UFC

Aldo nocauteia Jeremy Stephens e volta a brilhar no UFC. Mas e agora, José?

Foto: Divulgação / UFC

O UFC Fight Night Canadá, ocorrido em Calgary, neste sábado, entrou para a história. Depois de dois anos sem vencer e quase cinco sem nocautear, José Aldo voltou a brilhar no octógono mais famoso do mundo e (sim) nocauteou Jeremy Stephens no primeiro round da co-luta principal do show. Mais do que o resultado positivo, o triunfo e as lágrimas derramadas pelo brasileiro após a vitória entregam seu comprometimento com a fase final de seu contrato com o UFC. Podemos dizer com segurança: o campeão voltou!

Aldo fez uma luta boa. Honestamente não foi nada tão diferente do que vimos nas últimas apresentações contra Max Holloway. A leve diferença é que o brasileiro me pareceu um pouco mais paciente, sem partir para o “tudo ou nada” logo de cara. Stephens é duro, perigoso e nocauteador. Ofereceu perigo ao brasileiro durante alguns segundos em uma breve trocação franca. Foi talvez o único erro cometido pelo manauara em 4m19seg de luta. Não é inteligente mais pra ele partir para a trocação franca. Tem um custo muito caro na maioria das vezes. Foi assim contra Holloway. Contra Stephens, com um pouco mais de paciência, apostando na precisão, Aldo colheu frutos. Com um golpe poderosíssimo na linha de cintura, ele fez o rival americano desmoronar e esperar pela chuva de golpes que viria para encerrar o combate. Vitória e choro de Aldo.

Depois de perder o cinturão do UFC, reconquistá-lo, e depois perder de novo, José Aldo volta a vencer de forma espetacular. Um nocaute arrasador, desmoralizador, contra um top da categoria dos penas. É tudo o que o brasileiro precisava para recuperar a confiança e responder a dúvida que cercava a cabeça do fã de lutas: “Será que o Aldo ainda tem motivação para lutar no UFC depois de tantos problemas com a organização e diante da ansiedade pelo fim de seu contrato”? A resposta é sim.

Com esse resultado, José Aldo volta à discussão sobre cinturão do UFC. O brasileiro bateu Stephens, que é top 5 da categoria, de forma extraordinária. É claro que não é o caso de se pensar em uma nova chance do brasileiro contra o atual campeão, Max Holloway, que já o nocauteou duas vezes. Mas a situação é outra. Com Max fora de combate por tempo indeterminado devido aos problemas de saúde e à concussão que o tirou do UFC 226, o Ultimate pode muito bem manter a categoria em atividade e marcar José Aldo Vs Brian Ortega pelo cinturão interino até o retorno de Max Holloway.

Independente do próximo passo da carreira de José Aldo, a vitória contra Jeremy Stephens foi de lavar a alma. E o que prova isso foi a reação instantânea do lutador dentro do octógono. Imediatamente após ver o árbitro da luta encerrar o combate e anunciar o nocaute técnico, Aldo começou a chorar e caiu no chão emocionado, sendo abraçado e exaltado por sua equipe. Mais um daqueles momentos que paramos e só pensamos. Difícil descrever tal cena. Só José Aldo sabe pelo que ele tem passado nos últimos anos. E independente do que aconteça, sejamos sempre gratos por poder presenciar a (ainda brilhante) trajetória de um dos maiores lutadores de MMA de todos os tempos. Viva José Aldo!

Comentários

Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar