelo Salles.

“Gostaríamos de ter o torcedor ao nosso lado, mas precisamos lutar do que jeito que dá. O time está em um bom momento, e é uma pena que a torcida não esteja por perto para nos acompanhar, mas vamos fazer o nosso melhor para a vaga no Carioca vir naturalmente, quando aí sim podemos ter a força da torcida”, analisou o treinador.

É de se esperar nesta quarta (10) uma arma especialmente utilizada contra o Resende: os contra-ataques, com três dos quatro gols sendo feitos desta maneira. “As classificações passam por vitórias e por derrotas, e estamos preparados para o que vier”, finalizou o técnico.

 

Macaé luta por recuperação

Líder da Seletiva com sete pontos em três rodadas, a Cabofriense sabe que a sua classificação pode ser selada até mesmo nesta quarta (10). A combinação que levaria a equipe adiante com uma rodada de antecedência é a seguinte: primeiro, vencer o Bonsucesso; depois, torcer para o America bater o Macaé, e que Goytacaz e Resende empatem.

O “tricolor praiano”, como é chamada a Cabofriense, sabe que até mesmo um empate seria um bom resultado. O técnico Antônio Carlos Roy prefere agir de maneira cautelosa e deixar que a equipe tenha a confiança necessária para buscar os três pontos. “Está tudo muito equilibrado. É mais importante a gente se preocupar com o nosso desempenho do que com o resultado. Se jogarmos bem, vamos sair classificados, isso é bem nítido.”

A escalação que a Cabofriense pretende levar a campo nesta quarta (10) é a seguinte: George; Leomir, Leandro Euzébio, Victor Silva e Airton; Levi, Bruno Tubarão, Kaká Mendes e Davi Ceará; Maranhão (Anderson Manga) e João Carlos. O técnico é o já citado Antônio Carlos Roy.

O grande trunfo da Cabofriense está na defesa: o goleiro George é o menos vazado da competição, com somente um tento sofrido em três rodadas. Sua atuação na última partida, na vitória por 1×0 sobre o Macaé, foi especialmente elogiada. Ele pegou realmente tudo.

“Foi um jogo bem difícil, mas só tenho a agradecer à torcida e ao técnico pela confiança”, afirmou o atleta. “Vai ser um jogo importante e sem favorito, é uma partida assim que anima o jogador. Vamos buscar vamos o nosso melhor e recompensar o trabalho que tem sido proposto pela nossa diretoria desde o começo”, seguiu.

Ele, porém, foge um pouco da condição de estrela da equipe. “Não, isso eu não posso dizer que sou, porque o grupo todo se esforça demais e não é justo que um único atleta leve as atenções. Busco melhorar no dia a dia, vamos ao limite, mesmo. Estamos felizes e sabemos que este é só o começo”, concluiu o goleiro de 26 anos e 1,93 metro.

George nasceu em Contagem (MG) e foi revelado pelo America, mas desenvolveu sua carreira nos últimos anos em clubes como o Volta Redonda e a própria Cabofriense.

 

Jogos da 4ª rodada da Seletiva do Campeonato Carioca

Sábado, 6 de janeiro

  • 16:00 – Macaé x America – Palpite: Macaé
  • 16:00 – Bonsucesso x Cabofriense – Palpite: Empate
  • 20:00 – Goytacaz x Resende – Palpite: Goytacaz

 

Comentários

Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar