UFC: Podcast

Podcast MMA Ganhador #8 – Entrevista com Thomas Almeida, o futuro de Cris Cyborg no UFC e muito mais

Fala, galera do mundo das lutas! Voltamos para a nossa oitava edição do Podcast MMA Ganhador com dois convidados ilustres. O primeiro deles é Thomas Almeida, peso galo do UFC e jovem talento brasileiro que volta ao octógono no dia 22 de julho, contra Jimmie Rivera, no UFC Fight Night Long Island, em Nova York (EUA). O paulista fala sobre a luta, o futuro na organização e dá sua opinião sobre os principais assuntos do momento. Além de Thominhas, o programa desta semana recebe David Carvalho, chargista do Sexto Round e do canal Combate, que debateu conosco as últimas do mundo das lutas e falou sobre seu brilhante trabalho artístico.

Mande sua pergunta nos comentários e iremos responder na próxima edição!

Apresentado por Coutinho, o podcast traz entrevistas exclusivas com astros do mundo das lutas, participações especiais de jornalistas especializados e muito debate sobre o mundo das lutas. Dê o play e confira!

Perdeu a última edição do Podcast MMA Ganhador? Ouça aqui!

 

PODCAST MMA GANHADOR #8

Apresentação: @luis_coutinho
Convidados: @thomasalmeidaCB e @DavidCarvalhoC
Edição: @adonias_marques
Duração: 00:51:51

 

Confira alguns trechos da entrevista com Thomas Almeida

Como surgiu o acerto para essa luta com o Jimmie Rivera?

Eu já estava com essa luta em mente, a maioria dos lutadores tops da categoria já estavam com luta marcada e ele estava sem luta. Ele é melhor ranqueado que eu e acho que faz sentido. O nosso estilo de luta casa, gostamos de trocação e vai ser um “lutão”.

Qual a sua expectativa para essa luta?

Assisti todas as lutas dele no UFC várias vezes, ele é bem estratégico, vai bem pelo caminho da vitória. Ele sempre acha um caminho da vitória, gosto da trocação, da porrada, mas sou lutador de MMA. Não adianta traçar estratégia e chegar lá na hora fazer diferente.

Dá para esperar um nocaute ou finalização contra um cara duro como o Jimmie?

Estou treinando muito pra que isso aconteça, quero trabalhar. Vou fazer meu jogo e ele vai vir pra mim, nocaute ou finalização. Vou mostrar todo meu valor, vou buscar isso o tempo todo.

O que você achou da confirmação da superluta entre Conor McGregor e Mayweather?

Desde o começo acreditava que essa luta ia acontecer. Quando oficializou eu fiquei muito feliz. O Conor começou do nada, a história do cara é bem motivadora. Ele está fazendo história mesmo, tem que tirar o chapéu para o cara pelo que ele está fazendo. Não sei em quem apostar. O Floyd tem a vida inteira no boxe, e o McGregor está chegando na terra do inimigo. Não sei o que vai acontecer(…) Botaria meu dinheiro no Floyd, mas o que o Conor já fez… Coisas que eu não acreditava, ele nocauteou o Eddie Alvarez. Eu não duvido mais desse cara, não. Mesmo quando as pessoas falam o contrário, ele chega lá e faz acontecer da maneira dele, porque ele acredita.

O que você acha que os lutadores poderiam aprender com o McGregor?

Ele acreditou no sonho dele. Ele veio do nada, a história dele é legal. Independente do que ele fala, acho que ele faz mais um teatro. Quando desliga a câmera deve ser outra pessoa. Ele é um cara determinado, tem que acreditar no sonho e buscar.

Você pensa um dia treinar fora do Brasil?

Já recebi convites para treinar, mas até hoje não tive vontade. Nada específico. Tenho amigos que moram lá fora, em Las Vegas, por exemplo. Mas confio no meu time, me sinto à vontade aqui. Me sinto bem na Chute Boxe – Diego Lima, acho que nunca necessitei disso. O mais importante é o lutador estar feliz. Mas sou um cara que sempre busco conhecimento, busco melhorar, então não custa nada, tenho vontade de ir lá pra fora, passar uma, duas, três semanas para buscar conhecimento. Mas ir lá para morar não penso nisso, me sinto bem aqui em São Paulo.

Qual a importância do ranking oficial para você?

É bom estar sempre melhor no ranking, mas é algo que não dá para seguir. Não entendo bem a base disso. Luta é luta. O UFC não segue muito isso. Mas é bom estar acima, quero enfrentar os caras melhores ranqueados, como o Jimmie. Mas já vi lutadores que lutaram pelo título e não eram nem do top 5. Eu penso em vitória, quero sempre estar vencendo.

 

Comentários

1 Comentário

1 Comentário

  1. Pingback: Podcast MMA Ganhador #9 – O futuro de Wanderlei Silva, Bellator 180 e Floyd Mayweather Vs Conor McGregor | Ganhador.com

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar