UFC

O que pensar sobre a saída repentina de Amanda Nunes do UFC 213

Foto: Divulgação/UFC

A saída de Amanda Nunes de última hora do UFC 213, que aconteceu no último sábado, deixou muitos fãs intrigados. O que será que aconteceu com a brasileira para forçá-la a deixar a disputa de título programada contra Valentina Shevchenko, em Las Vegas (EUA)? Era um motivo sério? O que os médicos disseram?

A primeira pessoa a ir a público com informações foi Dana White. O presidente do UFC revelou que a brasileira chegou a ir ao hospital, mas acabou liberada pelos médicos, chegando ao nível de dizer que o problema enfrentado por Amanda era provavelmente 90% mental e 10% físico. Bom, ele não é médico ou psicólogo, então não deve ser levado tão a sério, fora que naturalmente foi surpreendido negativamente pela notícia de última hora, então pode ter se deixado levar pelo lado emocional. Sem contar que sua declaração joga a culpa toda na brasileira, arriscando a áurea de campeã da baiana e oferecendo o risco de vesti-la como uma campeã “que corre da luta”. Mas nada diferente do esperado. O erro de Amanda foi não se pronunciar primeiro.

Quando se pronunciou, Amanda Nunes esclareceu que sofre de sinusite crônica, e por isso não se sentia bem para lutar contra Valentina no UFC 213. É bom deixar claro (mais uma vez) que um lutador investe dinheiro, tempo e dedicação durante três meses para uma luta no octógono. Jogar tudo isso no lixo por medo é uma hipótese ridícula de se acreditar. Sem contar que Amanda não recebeu sua bolsa e não foi paga, já que não lutou. A saída do UFC 213 foi tão ruim para ela quanto para Shevchenko.

Também não sou médico e não sei a gravidade de uma sinusite crônica para avaliar a decisão de Amanda. Claro que perder uma disputa de cinturão dessas no dia da luta machuca ainda mais. Será que isso não poderia ser evitado ou avaliado antes do dia da luta? Mas é difícil julgar. A brasileira é a campeã e conhece melhor do que ninguém os limites de seu corpo. Uma luta de cinco rounds, que vale título e com uma rival de altíssimo nível merece atenção e cuidados. Só nos resta torcer para sua recuperação e que a revanche possa acontecer o quanto antes.

O espírito corajoso e destemido desempenhado por muitos lutadores é algo que merece ser valorizado. Mas o profissionalismo também deve ter seu espaço e ser respeitado no mundo das lutas. Até pela evolução do MMA.

Comentários

Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar