UFC

O caminho para Johnson bater Cormier no UFC 210

Foto: Steve Marcus/Getty Images

Anthony Johnson terá, no próximo dia 8 de abril, pelo UFC 210, em Buffalo, Nova York (EUA), a segunda chance de ser campeão dos meio-pesados da maior organização de MMA do mundo. Depois de perder na primeira tentativa, em maio de 2015, contra o mesmo Daniel Cormier, o americano vai para revanche mais experiente e preparado. Embora seja o azarão no confronto, o duelo é parelho e conta com dois atletas de altíssimo nível frente a frente no octógono mais famoso do mundo. E embora o atual campeão trate Johnson como uma “presa fácil”, é bom ele não levar tão previsão tao a sério.

De fato, Cormier é o favorito. É mais experiente, tem mais armas e está mais acostumado a lutas de cinco rounds. Mas se engana quem pensa que Johnson é uma zebra inofensiva. O desafiante ao título é um lutador melhor do que aquele que foi finalizado por Cormier em 2015. De lá para cá, Daniel evoluiu também, mas Anthony (33), fez uma luta a mais do que Daniel (38). Daquele UFC 187 até este UFC 210, o que representa um período de 21 meses, o atual campeão fez apenas duas lutas. Uma defesa de título espetacular contra Alexander Gustafsson e um duelo inesperado contra um Anderson Silva sem preparo algum. Ambos foram vencidos na decisão dos juízes. Já Johnson, nocauteou os três rivais que teve pela frente: Jimi Manuwa, Ryan Bader e Glover Teixeira. O brasileiro, sua última vítima, foi apagado em incríveis 13 segundos.

A leitura do confronto é simples. Johnson tem sua maior chance na trocação, com a luta em pé. Agressivo e explosivo, o americano tem um poder de nocaute assustador. Não à toa ele foi o único a derrubar Cormier com um soco no octógono. Aconteceu na primeira luta entre eles. Mas Daniel soube se recuperar da pancada e vencer o combate. Ainda assim o atual campeão sabe que deve respeitar o rival.

Para vencer, Johnson tem que se garantir nos cinco rounds de luta. A disputa de cinturão é prevista para tal e embora tenha chances de nocautear qualquer lutador no mundo, Cormier é muito experiente e resistente. Ele não cai com apenas um soco. É muito difícil de acontecer. O caminho, então, deve ser uma vitória na decisão. Mas isso só acontece com um condicionamento físico em dia e uma estratégia bem traçada. E nestes quesito Daniel Cormier é difícil de bater.

Johnson é um lutador peculiar. Ele já atuou por quatro categorias diferentes na carreira. Depois de se apresentar como meio-médios no UFC, ele passou para a divisão dos médios, atuou como peso-pesado fora do Ultimate e parece que finalmente encontrou seu lugar na categoria dos meio-pesados. Os problemas com o peso ficaram no passado. De maio de 2012 até aqui, ele conquistou impressionantes 12 vitórias em 13 lutas. Seu único revés desde então foi exatamente contra Cormier.

Vale lembrar que no primeiro combate Johnson se preparava para encarar Jon Jones, até que devido ao doping do astro ele teve que lidar com o então substituto Daniel Cormier semanas antes da luta. Isso vale para ambos, mas a diferença de Jones para Cormier é maior do que a entre o próprio Johnson e Jones.

O reencontro entre Johnson e Cormier promete ser eletrizante. O atual campeão é o favorito, mas que ele não se engasgue com a confiança esbanjada até aqui e saiba que diante dele estará um lutador ainda mais poderoso e pronto para derrotá-lo. Johnson pode não ter tantas armas, mas as que ele tem, ele sabe usar com maestria.

 

Comentários

Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar