Brasileirão Série A

Por vaga na Libertadores, Vasco precisará quebrar tabu contra o Atlético Paranaense. Gigante da Colina já alcançou o Flamengo

Vasco Série A
Foto: Paulo Fernandes/Vasco.com.br

Em meio a uma intensa disputa pelo poder, com direito a intervenção judicial e acusação de fraude nas eleições, o Vasco tenta manter o foco nesta reta final de Campeonato Brasileiro. Ao lado do Grêmio, o Gigante da Colina foi o time que teve melhor desempenho nas últimas dez rodadas, com 18 pontos somados, e um aproveitamento de 60%.

O empate em casa na partida da última rodada, contra o Atlético Mineiro, pode não ter sido o resultado dos sonhos, mas deixou o cruzmaltino com os mesmos 50 pontos de seu arquirrival, Flamengo, e a briga por uma vaga na Pré-Libertadores vai pegar fogo nas próximas semanas.

Depois de dois jogos seguidos em São Januário, o Vasco volta a pegar a estrada no próximo domingo. Às 19 horas (horário de Brasília), o time encara o Atlético Paranaense, na Arena da Baixada.

Praticamente livre da ameaça de rebaixamento, e com chances ínfimas de classificação para a Libertadores, resta ao Furacão a luta por uma vaga na Copa Sul-Americana. Se o campeonato terminasse hoje, o time seria o último classificado, mas a ascenção do Coritiba preocupa, e em caso de tropeço, o Rubro-Negro poderá ser ultrapassado pelo seu maior rival.

 

Vasco não perde, mas também não ganha

O Vasco ostenta uma invencibilidade que já dura onze jogos, mas que se mantém principalmente à base de empates. A igualdade prevaleceu em cinco de seus seis últimos compromissos. A exceção foi a vitória sobre o Santos, na Vila Belmiro, em que Nenê deu a vantagem aos cruzmaltinos nos acréscimos da etapa complementar. Seguindo a política do devagar e sempre, o time vai acumulando pontos a cada rodada, e já alça voos bem mais altos do que se previa antes do início do campeonato. Para quem tinha como meta evitar o rebaixamento, a conquista de uma vaga para voltar à Libertadores depois de seis anos terá quase o sabor de um título. As chances vascaínas hoje são de 36,5%.

 

Furacão não tem grandes ambições

Duas boas sequências ao longo do campeonato garantiram a relativa tranquilidade do Atlético Paranense nesta reta final. A primeira aconteceu entre a 7ª e a 10ª rodadas, quando superou os Atléticos Mineiro e Goianiense, o São Paulo e o Vitória. A segunda teve seu pontapé inicial justamente contra o Vasco, com a vitória por 1×0 em Volta Redonda, em partida válida pela 17ª rodada. Nos três jogos seguintes o time goleou o Avaí e o Bahia, além de vencer o Palmeiras fora de casa.

Caso consiga um feito parecido, com 100% de aproveitamento nas três rodadas que ainda restam, o Furacão chegará aos 54 pontos, e entrará no bolo da briga pela Libertadores. ­A julgar pelas mais recentes apresentações, no entanto, parece pouco provável que isso possa acontecer. O time venceu apenas uma vez nas últimas cinco rodadas, quando enfrentou o Botafogo, no Engenhão. Nas outras quatro, empatou com a Chapecoense e perdeu para Cruzeiro, Corinthians e Ponte Preta. Deverá brigar, no máximo, por uma classificação para a Copa Sul-Americana, e essa sim tem boas chances de conseguir.

 

Retrospecto é amplamente favorável aos paranaenses

O Atlético Paranaense tem sido um adversário indigesto para o Gigante da Colina nos últimos anos, especialmente na Arena da Baixada. Desde 2007, quando venceu por 4×2 pela Copa Sul-Americana, o Vasco acumula fracassos jogando no estádio do Furacão. Esteve por lá pela última vez no Brasileirão de 2015, e perdeu por 2×0.

Nos cinco encontros mais recentes entre os times, o Rubro-Negro levou a melhor em três, incluíndo a fatídica partida da última rodada do Brasileirão de 2013, que sacramentou o rebaixamento vascaíno. Nos outros dois, um empate e uma solitária vitória para os cariocas.

 

Palpite

O Vasco é o sexto melhor visitante do campeonato, com um aproveitamento de 43,1% , enquanto o Atlético Paranaense é apenas o 14º melhor mandante, e tem um índice de derrotas superior a 30%. Os cariocas têm um objetivo palpável, desbancar o Flamengo e entrar no G-7, o Furacão certamente deseja uma classificação para a Sul-Americana, mas não chega a sonhar com isso.

Tudo parece conspirar a favor do cruzmaltino, no entanto, ao pensar no time de Zé Ricardo, a tentação de cravar um empate é enorme, irresistível. Como acreditar que uma equipe que não vence em casa levará a melhor onde há dez anos só apanha? É bem verdade que na última vez em que atuou fora do Rio de Janeiro, o Vasco fez uma grande partida, e venceu o Santos, de virada, por 2×1. Se foi um ponto fora da curva ou será uma tendência nesta reta final de campeonato, só saberemos após a partida contra o Cruzeiro, pela 37ª rodada. Por via das dúvidas, prefiro arriscar um placar de 1×1.

 

Jogos da 36ª rodada

Domingo, 19/11
  • 17:00 – Flamengo x Corinthians  – Palpite: Flamengo
  • 17:00 – São Paulo x Botafogo – Palpite: São Paulo
  • 17:00 – Sport x Bahia – Palpite: Bahia
  • 17:00 – Vitória x Cruzeiro – Palpite: Cruzeiro
  • 17:00 – Atlético Goianiense x Chapecoense – Palpite: Atlético Goianiense
  • 19:00 – Santos x Grêmio – Palpite: Empate
  • 19:00 – Atlético Mineiro x Coritiba – Palpite: Empate
  • 19:00 – Atlético Paranaense x Vasco – Palpite: Empate
Segunda-Feira, 20/11
  • 17:00 – Fluminense x Ponte Preta – Palpite: Fluminense
  • 20:00 – Avaí x Palmeiras – Palpite: Palmeiras

 

Comentários

Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar