UFC

Após superar depressão, Max Holloway derrota Brian Ortega com atuação impecável no UFC 231

Max Holloway é o campeão peso-pena do UFC
foto: Divulgação / UFC

A maior adversária de Max Holloway na última temporada tem um nome diferente. Ela não esteve por perto durante a semana que antecedeu o UFC 231, não tem um cartel de MMA ou credenciais que a tornem reconhecido no mundo das lutas. Mas antes da luta contra Brian Ortega, o campeão revelou seu nome e disse como a venceu. Holloway superou a “depressão”. Depois de cancelar três lutas no ano às vésperas por conta de lesões e problemas de saúde, “o abençoado” deu um discurso bonito sobre como venceu a depressão para defender o cinturão dos penas com maestria diante de Ortega, neste sábado, em Toronto, Canadá.

Max Holloway garantiu 77% de lucro aos investidores no Bodog.

Melhores sites de apostas

Saque em

1-2

Dias

R$200

Bônus

+4

Saque em 1-2 - Dias

Saque em

1-2

Dias

R$150

Bônus

+3

Saque em 1-2 - Dias

Saque em

1-2

Dias

Transmissão

ao Vivo

Saque em 1-2 - Dias

Saque em

1-2

Dias

R$200

Bônus

+2 More

Saque em 1-2 - Dias

Saque em

1-2

Dias

R$777

Bônus

+8 More

Saque em 1-2 - Dias

“Eu amo lutar. Mas a depressão não me deixava nem treinar. Foi bom voltar a fazer o que gosto. Muita gente esquece que somos humanos. Nos chamam de super-heróis. Me chamam de campeão, mas eu era campeão antes mesmo de ter isso aqui (o cinturão).  A mensagem que eu mando é: não tenham medo. Converse com alguém. Você precisa de si, mas não tenha medo de lutar. Muitas vezes as pessoas desistem quando estão quase lá. Continua se esforçando, continue trabalhando e você vai chegar lá.”, declarou Holloway, citando a luta contra a depressão, após a vitória no UFC 231.

Max Holloway é um lutador fenomenal. Depois de bater José Aldo por duas vezes, o havaiano ficou praticamente um ano afastado do octógono. Em seu retorno, diante de um talento perigosíssimo como Brian Ortega, ele mostrou que não importa o rival. Ele sempre vai lutar com tudo o que tem para vencer. Foi isso que ele fez com Aldo, com a depressão e com Ortega. A performance obtida no UFC 231 foi brilhante. Com um boxe afiadíssimo, o havaiano controlou as ações, variou os ataques de forma inteligente, mostrou reflexo, maturidade e inteligência durante o confronto.

O triunfo veio por nocaute técnico via interrupção médica no intervalo do quarto para o quinto round. Brian Ortega resistiu demais ao castigo aplicado por Max. Foi assustador vê-lo apanhando tanto e continuar andando para frente. Desde o segundo round com o rosto sangrando, Ortega só foi parado pelo médico da comissão atlética responsável pela luta. Ele teve uma fratura no nariz e no polegar durante o duelo. Já Holloway, esbanjou preparo físico. Nem parecia que ele estava há um ano sem lutar. Inteiro, rápido, arisco e cruel, Holloway deu uma aula de MMA e dominou o combate com tranquilidade.

O futuro de Holloway pode reservar boas opções. O presidente do UFC Dana White já declarou que gostaria de ver Holloway em uma disputa de cinturão na categoria dos leves – o medo de novos problemas com o corte de peso na divisão dos penas pesou. Max não garante a mudança de categoria, mas deixou as portas abertas para uma possível migração para os leves. Lá, ele poderia enfrentar seus dois maiores nomes: Khabib Nurmagomedov e Conor McGregor. O russo já esteve escalado para enfrentá-lo em abril desse ano, mas o duelo foi cancelado, enquanto o irlandês foi o último homem a vencer Holloway no octógono, anos atrás.

Melhor lutador do ano de 2017, duas defesas de cinturão, 13 vitórias consecutivas no UFC, dono do recorde (290) de golpes significativos em uma luta e top 3 no ranking peso-por-peso do UFC, Max Holloway desponta como um ícone do mundo das lutas. Aos 27 anos, ele ainda tem muito, muito a conquistar. Para quem superou a depressão, lutar contra adversário no octógono parece a coisa mais fácil do mundo.

Confira os resultados do UFC 231

Max Holloway venceu Brian Ortega por nocaute técnico no quarto round
Valentina Shevchenko venceu Joanna Jedrzejczyk na decisão dos juízes
Gunnar Nelson finalizou Alex Cowboy no segundo round
Hakeem Dawodu venceu Kyle Bochniak na decisão dos juízes
Thiago Marreta nocauteou Jimi Manuwa na decisão dos juízes
Card preliminar
Nina Ansaroff venceu Claudia Gadelha na decisão dos juízes
Gilbert Durinho venceu Olivier Aubin-Mercier na decisão dos juízes
Jessica Eye venceu Katlyn Chookagian na decisão dos juízes
Elias Theodorou venceu Eryk Anders na decisão dos juízes
Brad Katona venceu Matthew Lopez na decisão dos juízes
Dhiego Lima nocauteou Chad Laprise no primeiro round
Carlos Diego Ferreira nocauteou Kyle Nelson segundo round
Aleksandar Rakic nocauteou Devin Clarkno primeiro round

Comentários

Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar