Ganhador.com

NBA

Por que o Toronto Raptors é a surpresa da NBA?

Foto: Joe Murphy/NBAE via Getty Images

Única equipe canadense segue firme na terceira colocação do Leste e surge com chances de fazer bonito no playoff, algo raro de acontecer               

Quem acompanha NBA há mais tempo lembra bem do que ocorreu em 1995, quando a liga anunciou a chegada de dois times do Canadá, o Vancouver Grizzlies e o Toronto Raptors. Nos primeiros anos, as franquias eram motivos de chacota pelas fracas campanhas. Criou-se, nos Estados Unidos, até mesmo um trocadilho com o jargão “homens brancos não sabem enterrar”. Com grande dose de maldade, os americanos falavam que “homens canadenses não sabem jogar”.

Mais de 20 anos depois, a brincadeira não faz sentido com um Toronto Raptors que está brilhando na atual temporada, ocupando a terceira colocação na Conferência Leste e oferecendo pesada disputa às equipes gigantes.

 

Os Cavs que se cuidem

A fase do Toronto é tão boa que a franquia tem batalhado contra ninguém menos que o Cleveland Cavaliers nas últimas semanas. Ambos brigam pela vice-liderança do Leste. A conferência já tem o Boston disparado na ponta (23 vitórias e 6 derrotas, aproveitamento de 79%), mas os dois times seguintes estão realmente embolados. Os Cavs apresentam 19-8 (70%), com os Raptors surgindo logo atrás, com 17-8 (68%).

Este aproveitamento corresponde até aqui ao melhor da história do Toronto, empatando com a temporada 2015/2016, quando a franquia chegou a uma surpreendente decisão da Conferência Leste. Depois de se classificar ao playoff e eliminar Indiana Pacers e Miami Heat por 4 a 3, o time do Canadá perdeu para o próprio Cleveland Cavaliers por 4 a 2. Antes dessa decisão, o Toronto havia feito só mais aparição nas semifinais: foi na distante temporada 2000/2001, quando contava com as cestas mágicas de Vince Carter.

Uma das razões do sucesso recente dos Raptors é a manutenção do seu técnico, o competente Dwyane Casey, de 60 anos. Ele comanda a franquia desde a temporada 2011/2012 e é considerado um treinador que preza principalmente pela motivação. É o profissional correto para a atual missão, pois o Toronto não é, nem de longe, o time mais rico ou com as maiores estrelas da atual temporada – e mesmo assim consegue ficar entre os melhores na tabela, o que é um verdadeiro milagre considerando o fato de ter franquias tão mais poderosas atrás de si.

Para ficar em um único exemplo, que tal comparar a campanha dos Raptors (e seus 68%) com o badalado Oklahoma City Thunder, que segue derrapando com uma efetividade de só 46% até aqui?

 

Só precisa melhorar o público…

O que é difícil de acreditar é que a torcida canadense virou as costas para a equipe neste importante momento. A média de torcedores presentes ao Air Canadá é apenas a 25ª entre as 30 franquias da NBA até aqui. Incrível.

O time merece mais. Conta com três jogadores que poderiam facilmente ser considerados astros em qualquer outra franquia. Um deles é o ala-armador DeMar DeRozan, o jogador mais efetivo do Toronto até aqui, com 25 pontos por jogo. É ele o responsável por definir a parada quando as demais peças da equipe estão emperradas, caso dos igualmente confiáveis Kyle Lowry (armador) e Serge Ibaka (ala-pivô que já deu o que falar no próprio Oklahoma).

Esta mistura de rapidez e boa defesa é perceptível também em índices coletivos.

O Toronto é o terceiro melhor da NBA até o momento na eficiência dos arremessos de dois pontos, com uma média de acerto de 56,2%. A performance da linha dos três precisa melhorar: é a 24ª, com apenas 35,0%.

Outra fraqueza do Toronto Raptors até aqui é o aproveitamento de rebotes, só o 28º, com 41 por partida. O time, em compensação, é só o terceiro em bolas perdidas, com uma média de 14,3 por jogo.

Os Raptors contam com dois brasileiros: o pivô Lucas Bebê e o ala Bruno Caboclo. Lucas atuou em 17 partidas até aqui; Bruno, somente em duas. É provável que ganhem mais espaço nessas rodadas próximas à virada do ano, quando ocorre uma maior rotação em todas as franquias.

 

Jogos da Temporada Regular da NBA 2017/2018

Segunda-feira, 11 de dezembro

  • Chicago Bulls 108×85 Boston Celtics
  • Houston Rockets 130×123 New Orleans Pelicans
  • Memphis Grizzlies 82×107 Miami Heat
  • Oklahoma City Thunder 103×116 Charlotte Hornets

Terça-feira, 12 de dezembro

  • Golden State Warriors 111×104 Portland Trail Blazers
  • Los Angeles Clippers 96×91 Toronto Raptors
  • 22:00 – Cleveland Cavaliers x Atlanta Hawks – Palpite: Cavs
  • 22:00 – Detroit Pistons x Denver Nuggets – Palpite: Pistons
  • 22:00 – New York Knicks x Los Angeles Lakers – Palpite: Lakers
  • 22:30 – Brooklyn Nets x Washington Wizards – Palpite: Wizards
  • 23:30 – Dallas Mavericks x San Antonio Spurs – Palpite: Spurs

Quarta-feira, 13 de dezembro 

  • 00:30 – Minnesota Timberwolves x Philadelphia 76ers – Palpite: Wolves
  • 01:00 – Sacramento Kings x Phoenix Suns – Palpite: Kings

 

Comentários

Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar