UFC

Após nocaute em Jimi Manuwa, qual o futuro de Thiago Marreta nos meio-pesados do UFC?

Thiago Marreta nocauteou Jimi Manuwa no UFC 231
Foto: Divulgação / UFC

O UFC 231, ocorrido no último sábado, em Toronto, Canadá, reservou uma grata surpresa aos brasileiros. Dos seis atletas tupiniquins que entraram em ação no show, três saíram do octógono com o braço erguido, mas um deles, Thiago Marreta, conquistou um resultado bombástico. Em sua segunda apresentação na categoria dos meio-pesados, o brasileiro nocauteou Jimi Manuwa no segundo round e agora decola na nova categoria no UFC em busca da consolidação da posição de futuro ídolo do MMA no Brasil.

Melhores sites de apostas

Saque em

1-2

Dias

R$200

Bônus

+4

Saque em 1-2 - Dias

Saque em

1-2

Dias

R$150

Bônus

+3

Saque em 1-2 - Dias

Saque em

1-2

Dias

Transmissão

ao Vivo

Saque em 1-2 - Dias

Saque em

1-2

Dias

R$200

Bônus

+2 More

Saque em 1-2 - Dias

Saque em

1-2

Dias

R$777

Bônus

+8 More

Saque em 1-2 - Dias

Para quem não se lembra, Marreta estreou nos meio-pesados em setembro, no UFC São Paulo. Ele estava escalado para enfrentar Manuwa no show, mas por conta de uma lesão bizarra do inglês, ele acabou encarando Eryk Anders na ocasião. Ele subiu ao octógono, venceu por nocaute técnico e depois da luta mandou recado para Jimi: ele ainda queria a luta. Dito e feito. No UFC 231, o carioca mostrou que não está para brincadeira na nova divisão e aniquilou o rival num confronto de tirar o fôlego que culminou em um nocautaço de Marreta.

O primeiro foi talvez o melhor round do ano no MMA. Logo nos primeiros segundos, Marreta quase nocauteou Jimi com um cruzado. O inglês teve poder de recuperação e também deu trabalho ao atingir fortemente Marreta na grade. Os dois se alternaram no controle da luta, mas Thiago foi mais eficiente e chegou mais perto de encerrar o combate mais vezes. No segundo assalto, mais cansados, Marreta e Manuwa foram novamente para a trocação franca, no “tudo ou nada”. O brasileiro estava mais forte e se deu bem. Após encurralar Manuwa, Marreta acertou um gancho seguido de um cruzado que fez o rival desabar no octógono. Vitória por nocaute aos 41seg do segundo round.

A vitória faz Marreta decolar na categoria dos meio-pesados. Antes do UFC 231, mesmo após a vitória contra Eryk Anders, Thiago sequer estava no top 15 da divisão. Agora, depois de arrebentar o número 7 no ranking oficial, Marreta dará um salto enorme na próxima atualização da lista. Em um momento raso, onde a categoria não tem nomes fortes e contundentes no topo, Marreta chega com força e inspirando esperança.

Depois de quatro vitórias no octógono em 2018, Thiago Marreta desponta como nome forte para brilhar também em 2019. Ele avisou após a luta. “Serei campeão do UFC”. Mais resistente, mais pesado e mais forte, a versão meio-pesado do brasileiro parece boa o suficiente para fazer o público brasileiro sonhar com triunfos mais espetaculares ainda.

CONFIRA OS RESULTADOS DO UFC 231

Max Holloway venceu Brian Ortega por nocaute técnico no quarto round
Valentina Shevchenko venceu Joanna Jedrzejczyk na decisão dos juízes
Gunnar Nelson finalizou Alex Cowboy no segundo round
Hakeem Dawodu venceu Kyle Bochniak na decisão dos juízes
Thiago Marreta nocauteou Jimi Manuwa na decisão dos juízes
Card preliminar
Nina Ansaroff venceu Claudia Gadelha na decisão dos juízes
Gilbert Durinho venceu Olivier Aubin-Mercier na decisão dos juízes
Jessica Eye venceu Katlyn Chookagian na decisão dos juízes
Elias Theodorou venceu Eryk Anders na decisão dos juízes
Brad Katona venceu Matthew Lopez na decisão dos juízes
Dhiego Lima nocauteou Chad Laprise no primeiro round
Carlos Diego Ferreira nocauteou Kyle Nelson segundo round
Aleksandar Rakic nocauteou Devin Clarkno primeiro round

Comentários

Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar