Tênis

Após 8º título em Roma e recuperação da liderança na ATP, Rafael Nadal terá adversário à altura em Roland Garros?

Rafael Nadal
Foto: Julian Finney/Getty Images

Espanhol é favorito para continuar sua hegemonia no saibro e cravar o 11º troféu no Grand Slam francês; Alexander Zverev, Dominic Thiem e Novak Djokovic surgem como opções para acabar com reinado do Touro Miúra em Paris

Rafael Nadal deu mais uma prova no domingo (20 de maio) de que seu reinado no saibro ainda está longe de acabar. Em meio ao tropeço nas quartas de final do Masters 1000 de Madrid, o espanhol voltou com tudo no “Foro Itálico” e assegurou o seu oitavo título do Masters 1000 de Roma. Depois de superar importantes desafios, como o italiano Fabio Fognini e o sérvio Novak Djokovic, que deu amostras de estar recuperando seu eficiente modo de jogo, o Touro Miúra ganhou do jovem alemão Alexander Zverev na final por 2 sets a 1, parciais de 6/1, 1/6 e 6/3. Com o resultado, o jogador de Manacor recupera a liderança no ranking e, obviamente, é o favorito para conquistar o 11º troféu de Roland Garros. Mas será que ele terá um adversário à altura?

 

Recuperação

A derrota para Dominic Thiem na capital espanhola colocou uma pulga atrás da orelha de inúmeros fãs de Rafael Nadal, que viram o revés com certa desconfiança. Mas o retorno em Roma não deixou dúvida de que o tropeço em Madrid foi obra do “acaso”.

O oitavo título do espanhol no torneio italiano dá a confiança necessária para ele ir atrás da 11ª taça de Roland Garros, principalmente por ter passado por adversários que costumam lhe causar problemas no circuito. O primeiro deles foi o italiano Fabio Fognini, no qual precisou vencer o jogo de virada nas quartas de final para posteriormente enfrentar Novak Djokovic. Apesar do duelo com o sérvio definido em sets diretos, Nadal teve dificuldades contra o ex-número 1, que demostrou estar próximo de sua velha forma física. O triunfo sobre Djoko foi o de 25 do Touro Miúra na história do confronto, que segue uma vitória atrás do rival. E, por fim, a final, já que Alexander Zverev vinha de 13 vitórias consecutivas na ATP e títulos do ATP 250 de Munique e o Masters de Madrid.

Iniciando pela 174ª vez a semana na ponta do ranking da ATP, Nadal chega para o segundo Grand Slam do ano embalado para enfrentar qualquer adversário.

 

Recuperação 2

O revés para Rafael Nadal nas semifinais de Roma foi considerado normal pela atual situação dos dois tenistas, mas o que chamou a atenção naquele embate entre dois tenistas do Big Four foi a intensidade de Novak Djokovic. Até então sofrendo para reencontrar o seu melhor tênis, que entre outros resultados lhe deram 30 troféus de Masters, desde a cirurgia no ombro direito, o sérvio fez uma partida bastante consistente contra o espanhol e parece ter encontrado uma luz no fim do túnel. Agora resta saber se ele estará preparado para disputar torneios mais longos, como é o caso de Roland Garros, que pode contar com até cinco sets.

 

Voltando

Quem também parece estar no caminho certo é Kei Nishikori, que demonstrou evolução em Roma. Assim como Novak Djokovic, o japonês passou por cirurgia e vem de uma longa recuperação no pulso direito. O ex-número quatro do mundo despachou o espanhol Feliciano Lopez na estreia, derrubou o cabeça de chave número 3, Grigor Dimitrov, e o alemão Philipp Kohlschreiber. Ele só foi parar diante de Djoko, em jogo de três sets. Com tempo para recuperar as energias para Roland Garros, Nishikori pode ser uma das boas surpresas no saibro francês.

 

Abre o olho

Jogador com mais títulos de Masters – cinco no total – se contarmos os tenistas fora do Big Four (Rafael Nadal, Roger Federer, Andy Murray e Novak Djokovic) e atualmente na primeira posição para o ATP Finals, torneio que coloca frente a frente os oito melhores tenistas da temporada, Alexander Zverev tem a oportunidade de entrar para a história em Roland Garros.

Aos 21 anos, ele tenta quebrar a barreira das oitavas de final de um Grand Slam. E mais. Ele pode ser o adversário ideal para superar Rafael Nadal. Isso poderia ter acontecido em Roma se a chuva que caiu logo após o segundo set, quando o alemão havia vencido por 6/1, não interrompesse o jogo e jogasse um balde de água fria em suas intenções. Olho no garoto!

 

A fórmula

Se Novak Djokovic tem um retrospecto favorável diante de Nadal, Dominic Thiem é conhecido por ter causado as últimas dores de cabeça no espanhol na terra batida. Isso porque o austríaco foi o responsável por quebrar as duas sequências do Touro Miúra no saibro. A primeira ocorreu no ano passado, batendo o multicampeão nas quartas de Roma, e a última nesta temporada, durante o Masters de Madrid. Com a fórmula para superar o 10 vezes campeão de Roland Garros, Thiem (8º colocado na ATP) ainda busca um título de expressão para o inserir definidamente entre os grandes da atualidade.

 

Comentários

Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.