Ganhador.com

Futebol: Podcast

Palmeiras e Atlético-MG perdem novamente e se complicam no Brasileirão

A sétima rodada do Campeonato Brasileiro chegou “pegando pesado” com Palmeiras e Atlético Mineiro que, ao lado do Flamengo, eram apontados como os grandes favoritos ao título. Com mais uma derrota para cada lado (aqui), os dois times caem na tabela e vêem o Corinthians disparar na liderança.

Com mais uma série de mudanças de posicionamento, nomes e postura em relação ao time que venceu o Fluminense no final de semana, o Palmeiras do técnico Cuca desceu até a Vila Belmiro e jogou o suficiente para garantir a primeira vitória do Santos em um clássico paulista, na estréia de Levir Culpi no comando do Peixe. Uma tremenda gentileza do Verdão que ajuda o alvinegro a ganhar moral para o restante da competição, mas atrapalha seus planos de conquistar o campeonato – são 12 pontos de distância para o primeiro colocado; uma diferença muito grande para ser tirada em qualquer momento numa competição de pontos corridos. Talvez o problema do Palmeiras não fosse Eduardo Baptista…

 

Caiu no Horto… não, péra!

Depois de reabilitar o Vitória na última rodada, o Atlético-MG recebeu seu “irmão” Atlético-PR, no estádio Independência (Horto) e, mesmo com um jogador à mais desde os 39 minutos do primeiro tempo (Lucho González foi expulso) não conseguiu triunfar. Apesar da “blitz” intensa dos donos da casa – que tiveram dois gols anulados por conta de impedimentos –, o Galo foi incapaz de furar o bloqueio defensivo armado por Eduardo Baptista que aos 44 minutos do segundo tempo pôde comemorar a primeira vitória do Furacão com o gol marcado por Sidcley depois de falha do zagueiro Felipe Santana.

Com o resultado, o Atlético-PR continua no Z-4 com 5 pontos e tem agora a companhia do Galo que, estacionado nos 6 pontos, é o primeiro time na “zona da degola”, abaixo do “primo” Atlético Goianiense, também com 6 pontos.

Com 13 pontos atrás do líder, o Galo é outro time que começa a parar de sonhar com o título e passa a se preocupar com outras questões (Libertadores, por exemplo).

 

O aluno supera o professor

Usando o “veneno” que bem aprendeu com Mano Menezes (aqui), o desfalcado Corinthians de Fábio Carille venceu mais uma e abriu 4 pontos de vantagem na liderança do Brasileirão – o Grêmio ainda joga hoje e pode diminuir a distância para apenas 1 ponto.

Foi um jogo com a cara de Cruzeiro e Corinthians: muita defesa, pouco ataque e uma chatice interminável no meio campo. Com uma proposta extremamente defensiva, a equipe mineira “deixou a bola” com os donos da casa e esperou por alguma boa oportunidade nos contra-ataques – exatamente como faz o Timão quando joga fora de casa. Infelizmente, a Raposa não soube aproveitar as oportunidades que criou e, num lance de bola parada ainda no primeiro tempo, sofreu o gol que decretou a goleada corintiana (Balbuena de cabeça).

O Timão segue isolado no topo por, pelo menos, mais uma rodada e o Cruzeiro cai para a 8ª posição na tabela, 9 pontos atrás do líder.

 

Flamengo e Atlético Goianiense se recuperam

Na inauguração de sua nova casa – a Ilha do Urubu –, o Flamengo recuperou-se da sequência de 4 jogos sem vitória e bateu a Ponte Preta por 2 a 0. O jogo em si não foi bom ou bonito. “Espalhado” em campo e com pouca aproximação entre seus jogadores, o rubro-negro pouco atacou a Ponte que depositava suas esperanças em um contra-ataque que não veio. Melhor para o zagueiro Réver que, aos 47 do primeiro tempo, subiu mais que a marcação e cabeceou para o fundo do gol de Aranha.

Com a vantagem no placar, o time do técnico Zé Ricardo voltou mais tranquilo para o segundo tempo e teve paciência para esperar uma nova oportunidade. E ela veio aos 13 minutos, quando Leandro Damião completou cruzamento do jovem Vinícius Júnior – que pela primeira vez entre os profissionais, participou de um lance de gol.

Empatados com 10 pontos, Flamengo e Ponte Preta ocupam, respectivamente, a 10ª e a 9ª posição na tabela.

E o Atlético Goianiense recebeu o Avaí no Olímpico e não tomou conhecimento do adversário: 3 a 1 para os donos da casa. Foi a segunda vitória do Atlético-GO, que sai do Z-4 e deixa o “primo” mineiro em seu lugar.

 

São Paulo e Botafogo seguem “patinando”

“Duro de doer” é o modo perfeito de definir o duelo entre Sport e São Paulo, ontem. O jogo que colocou frente a frente o clássico (Vanderlei Luxemburgo) e o moderno (Rogério Ceni) serviu para mostrar que não se pode esperar muito dos dois times neste campeonato. Vindo de derrotas no final de semana, as equipes conseguiram um empate que não as ajuda em nada neste Brasileirão. Mas, ao menos para o São Paulo, serve para dizer “conquistamos um ponto fora de casa”. O que é muito depois de 3 derrotas como vistante. Para o Sport, não serviu pra nada mesmo e o trabalho de Luxemburgo, neste início, nem de longe lembra seus melhores momentos.

Já o Botafogo pegou gosto pelos empates e repetiu, diante do Vitória, o resultado da 6ª rodada (2 a 2 contra o Coritiba). Melhor para a equipe baiana que foi para o intervalo perdendo por 2 a 0 e no segundo tempo encontrou o caminho do gol e garantiu 1 pontinho – continua no Z-4 mas, pela segunda rodada seguida, não perdeu. Pontos para o técnico Alexandre Gallo que tenta “reerguer” o tricolor no Brasileirão. Pior para o Fogão que caiu uma posição na tabela e agora é o 13º colocado.

 

O encanto voltou

E a Chapecoense, que levou 9 gols nos últimos dois jogos, se recuperou na Arena Condá. A equipe catarinense recebeu o Vasco e abriu o placar logo aos 28 minutos do primeiro tempo, com Andrei Girotto. Jean, completando de cabeça uma cobrança de escanteio, empatou para os visitantes.

No segundo tempo, a Chape voltou pressionando e aos 16 minutos o atacante Arthur mandou uma bomba indefensável pra cima do goleiro Martín Silva. O cruzmaltino tentou buscar o empate, mas não teve forças e segue sem vencer fora de casa pelo Brasileirão.

Melhor para a Chapecoense, que se recuperou e agora é a 4ª colocada na competição.

 

Encerramento da 7ª rodada

A sétima rodada do Campeonato Brasileiro termina hoje com os jogos entre Coritiba x Bahia (16 horas no Couto Pereira) e Fluminense x Grêmio (21 horas no Maracanã).

Comentários

Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar