Brasileirão Série A

O que ainda se pode esperar do Fluminense em 2017?

Foto: Nelson Perez/Fluminense F.C.

Tricolar das Laranjeiras tem oscilado muito desde o começo da temporada.

O Fluminense segue na disputa pelos títulos da Copa Sul-Americana e da Primeira Liga. No Brasileirão, a taça ficou bem longe das Laranjeiras, mas ainda é possível terminar no G-6, o que daria à agremiação uma vaga na próxima Taça Libertadores da América.

 

Meta é a Libertadores

Eliminado da Copa do Brasil, o Fluminense tem que terminar a Série A entre os seis primeiros colocados para assegurar uma das vagas nacionais brasileiras na próxima Taça Libertadores da América. A 16 pontos do líder Corinthians, o título ficou difícil.

O clube montou um grupo entre bom e ótimo para o ano, sob supervisão do experiente técnico Abel Braga. Dentro de um orçamento limitado, o Tricolor fez bom uso de seu dinheiro e está sabendo aproveitar como poucos sua fábrica de craques, o CT Vale das Laranjeiras, em Xerém.

 

Dificuldade financeira

A ambição da representação das Laranjeiras está estrangulada pela dificuldade financeira da instituição. Além de custos altíssimos do departamento de futebol, ainda há a sede social, os esportes amadores e a falta de um estádio, o que acarreta em seguidos prejuízos utilizando o Maracanã ou alugando o Giulite Coutinho junto ao America.

Somente este ano, é esperado um déficit de R$ 75 milhões. O Fluminense apresentará em breve duas soluções criativas a seus sócios e torcedores. A primeira delas é a criação de uma pasta comercial exclusiva sob a vice-presidência de marketing. Isso visa sanar o problema da falta de um patrocínio máster no manto sagrado.

A outra será vender 50 cotas de R$ 1 milhão, corrigidas pela taxa Selic, com garantias das cotas de televisão aos sócios e torcedores abastados.

A folha salarial do elenco profissional de futebol gira em torno de R$ 7,6 milhões e está atrasada. A venda de Wellington Silva ao Bordeaux (via Arsenal) injetará R$ 13 milhões na conta do Fluminense e aliviará a tensão. A saída de outros atletas não está descartada. Richarlison, Henrique Dourado, Wendel e Marquinhos Calazans têm sido os mais assediados.

 

Solução é continuar investindo na base

Reginaldo, Nogueira, Léo, Marlon Freitas, Wendel, Gustavo Scarpa e Pedro foram revelados em Xerém a atuaram como titulares contra o Coritiba, no domingo. Em vez de gastar milhões contratando, continuar colhendo seus próprios frutos deverá ser o caminho a ser seguido pelo clube nos próximos anos.

 

Nas oitavas da Copa Sul-Americana

A Copa Sul-Americana é uma competição muito chinfrim! Porém, ela é generosa com as cotas de televisionamento e garante seu campeão em outras competições internacionais, como a Copa Banco Suruga, a Recopa Sul-Americana e tão sonhada Libertadores.

Depois de eliminar o Liverpool uruguaio, o Pó de Arroz atropelou a Universidad Católica de Quito por 4 a 0 no Maracanã e praticamente assegurou sua presença na próxima etapa. Se confirmar a classificação, terá pela frente a velha conhecida LDU de Quito ou Bolívar. Uma coisa é certa: o quadro terá que jogar na altitude.

 

Rumo ao bi da Primeira Liga

Pouca gente lembra, mas os reservas do plantel se classificaram para as quartas de final da Primeira Liga encarando Internacional, Brasil de Pelotas e Criciúma. O rival de Gustavo Scarpa e companhia será o Londrina. O embate provavelmente acontecerá no Estádio do Café, mas a data ainda não foi anunciada.

 

A conquista da Guanabara

É bom recordar à nação tricolor que Abel Braga e seus comandados deram a volta olímpica ao faturarem a Taça Guanabara, primeiro turno do Campeonato Estadual. Na primeira fase, os das Laranjeiras tiveram cem por cento de aproveitamento contra Bangu, Portuguesa, Resende FC, Vasco da Gama e Volta Redonda. Na semifinal, seguraram o empate sem gols com o Madureira, e na decisão, empataram de maneira emocionante com o Flamengo em 3 a 3. Nos pênaltis, o tricolor foi mais competente: 4 a 2. O título Carioca se perdeu mas a temporada já está marcada por este troféu.

 

Vôlei mais forte

O Fluminense planeja ter um time mais forte que o da última temporada de vôlei feminino. A modalidade é o carro chefe dos esportes olímpicos das Laranjeiras, que tem entre outras modalidades Basquete, Futsal, Nado Sincronizado, Natação, Patinação Artística, Polo Aquático, Saltos Ornamentais, Tênis, Tênis de Mesa, Tiro e Xadrez.

Para esta temporada, chegaram Fernanda e Larissa Gongra (ambas do Brasília), Michelle (do Praia Clube de Uberlândia), Giovana (do SESI), Thaisinha (do Bauru), Clarisse (do Osasco) e Rafaela (do Brusque). Elas substituirão Bia Rezende, Edna, Eva, Ju Odilon, Juju Perdigão, Kika, Natasha, Nathalia e Pri Heldes que deixaram a equipe.

O sexteto titular será novamente comandado por Hylmer Dias e deverá ser formado por Renatinha, Letícia Hage, Michelle, Clarisse, Lara Nobre e Giovana.

O Pó de Arroz tentará o bicampeonato estadual e o título da Superliga.

 

A agenda do Fluminense:

  • Quinta-feira, 20 de julho, 19h30: Fluminense x Cruzeiro
  • Domingo, 23 de julho, 16h00: Fluminense x Corinthians
  • Quarta-feira, 26 de julho, 19h15: Universidad Católica de Quito x Fluminense
  • Domingo, 30 de julho, 16h00: Ponte Preta x Fluminense

     

Comentários

Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar