Ganhador.com

Vôlei

Vôlei Feminino: Brasil x Rússia é o clássico que abre a Copa dos Campeões

Foto: Zhong Zhi/Getty Images

Seleção de José Roberto Guimarães encara a nova safra russa às 0h40 (de Brasília) desta terça (5)

A semana será de emoção e de insônia para quem gosta de vôlei feminino. A partir da madrugada desta terça, Brasil, Rússia, Estados Unidos, China, Japão e Coreia se enfrentam em Tóquio para a disputa da Copa dos Campeões, torneio que reúne a nata da modalidade em um palco que é também dos mais tradicionais do esporte.

 

Brasil busca quarto título no ano

A seleção feminina vive um 2017 realmente espetacular. É a grande resposta que o grupo de José Roberto Guimarães dá ao mundo do vôlei depois do decepcionante 2016, quando a equipe sequer brigou por medalha na Olimpíada do Rio de Janeiro.

O Brasil até aqui venceu as três competições que disputou, o Montreux Volley Masters, o Grand Prix e o Sul-Americano, que deu vaga ao Mundial de 2018.

E a seleção leva o que tem de melhor no momento para a Copa dos Campeões, com as levantadoras Roberta e Naiane, as opostas Tandara e Monique, as ponteiras Natália, Gabi, Rosamaria e Amanda, as centrais Bia, Carol, Mara e Saraelen, e as líberos Suelen e Gabi (sim, são duas “Gabis”).

Cansada de tantas viagens, a seleção fez dois amistosos nos Estados Unidos contra a equipe da casa na semana passada, perdendo o primeiro por 3 sets a 0 e ganhando a segunda partida por 3 sets a 1.

Brasil e Rússia não se enfrentam desde a Olimpíada do ano passado, quando a equipe comandada por José Roberto Guimarães venceu por 3 sets a 0. Para quem acompanha vôlei, é até desnecessário falar sobre as russas, que compõem uma das escolas mais fortes da modalidade e que, em seu auge, fizeram um pouco do que faziam também as cubanas na década de 90. É uma seleção extremamente alta e de potência máxima no saque, no ataque e no bloqueio. As deficiências inevitáveis são na defesa e na recepção.

“A Rússia está com o time diferente em relação ao Grand Prix”, comentou o treinador. “Na Copa dos Campeões, elas vão ter duas exímias atacantes de bolas altas, a Goncharova e Kosheleva. O nosso bloqueio e a defesa precisarão ser eficientes para bolas altas. Será um jogo importante para nossa equipe, pois teremos a oportunidade de enfrentar uma das mais tradicionais escolas do voleibol. Vamos precisar de paciência para ajustar a relação entre o bloqueio e a defesa. Isso é a chave para esse jogo, juntamente com o passe e o saque.”

Uma das referências desta nova seleção brasileira, a ponteira Natália concordou com o treinador. “A Rússia joga muito com bolas altas e tem um bloqueio pesado. É uma equipe que tem evoluído e tem um grupo jovem. Vamos precisar ter paciência porque sabemos que elas vão atacar por cima do bloqueio.”

“Será muito importante sacarmos bem para quebrarmos o passe delas. O nosso sistema defensivo também precisará ser eficiente. Estamos bem treinadas e focadas em fazer uma boa estreia na Copa dos Campeões.”

O torneio que é realizado no Japão conta com um formato bastante simples. As seis seleções jogam entre si e a que obtiver mais vitórias fica com o título. O Brasil conquistou a Copa dos Campeões em outras três temporadas, em 2005 e 2013. A competição foi criada pela FIVB (a Federação Internacional de Vôlei) em 1993 e é disputada a cada quatro anos, sempre no ano seguinte à Olimpíada.

Além desses dois títulos, o Brasil tem também um vice, conquistado em 2009, quando a Itália foi a grande campeã. Este recorte de desempenho dá uma grande noção de como a seleção brasileira é uma potência e tanto no vôlei feminino. Em três edições, ou seja, 12 anos, o Brasil conquistou dois títulos e um vice na competição que reúne as grandes nações do voleibol feminino.

Vale lembrar que este título no Japão reforçaria também o que tem sido feito neste 2017 realmente incrível para a seleção comandada por José Roberto Guimarães, que conquistou nada menos que seu 12º título no Grand Prix, dobrando a quantidade de conquistas que tem a segunda colocada neste ranking – os Estados Unidos, que ganharam o Grand Prix em seis ocasiões, exatamente a metade do Brasil.

 

Os jogos do Brasil na Copa dos Campeões do Japão

  • Terça (5) – Brasil x Rússia, às 0h40
  • Quarta (6) – Brasil x China, às 0h40
  • Sexta (8) – Brasil x Japão, às 7h15
  • Sábado (9) – Brasil x Coreia do Sul, às 3h40
  • Domingo (10) – Brasil x Estados Unidos, às 2h40

 

Comentários

3 Comentários

3 Comentários

  1. Rita de Cássia

    4 de setembro de 2017, às 19:59

    A madrugada é boa, mas quem vai transmitir. Quero assistir.

  2. Manoel Stenio

    4 de setembro de 2017, às 22:43

    Um dos incentivos mais importante para os jovens esquecerem as drogas e equivalentes é o esporte. Como incentivar se nem transmissão estão fazendo de um dos esportes mais elegantes do planeta o Volei E aí responsaveis o que alegam a respeito?

  3. Anônimo

    6 de setembro de 2017, às 12:23

    E so futebol ningem agunta

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar