Ganhador.com

Vôlei

Sul-Americano Masculino de Vôlei: Brasil e Venezuela fazem final surpreendente em Santiago

Vôlei Sul-Americano Brasil
Foto: Max Montecinos / Divulgação CSV

Enorme favorita para chegar à decisão, Argentina perde na semi e facilita caminho brasileiro em busca do título 

A seleção masculina de vôlei do Brasil está a apenas um jogo de consagrar-se campeã sul-americana pela 31ª vez. Sem dar chances à fraca seleção chilena, os comandados por Renan Dal Zotto dominaram a semifinal disputada nesta quinta-feira (10) e obtiveram a quarta vitória seguida por 3 sets a 0 nesta competição. Contra o Chile, as parciais foram de 25/20, 25/12 e 25/14.

A grande surpresa ficou por conta da primeira semifinal, com o cruzamento entre as seleções de Argentina e Venezuela. Tidos como os grandes candidatos para enfrentar o Brasil na decisão, os argentinos perderam por 3 sets a 2 no jogo mais equilibrado da competição. A “batalha”, como foi chamada pelos chilenos, durou mais de duas horas e terminou com parciais muito parelhas: 26/24, 15/25, 24/26, 26/24 e 15/13. Um espanto.

Mais surpreendente ainda porque Brasil e Argentina fizeram, entre si, as últimas seis decisões do Sul-Americano, com seis vitórias do Brasil. A seleção de Renan agora precisa da vitória sobre a Venezuela para garantir a vaga no Mundial de 2018. Ao contrário das edições anteriores, quando os dois finalistas passavam para o Mundial, na edição atual apenas o campeão garante a vaga na competição que envolve as melhores seleções do planeta. A decisão entre Brasil e Venezuela será disputada às 21h30 (de Brasília) desta sexta (11).

 

Uma semifinal extremamente fácil

Vice-campeão da Liga Mundial, perdendo para a poderosa França apenas no quinto set, o Brasil demonstrou ao longo de todo este Sul-Americano que é mesmo uma força à parte no continente.

Na semifinal, isso ficou bem claro mais uma vez. Contando com o apoio de uma barulhenta torcida que ocupou praticamente todo o ginásio de Santiago, a seleção chilena conseguiu equilibrar o primeiro set e empatar a partida em 10/10. Ao contrário dos jogos anteriores, o saque do Brasil não funcionou tão bem. Tendo a bola na mão, os atacantes chilenos eram acionados com eficiência e deram até a impressão que conseguiriam a vitória no primeiro set. Mas o entrosamento entre Bruninho e Wallace permitiu que o Brasil decolasse logo a seguir, terminando a parcial com um 25/20.

A possibilidade de encarar o Brasil, convenhamos, assustou o Chile. A seleção da casa começou o segundo set muito abaixo do nível do primeiro, e a superioridade verde-amarela foi percebida do começo ao fim. O primeiro tempo técnico já foi obtido com um 8/4 para o Brasil, que em momento algum deu chance de recuperação ao adversário. Fácil demais: 25/12.

O enredo foi repetido no terceiro e último set, com uma força enorme do Brasil também no bloqueio. Sem saber o que fazer para furar a muralha do time de Renan, o time do Chile passou a errar e a facilitar as coisas para a seleção, que comandou a parcial desde o início para terminar a partida em 25/14.

Os grandes nomes da partida foram o levantador Bruninho, o central Lucão e o oposto Wallace, o “trio de ferro” de um Brasil que tem absolutamente tudo para obter, nesta sexta, seu primeiro título sob o comando do técnico Renan.

O treinador analisou a decisão com frieza: “A Venezuela é um time que está crescendo muito, tem melhorado muito o seu nível, mas, com certeza, não é um ‘bicho-papão’. É uma equipe que joga um ótimo vôlei, que tem um histórico de jogos muito bons contra o Brasil. Isto valoriza ainda mais o campeonato”, disse.

 

Decisão deve ser outro massacre para o Brasil

Não há nenhum aspecto técnico que indique uma final equilibrada, pois o time do Brasil é muito superior ao da Venezuela. As duas seleções se enfrentaram na fase de classificação e o placar ratificou esta análise com um 3 sets a 0 (25/10, 25/16 e 25/14) muito contundente que mostrou o verdadeiro desnível entre as equipes. A Venezuela sequer chegou a 20 pontos, quantidade considerada mínima para um set ser equilibrado.

A decisão contra a Argentina prometia mais equilíbrio pela rivalidade e pela constante guerra psicológica que ocorre quando os dois países se enfrentam. Mas os argentinos erraram demais contra a Venezuela e agora vão disputar o bronze contra o Chile. Melancólico.

 

Jogos do Brasil no Sul-Americano Masculino de Vôlei*

Segunda-feira, 7 de agosto

  • 22:00 – Brasil 3×0 Paraguai (25/4, 25/14 e 25/10)

Terça-feira, 8 de agosto

  • 22:00 – Brasil 3×0 Venezuela (25/10, 25/16 e 25/14)

Quarta-feira, 9 de agosto

  • 15:00 – Brasil 3×0 Colômbia (25/10, 25/16 e 25/14)

Quinta-feira, 10 de agosto

  • 19:30 – Semifinal 1: Venezuela 3×2 Argentina (26/24, 15/25, 24/26, 26/24 e 15/13)
  • 21:30 – Semifinal 2: Brasil 3×0 Chile (25/20, 25/12 e 25/14) 

Sexta-feira, 11 de agosto

  • 21:30 – Decisão: Brasil x Venezuela 

* Horários de Brasília

 

Comentários

Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar